Iniciativa na cidade italiana de Bari congrega responsáveis das várias comunidades

Bari, Itália, 07 jul 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco vai encontrar-se hoje com vários líderes cristãos do Médio Oriente, na cidade italiana de Bari, para uma cimeira ecuménica que visa alertar para a situação na Terra Santa.

Entre os responsáveis que acompanham o pontífice católico estão Bartolomeu I, patriarca ecuménico de Constantinopla (Igreja Ortodoxa); Tawadros II, patriarca da Igreja Copta Ortodoxa de Alexandria (Egito); e o número 2 do patriarcado ortodoxo de Moscovo, Hilário.

“Viveremos uma jornada de oração e reflexão perante a situação cada vez mais dramática daquela região, onde tantos dos nossos irmãos e irmãs na fé continuam a sofrer”, anunciou Francisco, no último domingo.

O Papa e os patriarcas vão reunir-se na Basílica Pontifícia de São Nicolau, rezando diante das relíquias do santo, venerado no Oriente e no Ocidente.

Francisco deixou o Vaticano pelas 07h00 locais (menos uma em Lisboa), em helicóptero, e chegou a Bari após uma hora e 15 minutos de viagem.

Após a receção por autoridades religiosas e civis, o Papa e os Patriarcas descem à cripta da Basílica para a veneração das relíquias de São Nicolau e a iluminação da lâmpada ‘uniflamma’, em forma de caravela, que simboliza a fé única católica e ortodoxa.

Os líderes cristãos seguem em autocarro, pelas 09h15 italianas, até à costa, para um encontro de oração no qual são pronunciados os únicos discursos públicos da peregrinação ecuménica, antes do lançamento de pombas brancas, num gesto simbólico pela paz.

A agenda prevê um encontro à porta fechada e o almoço na sede episcopal; o administrador apostólico do Patriarcado Latino de Jerusalém, D. Pierbattista Pizzaballa, vai apresentar um relatório sobre a situação das comunidades cristãs.

Hino ao Rei Celeste

Papa Francisco BariNo sábado, 7 de julho, na cidade italiana de Bari, lideranças cristãs de diversas Confissões elevarão preces ao Pai Celeste pela paz no Oriente Médio.

Publicado por Vatican News em Sexta-feira, 6 de Julho de 2018

Segundo o Vaticano, a percentagem de cristãos no Médio Oriente caiu consideravelmente ao longo do último século: representavam 20% da população do Médio Oriente antes da I Guerra Mundial, contra os 4% atuais.

Só no Iraque, os cristãos passaram de 1,5 milhões em 2003 para cerca de 300 mil, em 2018.

O presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos (Santa Sé), cardeal Kurt Koch, disse aos jornalistas que “não é possível imaginar um Médio Oriente sem cristãos”, por motivos religiosos, “políticos e sociais”.

Já o cardeal Leonardo Sandri, prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, falou num momento de “solidariedade cristã” para com as populações da Terra Santa.

O encontro do Papa Francisco com os líderes de Igrejas e comunidades cristãs tem como lema ‘A paz esteja convosco! Cristãos juntos pelo Médio Oriente’.

São João Paulo II foi a Bari no dia 26 de fevereiro de 1984; Bento XVI esteve na cidade italiana a 29 de maio de 2005.

OC

Partilhar:
Share