Hawking, que morreu hoje, aos 76 anos, foi recebido por quatro Papas

Cidade do Vaticano, 14 mar 2018 (Ecclesia) – O Vaticano assinalou hoje a morte do físico e investigador britânico Stephen Hawking, falecido aos 76 anos.

Hawking, membro da Academia Pontifícia das Ciências (APC) desde 1986, é recordado pelo portal ‘Vatican News’ como “um dos cientistas mais conhecidos do mundo ao abordar temas como a natureza da gravidade e a origem do universo”.

O cientista foi recebido ao longo da sua vida por quatro Papas: Paulo VI, em abril de 1975; João Paulo II, em outubro de 1981; Bento XVI, em outubro de 2008; e Francisco, em novembro de 2016.

A APS reagiu à notícia do falecimento através de uma mensagem na rede social Twitter.

“Estamos profundamente entristecidos pela morte do nosso notável académico Stephen Hawking, que foi tão fiel à nossa Academia. Disse aos 4 Papas que encontrou que queria avançar na relação entre Fé e Razão Científica. Rezamos ao Senhor para que o receba na sua Glória”, pode ler-se.

Hawking, físico destacado pelo trabalho na área da relatividade e dos buracos negros se destacou, morreu hoje na sua casa em Cambridge, anunciou a sua família.

O Observatório Astronómico do Vaticano publicou uma mensagem para unir-se ao “luto” da família, manifestando o apreço da instituição “pelo contributo científico” que Stephen Hawking deu “à cosmologia quântica” e agradecendo “a coragem que teve ao enfrentar a doença”.

Apesar de sofrer de esclerose lateral amiotrófica desde os 21 anos, Hawking conseguiu viver mais de 50 anos com esta doença.

OC

Partilhar:
Share