Diretora geral do Património Cultural considera que sés portuguesas têm peças notáveis

Lisboa, 27 jun 2018 (Ecclesia) – A diretora geral do Património Cultural, Paula Silva, considerou que as catedrais portuguesas têm um “conjunto de peças notáveis e um acervo artístico enorme” na inauguração da exposição «Na Rota das Catedrais – Construções (D) e Identidades».

Esta exposição, inaugurada esta terça-feira, na Galeria D. Luís do Palácio Nacional da Ajuda (Lisboa), surge na sequência de um “trabalho longo”, desde 2009, onde “foi assinado um protocolo entre o Estado Português e a Conferência Episcopal Portuguesa” no sentido da criação da Rota das Catedrais, disse à Agência ECCLESIA Paula Silva.

Um projeto que pretende que cada catedral “tenha melhores condições de visita cultural” e onde as catedrais possam mostrar o “seu conteúdo artístico” com o lema “conheça Portugal através das suas catedrais”, refere a diretora geral do Património Cultural.

As catedrais portuguesas são um “conjunto patrimonial de reconhecida singularidade”, que ao longo dos séculos assumiu papel de relevo “na estrutura do território e na definição de uma identidade nacional”.

“Uma chamada de atenção para este património fantástico” e as pessoas que visitarem a exposição – “portugueses e estrangeiros” – fiquem “com vontade de visitar as catedrais pelo país fora”, sublinha Paula Silva.

O critério de escolha das mais de cem peças expostas tenta “criar núcleos temáticos” e da importância da catedral “na génese da cidade e no culto religioso”.

O património religioso, assim como o resto do património “é objeto de muita atenção” e cada vez mais as pessoas e as populações “estão atentas” a esse património, frisou a diretora geral do Património Cultural.

Algumas catedrais “estão a necessitar de obras”, todavia Paula Silva acredita que a programação cultural “possa ser cada vez mais rica” e onde for possível a “criação de núcleos museológicos” e “pequenos centros de interpretação”.

Ao fazer a avaliação dos cerca de 10 anos do projeto «Rota das Catedrais», a diretora geral do Património Cultural recorda que as direções regionais da cultura juntamente com os cabidos das catedrais “têm desenvolvido um conjunto grande de obras e de valorização”.

Esta exposição serve também “para dar um novo impulso” à Rota das Catedrais e está patente ao público até ao dia 30 de setembro.

LFS

Partilhar:
Share