Obra estreia no Mosteiro dos Jerónimos, a 20 de julho, evocando centenário do fim da I Guerra Mundial

Lisboa, 05 jul 2018 (Ecclesia) – D. José Tolentino Mendonça assina o texto do ‘Requiem pela Aurora de Amanhã’, escrito pelo centenário do fim da I Guerra Mundial, e que vai ser apresentado às 21h30 de 20 de julho, no Mosteiro dos Jerónimos.

A organização explica que ‘Requiem pela Aurora de Amanhã’, do compositor João Madureira, “discorre ao longo do texto” de D. Tolentino Mendonça “desde a discórdia entre Caim e Abel, gérmen da primeira guerra entre os homens, até à sua redenção após a passagem pelo sacrificado Médio Oriente dos nossos dias”.

Para além de autor do texto, o novo arcebispo português vai ser também o narrador na apresentação do ‘Requiem pela Aurora de Amanhã’, e conta com o acompanhamento da Orquestra Metropolitana de Lisboa.

A obra foi encomendada para a 44.ª edição do Festival Estoril Lisboa e visa assinalar o centenário do fim da I Guerra Mundial, que começou a 28 de julho de 1914 e terminou a 11 de novembro de 1918.

O programa do concerto inclui ainda o ‘Prélude à l’après-midi d’un faune’, de Claude Debussy (1862-1918), e o concerto para Piano em Ré maior, para a mão esquerda, de Maurice Ravel (1875-1937), com o pianista António Rosado.

D. José Tolentino de Mendonça foi nomeado pelo Papa como arquivista e bibliotecário do Vaticano; a sua ordenação episcopal vai decorrer a 28 de julho, às 16h00, no Mosteiro dos Jerónimos.

O Festival Estoril Lisboa está a celebrar o Ano Europeu do Património Cultural 2018 e do seu programa constam 20 concertos até dia 28 deste mês, o início foi este domingo, 1 de julho;

No programa, para além de concertos, cursos, e outros eventos em igrejas, destaca-se também a estreia do ‘Te Deum em louvor da paz’, do compositor Eurico Carrapatoso, às 18h00 do próximo dia 25, na igreja de São Roque.

CB/OC

Partilhar:
Share