Responsável do Vaticano para este setor perspetiva Encontro Mundial de Famílias que vai decorrer em Dublin

Cidade do Vaticano, 14 ago 2018 (Ecclesia) – O presidente do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, do Vaticano,  destaca a importância do próximo Encontro Mundial de Famílias para ajudar a Igreja Católica a desenvolver uma pastoral à altura dos desafios atuais do setor.

Em declarações ao portal Vatican News, o cardeal Kevin Farrel perspetivou este evento internacional que vai decorrer , em Dublin, na Irlanda, entre 21 e 26 de agosto, com milhares de famílias provenientes de 116 países, incluindo de Portugal; também pelo menos 6 mil jovens com menos de 18 anos (número recorde na história deste evento) e cerca de 7 mil voluntários.

De acordo com o representante da Santa Sé, a Igreja Católica deposita “muitas expetativas” neste evento, que pode ser decisivo para a busca de novas formas de responder às condicionantes que as famílias hoje enfrentam.

“Vivemos em um contexto de individualismo extremo, que ameaça ofuscar a beleza do matrimónio e da família; os esquemas e os métodos pastorais do passado parecem não ser mais funcionais diante das profundas mudanças sociais”, salienta  D. Kevin Farrel.

Para o presidente do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, é preciso uma pastoral que ajude os casais, as famílias, a prepararem-se de forma mais consistente para o “embate” com esta realidade.   

“Não se trata simplesmente de organizar cursos pré-matrimoniais: a questão é muito mais profunda e envolve o acompanhamento, também durante os primeiros anos de casamento, dos homens e mulheres que decidem fazer parte do projeto de Deus”, explica o cardeal irlandês.

Por outro lado, mais do que uma mudança de doutrina, o objetivo da Igreja Católica ao apostar no Encontro Mundial de Famílias é “mostrar a fecundidade e beleza” que carateriza as famílias cristãs, e o testemunho de “alegria” que estas podem ser para o mundo.

“É inerente à vida das famílias a força para proclamar a alegria ao mundo, vocês vão ouvir isso muitas vezes nestes dias, e nós nunca nos cansaremos de anunciar que a família é sempre um recurso, um apoio insubstituível – com seu léxico especial baseado na gramática do amor – para o bem comum e a vida da Igreja”, frisa D. Kevin Farrel.

Um dos pontos altos do programa deste 9.º Encontro Mundial de Famílias, em Dublin, na Irlanda, será a presença do Papa Francisco, nos dias 25 e 26 de agosto.

Segundo a Santa Sé, pelo menos “85 mil bilhetes já estão reservados para o festival com o Papa argentino, no Croke Park Stadium”, e mais “500 mil para a missa final no Phoenix Park”.

O cardeal recorda o empenho que toda a Igreja Católica, e mais recentemente o pontificado do Papa Francisco, tem colocado no apoio às famílias, com a realização de “dois Sínodos sobre a família”, a publicação da exortação apostólica ‘A Alegria do Amor’, e mesmo a reorganização da Cúria Romana que “envolveu” também a criação do novo dicastério a que preside.

“Este encontro de Dublin quer ser o fruto maduro de tudo isto”, realça D. Kevin Farrel.

Depois da receção aos participantes, no dia 21 de agosto, o evento avançará para três dias de congresso com mais de 200 oradores e um total de 65 workshops.

Os temas em debate, com o apoio de especialistas e de testemunhos de todo o mundo, irão desde os nove capítulos da exortação ‘A Alegria do Amor’ a questões como as migrações ou o cuidado com a Criação.

JCP

Partilhar:
Share