Cardeal de Leiria-Fátima manifestou «reconhecimento» com todos que combatem «chaga social»

Fátima, 12 ago 2018 (Ecclesia) – O Santuário de Fátima manifestou “solidariedade” com as pessoas que perderam “património, casas” no incêndio na Diocese do Algarve e vai doar 30 mil euros para o apoio às vítimas dos fogos.

“O Santuário de Fátima associa-se com uma dádiva de 30 mil euros à Cáritas Diocesana do Algarve para primeiras necessidades”, disse o cardeal D. António Marto, na apresentação da peregrinação aniversária de agosto e também da peregrinação do Migrante e Refugiado a Fátima, que decorrem hoje e segunda-feira na Cova da Iria.

O bispo da Diocese de Leiria-Fátima adiantou também que no futuro podem dar “novos contributos” no caso de serem necessários.

Foto: Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A Diocese do Algarve anunciou este sábado que os ofertórios das Missas dos dias 18 e 19 de agosto se vão destinar a apoiar vítimas carenciadas do incêndio que assolou a região, nomeadamente nos concelhos de Monchique, Silves e Portimão.

O valor angariado nestes peditórios será gerido unicamente pela Cáritas da Diocese do Algarve, juntando-se a verba disponibilizada pela Cáritas Portuguesa e por outras Cáritas Diocesanas, e foi existe também a conta – IBAN PT50 0010 0000 2271 5720 1085 0 – exclusividade destinada a ajudar as vitimas do incêndio que afetou os três concelhos referidos.

O cardeal D. António Marto manifestou também “reconhecimento com todos” os que estão no terreno a combater “a chaga social dos incêndios” – bombeiros, Guarda Nacional Republicana, a Proteção Civil, voluntários, diversas instituições, instituições autárquicas.

“Todos merecem o nosso reconhecimento por este trabalho dedicado”, acrescentou o prelado, manifestando “solidariedade com os que sofreram perdendo o seu património, casas”.

O incêndio que começou em Monchique, na Diocese do Algarve, consumiu mais de 27 mil hectares, segundo o Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais, entre 3 e 10 de agosto, e afetou também o concelho vizinho de Silves, e teve menor impacto, os municípios de Portimão e de Odemira, já no distrito de Beja.

CB

Partilhar:
Share