Artesãs do Marão, estilista e escultor trabalharam «em volta do mote de abertura, de iluminação e de otimismo de Jesus»

Foto: Arlindo Homem

Lisboa, 28 jul 2018 (Ecclesia) – O arcebispo português D. José Tolentino Mendonça quis as suas novas insígnias episcopais revelassem o percurso de diálogo com o mundo da arte, na sua vida.

“Toda a minha vida trabalhei com artistas e quis que nesta ordenação episcopal também estivesse presente essa dimensão da minha vida”, referiu hoje, em declarações à imprensa após a sua ordenação episcopal, em Lisboa.

A casula que o novo arcebispo português utilizou na celebração desta tarde foi tecida por “mulheres da Serra da Marão”, com uma “espécie de vitral” com um campo de lírios – as flores que inspiram o lema episcopal do bibliotecário e arquivista da Santa Sé -, da autoria de uma estilista portuguesa, Helena Cardoso, num trabalho “de grande simplicidade e, ao mesmo tempo de grande poética”.

As insígnias episcopais são da autoria do escultor Manuel Rosa, em volta do “mote de abertura, de iluminação e de otimismo de Jesus: olhai os lírios do campo”.

A ordenação episcopal de D. José Tolentino de Mendonça, novo arquivista e bibliotecário do Vaticano, decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, perante centenas de pessoas; a data coincidiu com o 28.º aniversário de ordenação sacerdotal.

“Não vou deixar de ser padre, porque um bispo continua a exercer este ministério de paternidade espiritual”, disse aos jornalistas, após a celebração, presidida pelo cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, tendo como bispos co-ordenantes o cardeal D. António Marto, bispo de Leiria-Fátima, e D. Teodoro de Faria, bispo emérito do Funchal.

O responsável da Santa Sé prometeu ainda que vai continuar a escrever, como “instrumento de diálogo e de aproximação entre a Igreja e a Cultura”.

D. José Tolentino Mendonça nasceu em Machico (Arquipélago da Madeira) em 1965 e foi ordenado padre em 1990; é doutorado em Teologia Bíblica.

O biblista, investigador, poeta e ensaísta foi condecorado com o grau de Comendador da Ordem de Sant’lago da Espada por Aníbal Cavaco Silva, presidente da República, em 2015.

OC

 

Partilhar:
Share