Programa 70×7 apresenta itinerário da fundadora da Congregação das Irmãs Servas de Nossa Senhora de Fátima

Lisboa, 21 abr 2018 (Ecclesia) – A vida e obra da Madre Luiza Andaluz, cujas virtudes heróicas foram reconhecidas em dezembro pelo Papa Francisco, vão estar em destaque no programa 70×7 na Rtp2, este domingo às 13h30.

Em 2017, o Papa Francisco reconheceu a heroicidade de virtudes de Luiza Andaluz, dando início ao caminho para o processo de canonização de Madre Luiza Andaluz.

Abre-se agora à Congregação o desafio de reunir documentos e testemunhos que advoguem em Roma pela santidade da fundadora, naquele que é um trabalho que passa por pelo Largo de São Mamede, a Casa Geral da Congregação, onde é ainda hoje possível perceber o ambiente habitado pela Fundadora nos seus últimos anos de vida.

A casa de Santarém, originalmente da família de Luiza Andaluz, e posteriormente da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima, também na Ericeira, onde a obra se faz sentir nos Centros Sociais e na inserção na comunidade são locais visitados pela reportagem.

As Servas de Nossa Senhora de Fátima adquirem uma projeção pastoral que, além das instituições de acolhimento, as leva por inúmeras paróquias do ribatejo e da região de Lisboa, como em Valado de Frades junto a Alcobaça, onde as irmãs cuidavam de crianças desprotegidas, são locais.

A reportagem entrevistou Ana Condinho, uma das crianças que passou pela casa das Irmãs, Jacinto Guerreiro, do Arquivo documental de Madre Luiza Andaluz, também a Irmã Hermínia Cunha, Servas de Nossa Senhora de Fátima ou Isabel Lourenço, religiosa que com mais de 90 anos se lembra da figura e do exemplo de fé que recebeu de Luiza Andaluz.

A Congregação das Irmãs Servas de Nossa Senhora de Fátima vai promover a 25 de abril, na Cova da Iria, uma celebração de ação de graças pelo reconhecimento das virtudes heróicas de Luiza Andaluz, fundadora.

HM/LS

Partilhar:
Share