Francisco encerrou visita de dois dias junto da Conferência Episcopal, em Dublin

Dublin, 26 ago 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco encontrou-se hoje com os bispos católicos da Irlanda, no último ato oficial antes da despedida no aeroporto de Dublin, pedindo aos responsáveis da Conferência Episcopal que abordem com “coragem” a crise dos abusos sexuais no país.

“Naturalmente, um tema presente na minha visita foi o da necessidade que tem a Igreja de reconhecer e remediar, com honestidade evangélica e coragem, os erros do passado relativos à proteção das crianças e adultos vulneráveis”, declarou, durante uma reunião que aconteceu após a Missa conclusiva do 9.º Encontro Mundial das Famílias, que reuniu dezenas de milhares de pessoas na capital irlandesa.

O pontífice elogiou o trabalho de “purificação e reconciliação” com as vítimas dos abusos, com a ajuda do National Board para a tutela das crianças na Igreja na Irlanda, tendo sido levado a cabo “um conjunto rigoroso de normas tendentes a garantir a segurança dos jovens”.

“Nestes anos, todos nós tivemos de abrir os olhos para a gravidade e a extensão do abuso sexual em diferentes contextos sociais. Na Irlanda, como noutros lugares, a honestidade e a integridade com que a Igreja decide enfrentar este capítulo doloroso da sua história pode oferecer um exemplo e um apelo a toda a sociedade”, apontou.

Francisco disse ainda que a Igreja Católica na Irlanda vive momentos “desafiadores” e que o Encontro Mundial das Famílias deu a todos “grande esperança e encorajamento”.

“Os transtornos dos últimos anos puseram à prova a fé tradicionalmente forte do povo irlandês. Mas proporcionaram também a oportunidade para uma renovação interior da Igreja neste país e indicaram novas formas de imaginar a sua vida e missão”, prosseguiu.

O Papa sustentou que “é na noite escura que a luz da fé brilha mais pura” nos corações.

“E essa luz mostrará o caminho para a renovação da vida cristã na Irlanda nos anos futuros”, concluiu, deixando votos de “reconciliação e a paz entre todos os membros da família irlandesa”.

A visita do Papa à Irlanda, iniciada na manhã deste sábado, durou cerca de 32 horas e teve como objetivo a celebração das cerimónias conclusivas do 9.º Encontro Mundial das Famílias, em Dublin.

Francisco enfrentou manifestações de protesto contra a atuação da hierarquia católica nos casos de abusos sexuais de menores, tendo-se encontrado com vítimas e deixado um pedido público de perdão, em defesa da verdade e da justiça para os que sofreram estas situações.

OC

Partilhar:
Share