Tema começa a ser abordado esta quarta-feira em Tirana, na Albânia

Tirana, Albânia, 26 fev 2018 (Ecclesia) – Os bispos responsáveis pela pastoral das vocações, da Igreja Católica na Europa, vão encontrar-se esta quarta-feira na Albânia para analisar os desafios atuais deste setor.

Em comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, o Conselho das Conferências Episcopais da Europa realça que “todas as eras trazem novas interpelações que requerem uma análise cuidada e capacidade de adaptação, em meios e formas, em ordem a um novo despertar para o chamamento vocacional”.

Aquele organismo sublinha também a necessidade de promover um maior “acompanhamento a todos os jovens que estão a começar um caminho de discernimento”, seja no âmbito da vida sacerdotal ou da vida consagrada.

Esta reunião em Tirana, na Albânia – que conta com o padre José Alfredo Ferreira da Costa, secretário da Comissão Episcopal Vocações e Ministérios, como representante de Portugal – tem no horizonte a preparação do Sínodo dos Bispos que vai lugar no Vaticano em outubro deste ano, com o tema ‘Os jovens, a fé e o discernimento vocacional’.

Acontece também 20 anos depois do documento ‘In Verbo Tuo’ (Na tua palavra), saído do Congresso sobre Vocações para o Sacerdócio e Vida Consagrada realizado em maio de 1997 em Roma.

Um texto que, na opinião do CCEE, “merece hoje ser retomado” nas suas “forças” e “revisto” de forma “critica” naqueles aspetos que já não vão de encontro às necessidades da Igreja Católica e da sociedade.

Até 03 de março, mais de 50 agentes da pastoral das vocações, entre bispos e delegados das várias comissões episcopais da Europa vão estar envolvidos nesta reflexão.

O programa desta reunião na Albânia, um país de maioria muçulmana, prevê uma peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora do Bom Conselho, a padroeira daquele país, situado na localidade de Scutari, e uma homenagem a “38 mártires albaneses, mortos pela sua fé”.

Homens e mulheres que os bispos católicos da Europa apontam como exemplos de “uma vocação vivida em plenitude e que ainda hoje testemunham a riqueza espiritual da Igreja, num país que o regime totalitarista quis tornar ateu”.

Durante cerca de 50 anos, entre 1944 e 1991, até à queda do muro de Berlim, este país dos Balcãs esteve sob o domínio de um regime comunista que perseguiu todas as comunidades religiosas do país, católicas, ortodoxas ou muçulmanas.

Na sua deslocação a Tirana, os bispos católicos irão ainda visitar as instalações de uma antiga prisão da polícia secreta albanesa, hoje transformada em museu e inserido num mosteiro dos missionários claretianos.

JCP

Partilhar:
Share