Sacerdote português evoca jubileu convocado pelo Papa Francisco, dias antes do segundo encontro mundial com missionários da misericórdia

Lisboa, 06 abr 2018 (Ecclesia) – O padre Rui Valério afirmou que o Ano da Misericórdia, convocado pelo Papa Francisco para a Igreja entre 2015 e 2016, mostrou que a misericórdia é um projeto de sociedade.

“O anúncio principal que o Ano da Misericórdia ofereceu, não apenas à Igreja, mas ao mundo, foi perceber que a misericórdia não é apenas uma temática de cariz religioso, mas um projeto de sociedade”, afirmou o sacerdote, um dos 1071 missionários enviados pelo Papa durante o Jubileu extraordinário.

A Igreja Católica celebra este domingo o dia da Divina Misericórdia, uma semana depois da Páscoa.

O Papa Francisco vai presidir à Missa na Praça de São Pedro, pelas 10h30 (menos uma em Lisboa), com a presença de centenas de missionários da misericórdia, que se encontram em Roma para dias de formação e celebração.

O padre Rui Valério refere à Agência ECCLESIA que a misericórdia é a afirmação da “dimensão pessoal, humana e subjetiva da pessoa”.

“Elege não a pessoa que produz mais, mas a que produz menos; faz-nos olhar tanto para a pessoa que faz muito como a que faz pouco. Caso contrário o ser humano passa a ser uma coisa entre outras coisas”, assume, no âmbito do domingo da Divina Misericórdia, instituído por São João Paulo II, em 2000.

O religioso da congregação dos padres Monfortinos e pároco da paróquia de Santo Adrião, no Patriarcado de Lisboa, assinala que a vida do “ser humano” foi invadida pela tecnologia.

“Produzir o máximo com o mínimo de esforço e componente, não há lugar para a subjetividade da pessoa” e o homem passa “vale por aquilo que produz e consome”.

“Estes verbos não abarcam toda a sua existência. A misericórdia é um resgate do ser humano dessa fronteira onde ele se encontra”, indica o missionário, que foi enviado a dar testemunho, a proferir conferências e a convidar ao sacramento da reconciliação.

Entre 8 de dezembro de 2015 e 20 de novembro de 2016 a Igreja Católica foi convidada ao Jubileu da misericórdia e este tempo foi vivido “com diferentes dimensões”.

“Fomos convidados para celebrações do sacramento da reconciliação, apesar de sentirmos que a misericórdia é uma presença que perpassa todos os sacramentos, ou seja, não se exclui no sacramento da reconciliação”, recorda.

A reflexão do padre Rui Valério pode ser escutada no programa de rádio da Ecclesia, emitido na Antena 1, este domingo (06h00)

Centenas de missionários da misericórdia vão estar reunidos em Roma, de 7 a 11 de abril, num evento organizado pelo Pontifício Conselho para a Promoção da nova Evangelização.

O programa inclui uma audiência com o Papa Francisco, no próximo dia 10, no Vaticano, após a qual os missionários celebrarão a Missa na Basílica de São Pedro, ao meio-dia de Roma.

Um dia antes, decorrem catequeses em várias línguas, incluindo uma em português, sobre o tema “Pecado e misericórdia na vida do sacerdote”, por D. Carlos Azevedo, delegado do Conselho Pontifício da Cultura.

LS/OC

Partilhar:
Share