Pára, olha, regressa!

O Papa Francisco e a Cúria Romana estiveram em Retiro durante uma semana. A novidade feliz desta notícia está no facto de ter sido o P. Tolentino Mendonça, português, a orientar estes exercícios espirituais no Vaticano. Mas, antes de entrar em Retiro, o Papa brindou a Igreja o e mundo com uma excelente reflexão sobre o tempo da Quaresma que estamos a viver e os desafios que nos são lançados hoje. Refiro-me à homilia que proferiu em Roma na quarta-feira de cinzas. Vou apenas apresentar alguns recortes:

‘O tempo de Quaresma é propício para corrigir os acordes dissonantes da nossa vida cristã e acolher a notícia sempre nova, feliz e esperançosa da Páscoa do Senhor. Na sua sabedoria materna, a Igreja propõe-nos prestar especial atenção a tudo o que possa arrefecer e oxidar o nosso coração crente.

Múltiplas são as tentações, a que nos vemos expostos. Cada um de nós conhece as dificuldades que deve enfrentar’.

‘Há três palavras que nos são oferecidas para «aquecer o coração crente»: para, olha e regressa.

Para um pouco, deixa esta agitação e este correr sem sentido que enche a alma de amargura sentindo que nunca se chega a parte alguma(…). Para um pouco com o olhar altivo, o comentário ligeiro e desdenhoso que nasce de se ter esquecido a ternura, a compaixão e o respeito pelo encontro com os outros, especialmente os vulneráveis, feridos e até imersos no pecado e no erro(…). Para, para olhar e contemplar!’.

Olha os sinais que impedem de se apagar a caridade, que mantêm viva a chama da fé e da esperança. Rostos vivos com a ternura e a bondade de Deus, que age no meio de nós(…). Olha os rostos interpeladores das nossas crianças e jovens carregados de futuro e de esperança, carregados de amanhã e de potencialidades que exigem dedicação e salvaguarda(…).

Olha e contempla o rosto do Amor Crucificado, que continua hoje, a partir da cruz, a ser portador de esperança; mão estendida para aqueles que se sentem crucificados, que experimentam na sua vida o peso dos fracassos, dos desenganos e das desilusões(…). Olha e contempla o rosto concreto de Cristo crucificado por amor de todos sem exclusão. De todos? Sim; de todos’.

‘Para, olha e regressa. Regressa à casa de teu Pai. Regressa sem medo aos braços ansiosos e estendidos de teu Pai, rico em misericórdia (cf. Ef 2, 4), que te espera!

Regressa! Sem medo: este é o tempo oportuno para voltar a casa, a casa do «meu Pai e vosso Pai» (cf. Jo 20, 17). Este é o tempo para se deixar tocar o coração… Permanecer no caminho do mal é fonte apenas de ilusão e tristeza. A verdadeira vida é outra coisa muito diferente, e bem o sabe o nosso coração.

Para, olha e regressa!’.

Que estas palavras do papa Francisco nos ajudem a viver com profundidade o tempo exigente da Quaresma que nos abrirá, de par em par, as portas da manhã de Páscoa.

 

Tony Neves

Partilhar:
Share