Tema vai estar em debate na próxima assembleia plenária do episcopado católico, em Fátima

Foto: Ricardo Perna/Família Cristã

Lisboa, 08 nov 2018 (Ecclesia) – Os delegados da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) no último Sínodo dos Bispos, que decorreu no Vaticano, consideram que os trabalhos convocados pelo Papa deixaram clara a necessidade de uma aposta clara nos jovens, nas comunidades católicas.

“Seria uma oportunidade perdida se assim não fosse, a Igreja em Portugal voltar a olhar para os jovens nesta nova perspetiva que é, em primeiro lugar, valorizar o papel dos jovens como uma parte importante da Igreja, como sujeitos da ação pastoral”, disse à Agência ECCLESIA o presidente da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios, D. António Augusto Azevedo.

A próxima assembleia plenária da CEP, que se inicia esta segunda-feira em Fátima, vai promover uma reflexão sobre as conclusões da 15.ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que teve como tema ‘Os jovens, a fé e o discernimento vocacional’.

D. Joaquim Mendes, presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, sublinhou, por sua vez, que a transmissão da fé, hoje, “não se faz tanto, às vezes, pelos meios tradicionais, da família”, mas são os jovens que evangelizam outros jovens.

“Mesmo na minha experiência pastoral, dou-me conta de que os jovens que eu crismo, muitas vezes, chegaram ao percurso para o Crisma trazidos por outros jovens”, precisa.

Para D. António Augusto Azevedo, a preocupação passa agora por “reunir as pessoas” para decidir “que passos dar para aplicar este Sínodo”.

“No caso concreto dos jovens, e na questão fundamental que é a questão da fé e com a sua consequência que é o despertar para a dimensão vocacional, digamos que tudo isso deve significar uma conversão”, adianta.

Já D. Joaquim Mendes reforça a “ideia muito forte” do acompanhamento, de haver recursos disponíveis para a formação de acompanhadores.

“Os jovens pedem à Igreja que acompanhe, qualifique e amplie esta realidade, para que jovens possam acompanhar outros jovens. Para isso, é preciso que a Igreja lhes dê atenção e os acompanhe, os forme, caminhe com eles”, observa.

O Sínodo 2018 decorreu no Vaticano, de 3 a 28 de outubro, reunindo centenas de bispos, religiosos, convidados e mais de 30 jovens dos cinco continentes, para debater a relação entre as comunidades católicas e as novas gerações.

OC

A reportagem no Sínodo dos Bispos foi realizada em parceria para a Agência Ecclesia, Família Cristã, Flor de Lis, Rádio Renascença e Voz da Verdade, com o apoio da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre

Partilhar:
Share