D. António Couto destina renúncia quaresmal a diocese da República Democrática do Congo

Lamego, 12 fev 2018 (Ecclesia) – O bispo de Lamego convidou as comunidades católicas da diocese a viver a próxima Quaresma como um “tempo de diferença, e não de indiferença”, com gestos de partilha e amor.

“Avivemos as brasas do nosso coração e dilatemos as suas cordas até às periferias do mundo, e que o nosso olhar seja de Misericórdia para os nossos irmãos de perto e de longe. Façamos um exercício de verdade. Despojemo-nos, não apenas do que nos sobra, mas também do que nos faz falta”, escreve D. António Couto, na sua mensagem para o próximo tempo litúrgico do calendário da Igreja.

No texto, enviado hoje à Agência ECCLESIA, o responsável alerta para “as ervas daninhas do ódio e da indiferença” que podem sufocar o amor, à imagem do que faz o Papa Francisco na sua mensagem para a Quaresma de 2018.

O pontífice propõe para 23 de fevereiro um dia de oração e de jejum pela paz, lembrando sobretudo a escalada de violência que se vem verificando na República Democrática do Congo (RDC) e no Sudão do Sul.

D. António Couto decidiu destinar para a RDC parte do montante recolhida nas 223 paróquias da Diocese de Lamego na tradicional renúncia quaresmal.

“Olhando para os nossos irmãos e irmãs de mais longe, e indo ao encontro das intenções do Papa Francisco, vamos destinar parte da esmola da nossa Caridade para levar um pequeno gesto de carinho e um pequeno bálsamo aos nossos irmãos e irmãs da África, mais concretamente da República Democrática do Congo, Diocese de Beni-Butembo, região do Kivu-Norte”, precisa.

O bispo de Lamego fala em “populações massacradas desde 1996 por toda a espécie de guerras e violências”, obrigadas a abandonar as suas terras e a procurar refúgio nos arredores das cidades, “onde experimentam a fome e toda a espécie de miséria”.

Os donativos vão chegar ao terreno pela “mão segura” dos Missionários Combonianos, que mantêm abertas diversas missões na região do Kivu e Diocese de Beni-Butembo.

Outra parte do montante recolhido vai ser aplicado nas obras em curso no Seminário de Lamego, para que a diocese possa oferecer “mais tempos de formação, oração, bem-estar e convívio”.

Em 2017, a coleta somou 18 053,68 euros, aplicados nas referidas obras e em projetos dos Missionários Espiritanos em Moçambique e na Bolívia.

A Quaresma é um período marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que começa na Quarta-feira de Cinzas, este ano a 14 de fevereiro, e serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão.

OC

Partilhar:
Share