D. Manuel Clemente apresentou nova obra de Pedro Vaz Patto, presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz

Fotos: Cáritas Portuguesa/Arlindo Homem

Lisboa, 12 jun 2018 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca apresentou na Feira do Livro a obra «Crónicas ainda atuais» da autoria do presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz e afirmou que o livro faz com “consistência” a abordagem a “questões fraturantes” da sociedade.

A obra de Pedro Vaz Patto, editada pela Cáritas, aborda temas como a globalização, a eutanásia, a atual realidade laboral, a importância do Domingo como tempo para Deus e para a família, e publica  reflexões sobre a fé e o sentido da vida, sempre vistas à luz da Doutrina Social da Igreja.

D. Manuel Clemente salientou que o mundo atual, pela sua “imediatez” e pela “pressão do ritmo mediático”, faz com que os desafios se tornem muito mais “fraturantes” do que em outras eras, em que pelo menos se partia de uma “base” comum.

Neste contexto, as pessoas caem “rapidamente” na divergência, mesmo “sem ter tempo, nem espaço” ou “ponderação” para perceber o “que realmente está em questão”.

“E é neste campo que felizmente se situa o trabalho e a intervenção pública do doutor Pedro Vaz Patto. Porque é das poucas vozes que nunca se retrai em qualquer debate ou participação para a qual seja convidado, mas consegue estar em tudo isto com grande ponderação e uma serenidade que faz perceber as questões”, frisou o cardeal-patriarca de Lisboa.

Esta compilação de ‘Crónicas ainda atuais’, publicada com a chancela da Editora Cáritas, reúne um conjunto de textos que foram publicados na revista ‘Cidade Nova’, do Movimento Focolares, da qual Pedro Vaz Patto é chefe de redação quase há 30 anos, e no  jornal Voz da Verdade, do Patriarcado de Lisboa.

Durante a apresentação, o autor explicou que como “os escritos foram feitos há alguns anos”, procurou “escolher temas que ainda fossem atuais” e mostrar que é fundamental continuar a refletir sobre eles.

“Não há propriamente assuntos encerrados, não há causas perdidas, não há questões que são irreversíveis”, sustentou Pedro Vaz Patto, que deu depois como exemplo a temática da eutanásia, considerando fundamental “continuar” a debater esta questão, “mesmo que ela seja mais tarde aprovada”.

Em causa está a forma fácil como a sociedade atual pega e logo descarta determinados assuntos, e “isto tem acontecido relativamente a outras questões”, aponta o autor.

Esta nova publicação do presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz, Pedro Vaz Patto, pode ser encontrada na Feira do Livro, no stand da Paulus Editora, com o número A59-A61, até ao dia 13 de junho, data de encerramento do certame.

Da parte da referida editora católica, o padre José Carlos Nunes, saudou a oportunidade de, através da “parceira” com a Editora Cáritas, dar a conhecer ao público “uma obra que vem enriquecer o panorama editorial em Portugal”.

“Esta parceria indica também um caminho de comunhão que de facto a Igreja em Portugal vai trilhando, e que de facto unindo esforços vamos podendo chegar mais longe e levar mais longe todos estes temas”, completou o diretor-geral da Paulus Editora.

JCP/PR

Partilhar:
Share