Iniciativa lançada pelo Papa Francisco volta a marcar a agenda de várias dioceses portuguesas 

Cidade do Vaticano, 06 nov 2018 (Ecclesia) – O Papa vai assinalar o Dia Mundial dos Pobres, a 18 de novembro, com uma Missa solene na Basílica de São Pedro, em Roma.

No texto orientador para a celebração deste 2.º Dia Mundial dos Pobres, Francisco sublinha as “consequências sociais dramáticas” da pobreza e condena o que qualifica como “aversão” aos pobres.

“Quantos percursos conduzem a formas de precariedade: a falta de meios elementares de subsistência, a marginalidade quando se deixa de estar no pleno das próprias forças de trabalho, as diversas formas de escravidão social, apesar dos progressos levados a cabo pela humanidade”, frisa o Papa argentino.

No mesmo documento, Francisco lamenta a “aversão aos pobres” que hoje marca vários setores da sociedade e exorta a um “sério exame de consciência”.

Em Portugal, o Dia Mundial dos Pobres vai marcar a agenda de várias dioceses, de norte a sul do país.

Na região de Coimbra, a Igreja Católica assinala esta ocasião com uma celebração aberta à comunidade, com todos os agentes da pastoral da caridade da região, e que incluirá “um almoço solidário” destinado aos mais carenciados, com a participação do bispo diocesano, D. Virgílio Antunes.

Também no âmbito do 2.º Dia Mundial dos Pobres, mas no Patriarcado de Lisboa, destaque para uma conferência no salão paroquial da Ericeira, a partir das 17h00, que abordará “o papel do pobre em três vertentes”, com a participação de três oradores diferentes.

Ao padre Vítor Melícias caberá o tema ‘O Lugar do pobre na Igreja’, enquanto a enfermeira Matilde Salema irá refletir sobre ‘O lugar do pobre na minha vida’; já Maria d’Oliveira Martins, especialista em Direito Constitucional, vai interpelar os participantes com a questão do ‘Lugar do pobre na sociedade’.

A organização desta conferência, com entrada livre, está a cargo da associação Farol, um projeto de voluntariado centrado nas paróquias da Ericeira e da Carvoeira.

“Não podemos separar o amor de Deus do amor pelo próximo: precisamos de estar atentos às situações de pobreza ao nosso redor e iluminar as suas vidas com o consolo de Deus e o cuidado humano necessário: esse é o objectivo do Farol”, frisa o padre Tiago Fonseca.

Na Diocese do Algarve, o Dia Mundial dos Pobres vai ser assinalado com a conferência ‘Gritos que gritam muito alto’, organizada pela Cáritas da região, no dia 14 de novembro a partir das 10h30, no auditório da Escola Superior de Engenharia, no Campus da Penha.

O orador será o teológo Juan Ambrósio, professor da Universidade Católica Portuguesa.

A par desta conferência, aberta ao público em geral, vai estar patente uma exposição com imagens alusivas ao tema da pobreza.

O Dia Mundial dos Pobres foi instituído pelo Papa Francisco há dois anos, inspirado pelo Ano Santo da Misericórdia, que decorreu entre 2015 e 2016.

“Não podemos esquecer-nos dos pobres: trata-se dum convite hoje mais atual do que nunca, que se impõe pela sua evidência evangélica”, apontou na altura o Papa argentino.

No calendário, a iniciativa está marcada sempre para o penúltimo domingo do ano litúrgico.

JCP

Partilhar:
Share