Diretor nacional sublinha dimensão «espiritual» do serviço ao altar

Lisboa, 30 jul 2018 (Ecclesia) – O Serviço Nacional de Acólitos (SNA) vai participar com 325 portugueses, uma delegação recorde, na peregrinação internacional que decorre em Roma, de 30 de julho a 3 de agosto.

“Para nós é uma alegria ver este aumento da participação, quer dizer que é uma aposta ganha”, disse à Agência ECCLESIA o padre Luís Leal, diretor do SNA.

O responsável sublinha a importância de promover o encontro com o Papa e com outros acólitos, da Europa e do resto do mundo.

“Servir o altar não é algo de individual, implica também um grupo”, precisa.

O sacerdote assinala que os acólitos não se devem limitar à “parte ritual”, mas devem perceber a “dimensão espiritual” que cada gesto litúrgico tem.

“Os acólitos não são empregados de mesa, são aqueles que acompanham, aqueles que servem o altar da Eucaristia, o que tem uma dimensão espiritual, mas do que funcional”.

A organização espera mais de 60 mil participantes na peregrinação internacional de 2018, que tem como lema ‘Procura a paz e segue os Seus Passos’.

Para o padre Luís Leal, este é “um grande encontro de festa, antes de mais”.

A cada participante é pedido um “pequeno gesto de agradecimento” a quem os acolhe, em Roma.

O presidente da Comissão Episcopal de Liturgia e Espiritualidade, D. José Cordeiro (bispo de Bragança-Miranda), vai acompanhar os acólitos.

Segundo o programa, a 31 de julho, primeiro dia de peregrinação, há uma Missa, às 09h30 locais, na igreja de Santo António dos Portugueses, Roma.

Ainda nesse dia, depois da abertura na Praça de São Pedro e do acolhimento aos peregrinos, às 15h30, está previsto um encontro com o Papa Francisco, às 18h00 (menos uma hora em Lisboa), com um momento de perguntas e respostas.

Na manhã seguinte, os participantes marcam presença na audiência pública semanal do Papa de quarta-feira; a partir das 18h00, os grupos de peregrinos reunidos em mais de 300 lugares de Roma vão assistir a para peças de teatro, participar em orações, com duração 30 minutos.

O programa prevê uma passagem por diversas basílicas – Santa Maria Maior, S. João de Latrão, de São Paulo fora de muros – a Escada Santa e as Catacumbas de São Calisto, onde esteve sepultado São Tarcísio, padroeiro dos acólitos, com a celebração da Missa.

Para além de Portugal, a Peregrinação Internacional de Acólitos a Roma 2018 conta com mais 17 países registados oficialmente: Antígua e Barbuda, Áustria, Bélgica, Croácia, República Checa, França, Alemanha, Hungria, Luxemburgo, Roménia, Rússia, Sérvia, Eslováquia, Suíça, Ucrânia, Reino Unido, EUA.

A reunião geral tem a coordenação do “Coetus Internationalis Ministrantium”, uma associação europeia de acólitos, com mais de 50 anos de existência, que serve de elo de ligação entre os vários serviços diocesanos e nacionais do setor.

HM/CB/OC

Partilhar:
Share