Projeto da Pastoral Familiar diocesana acontece em oito encontros para tratar outros tantos temas, até 5 de maio

Leiria, 22 jan 2018 (Ecclesia) – O Departamento da Pastoral Familiar da Diocese de Leiria-Fátima propõe aos casais construírem uma relação duradoira com o percurso ‘Ela e Ele’, oito sessões dedicadas ao romantismo, ao encontro e à reflexão a dois, na Paróquia da Caranguejeira.

“Consideramos esta iniciativa fundamental para tentar ajudar a ultrapassar alguns problemas que surgem no casamento, tendo em conta que não nos casamos propriamente novos, como é normal, temos alguns hábitos se solteiros que custam a ultrapassar”, explica Luísa Vilas Boas que participa pela primeira vez.

Orlando Marquês recorda que já no namoro participavam em iniciativas da Pastoral Familiar da Diocese de Leiria-Fátima e tem a “certeza” que “vai ser positivo”.

“Às vezes no dia a dia nem sempre é fácil, trabalhamos em sítios diferentes e estamos muito tempo separados e não conversamos. Quando chega ao fim de semana acaba por ser sempre curto”, acrescenta.

A proposta de caminho é realizada em oito sessões onde depois do jantar à luz das velas há uma apresentação temática com tempo para o diálogo em casal.

José e Rita Santos, da Pastoral Familiar de Leiria-Fátima, apresentaram o primeiro tema e foram dos primeiros impulsionadores para adotar a iniciativa na diocese.

“Tínhamos oito anos de casados e ainda assim descobrimos coisas interessantes”, explica José Santos, acrescentando que um dos temas que mais gostaram foi sobre “a necessidade de criar um tempo de casal”, que apresentaram este sábado, dia 20 de janeiro.

Rita Santos revela que os participantes estranham “marcar o romance na agenda” porque “parece forçado” mas “é muito positivo e muito importante”.

A edição 2018 do ‘Percurso Ela & Ele – Como Construir uma Relação Duradoira’ vai terminar a 5 de maio, e os casais são convidados num jantar romântico a refletir o casamento em diversos temas.

Segundo os membros da Pastoral Familiar há um tema sobre as relações familiares, “sobretudo com os pais e sogros”, sobre formas de resolver conflitos, a importância de perdoar, a sexualidade, a comunicação entre o casal e o último tema “é numa perspetiva de futuro, mais poético, sobre as linguagens do amor”.

O percurso que “não é terapêutico mas preventivo” nasceu na Igreja Anglicana e também já tem caminho feito na França, em quatro anos a Diocese de Leiria-Fátima já realizaram seis cursos.

“Tem funcionado muito bem, uma aceitação de todas as pessoas que participam e vão sabendo o percurso tem sido muito interessante ver como as pessoas recebem esta ideia”, refere Rita Santos.

Já José Santos recorda que não têm “nenhum caso” de alguém que tenha dito que perdeu tempo:

Os organizadores também recebem casais que querem repetir o curso ou assistir aos temas que não tiveram tempo da primeira vez, como Natália Pereira e Rodolfo Oliveira que participaram há três anos no curso, após terem sido pais pela primeira vez.

Segundo Rodolfo Oliveira “foi muito gratificante” e destaca que a conclusão que podem tirar é que se conseguem “tirar um tempinho” para participar no percurso também conseguem “bem organizados fazê-lo de outra forma, fora dos eventos”.

O curso está decorrer na Paróquia da Caranguejeira, em Souto de Cima, e o pároco destacou que a “forma nova de ir ao encontro dos problemas que são de sempre”.

“Temos um conceito de família que é um bocado diferente de há 50 anos. Este conceito de família que estamos a viver hoje está a mudar todos os dias, é muito abrangente, e a nós interessa é ir ao encontro da família”, desenvolveu o padre Filipe Lopes.

CB/PR

Partilhar:
Share