Francisco lembrou que «jovens são o futuro» e o «lugar essencial» da família na sociedade

Cidade do Vaticano, 21 ago 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco afirmou que “os jovens são o futuro” num vídeo-mensagem de saudação aos irlandeses e aos participantes do Encontro Mundial das Famílias que “é uma celebração da beleza do plano de Deus para a família”.

“As famílias de hoje enfrentam muitos desafios nos seus esforços para incorporar um amor fiel, criar filhos com valores saudáveis ​​e estar na comunidade mais ampla, um fermento de bondade, amor e cuidado mútuo”, disse o pontífice.

No vídeo transmitido hoje na abertura do encontro, Francisco realçou que o Encontro Mundial das Famílias é também uma oportunidade para “as famílias de todo o mundo encontrarem-se e apoiarem-se mutuamente na sua vocação especial”.

Neste contexto, o Papa espera que a nona edição do evento seja “uma fonte de encorajamento renovado” para as famílias de todo o mundo, especialmente aquelas famílias que estão a participar no encontro em Dublin.

Francisco destacou que “os jovens são o futuro”, por isso, pediu que o “lugar essencial” da família “na vida da sociedade e na construção de um futuro melhor para os jovens” não seja esquecido.

“É muito importante preparar os jovens para o futuro, prepará-los hoje, no presente, mas com as raízes do passado: Os jovens e os avós. É muito importante”, desenvolveu.

Em 1980, Jorge Mario Bergoglio esteve a estudar inglês, durante alguns meses, num colégio Jesuíta na Irlanda, por isso, no vídeo afirmou que está “entusiasmado com a ideia de voltar à Irlanda”.

O 9.º Encontro Mundial das Família realiza-se entre hoje e domingo, dia 26, e o pontífice argentino participa nos dois últimos dias, nos eventos finais: Festa das Famílias em Croke Park, este sábado, e no dia seguinte preside à missa de encerramento, também na capital irlandesa.

“Embora o motivo específico da minha visita à Irlanda seja o Encontro Mundial das Famílias, gostaria de abraçar todos os membros da família irlandesa”, referiu.

Francisco disse também que reza para que aumente “a unidade e a reconciliação entre todos os fiéis de Cristo” e agradeceu “calorosamente” a todos os envolvidos na preparação da sua visita, a 24.ª visita internacional do pontificado.

A agenda do Papa não se limita ao encontro mundial e da agenda consta a visita a um centro de acolhimento para famílias, audiências com o presidente irlandês, Michael Higgins, e representantes das autoridades, da sociedade civil e do corpo diplomático e o episcopado irlandeses.

Em conferência de imprensa de apresentação da viagem, o porta-voz da Santa Sé, Greg Burke, disse hoje que o pontífice pode também encontrar-se com vítimas de abusos, como costuma fazer em países onde aconteceram, mas “não está previsto”.

Esta vai ser a segunda vez que o Papa Francisco participa neste evento, depois de Filadélfia (EUA), em 2015.

Os Encontros Mundiais das Famílias tiveram início na cidade de Roma, em 1994, por iniciativa do Papa São João Paulo II, repetindo-se a cada três anos.

CB

Partilhar:
Share