Agenda de Francisco entre 25 e 26 de agosto não se vai limitar à participação no 9.º Encontro Mundial das Famílias em Dublin

Cidade do Vaticano, 11 jun 2018 (Ecclesia) – O Vaticano revelou hoje o programa da viagem do Papa Francisco a Dublin, na Irlanda, entre 25 e 26 de agosto, por ocasião do 9.º Encontro Mundial das Famílias.

A Santa Sé frisa que o principal objetivo do Papa é marcar presença neste grande evento das famílias católicas, que já conta com mais de 30 mil participantes inscritos, de pelo menos 103 países.

Francisco vai acompanhar o evento a partir de Croke Park e depois celebrar a missa de encerramento do encontro em Phoenix Park, também na capital irlandesa.

No entanto, a agenda desta viagem do Papa argentino à Irlanda prevê outros momentos como a recitação do ângelus (no domingo dia 26) na basílica do santuário mariano de Knock, em County Mayo, local que também acolheu o Papa João Paulo II em 1979.

Destacam-se ainda momentos como a visita de Francisco a um centro de acolhimento para famílias sem-abrigo, gerido pelos Irmãos Capuchinhos.

Também as audiências com o presidente irlandês Michael Higgins, e com representantes das autoridades irlandesas, da sociedade civil e do corpo diplomático presente no país.

Ao longo desta viagem, o Papa irá ainda encontrar-se com os membros do episcopado católico da Irlanda, no Convento das Irmãs Dominicanas, em Dublin.

A deslocação à República da Irlanda, país de maioria católica, será a 24ª viagem internacional do atual pontificado de Francisco e a primeira visita de um Papa ao território desde 1979, quando João Paulo II se deslocou ao país.

O 9.º Encontro Mundial das Famílias, que vai decorrer de 22 a 26 de agosto de 2018, com o tema ‘O Evangelho da família, alegria para o mundo’, será também o primeiro evento deste género a ser realizado depois das assembleias do Sínodo dos Bispos dedicadas às questões do matrimónio e da vida familiar.

Durante uma das suas audiências gerais com os peregrinos, no Vaticano, o Papa já se dirigiu de modo especial às famílias irlandesas, esperando que o Encontro Mundial possa ser“um tempo de graça e de renovação espiritual”.

Recorde-se que em 1979 São João Paulo II quis deslocar-se também à Irlanda do Norte, mas essa etapa teve de ser cancelada por motivos de segurança.

No programa do Papa Francisco também não está prevista qualquer travessia da fronteira.

Os Encontros Mundiais das Famílias iniciaram-se na cidade de Roma, em 1994, repetindo-se a cada três anos; a última edição aconteceu na cidade norte-americana de Filadélfia.

Em março de 2017, o Papa Francisco escreveu uma carta às famílias de todo o mundo, publicada hoje pelo Vaticano, para dirigir-lhes uma mensagem de “misericórdia”, com atenção às “feridas” da humanidade.

“Sonho com uma Igreja em saída, não autorreferencial, uma Igreja que não passe longe das feridas da humanidade, uma Igreja misericordiosa que anuncie o coração da revelação de Deus Amor, que é a misericórdia”, refere o texto, que apresentava o próximo Encontro Mundial das Famílias.

Francisco escreve que é a misericórdia que torna as pessoas “novas no amor”.

“Sabemos como as famílias cristãs são lugares de misericórdia e testemunhas de misericórdia; depois de Jubileu da Misericórdia ainda o serão o mais e o encontro de Dublin poderá dar sinais concretos disso”, sustenta.

O Papa manifesta o desejo de que as famílias possam “aprofundar a reflexão e a partilha dos conteúdos da exortação apostólica pós-sinodal ‘Amoris Laetitia’”.

“Poderíamos perguntar: O Evangelho continua a ser alegria para o mundo? E também: A família continua a ser uma boa notícia para o mundo de hoje?”, questiona.

O texto conclui-se com votos de que os organizadores do 9.º Encontro Mundial das Famílias assumam a tarefa de “conjugar de uma forma especial o ensinamento da Amoris Laetitia”, com a qual a Igreja Católica deseja que as famílias “estejam sempre a caminho”, numa “peregrinação interior”.

JCP/OC

Partilhar:
Share