Lisboa, 11 out 2018 (Ecclesia) – O Centro de Estudos de História Religiosa (CEHR) da Universidade Católica Portuguesa promove um colóquio internacional ‘Religião e Masculinidade. Modelos, práticas e transgressões’, entre hoje e 13 de outubro, em Lisboa.

Neste encontro pretende-se refletir sobre “os modelos e comportamentos de todos os que no trabalho pastoral ou na vida religiosa, na liturgia, nas devoções, na missionação e na pedagogia e catequese vivem esta marca da masculinidade que se propõe a todos (homens e mulheres) como modelo de comportamento”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Na sala de exposições (2º piso do ed. da Biblioteca, UCP-Lisboa), no primeiro dia, vários oradores vão refletir sobre «“Despiram-me e eu era um homem”. O martírio de Santa Perpétua e Santa Felicidade» (Teresa Toldy); «Clero regular e identidade de género na Idade Média: modelos e vivências» (Ana Maria S. A. Rodrigues) e «Modelos e organização espacial na arquitectura dos mosteiros femininos em Portugal (séculos XIII-XIV) por Francisco Teixeira, lê-se no programa.

«A (re)construção de modelos e práticas pastorais no século XVI: as biografias masculinas de Fr. Luís de Granada, OP» por Maria de Lurdes C. Fernandes e Zulmira Santos e «”Ter nome de pregador ou ser pregador de nome não importa nada”. Os modelos e a formação dos pregadores em tempo de muitas Reformas» é o tema refletido por António Camões Gouveia.

«A “dominação feminina”: anatomia do medo nos discursos religiosos e anti-religiosos sobre sexos e sexualidade» é a conferência proferida por Tiago Pires Marques e António Matos Ferreira fala sobre «Modalidades de masculinidade no catolicismo contemporâneo»

No mundo religioso, marcado pelas “ideias de masculinidade desde o sacerdócio e as suas competências à vida religiosa, o masculino sobreleva e marca os modelos de imitação de Cristo e de santidade, sinais da entrega total a Deus numa solidão que se quer pobre e humilde mas exigente”, refere o programa.

LFS

Partilhar:
Share