Tony Neves

O Papa Francisco aproveitou o simbólico dia de Pentecostes para publicar a mensagem para o Dia Mundial das Missões, que será a 21 de Outubro. Ora, nessa altura, decorrerá o Sínodo sobre os Jovens, a Fé e o Discernimento Vocacional. Por isso, o Papa faz com que a Missão, este ano, tenha o ritmo, a cor e a festa dos jovens. Diz: ‘Ser atraídos e enviados são os dois movimentos que o nosso coração, sobretudo quando é jovem, sente como forças interiores do amor que prometem futuro e impelem a nossa existência para a frente’.

Há que anunciar Cristo, sendo Igreja. Por isso, o Papa lança um desafio às novas gerações: ‘queridos jovens, não tenhais medo de Cristo e da sua Igreja!’. E cita o exemplo enorme de tantos homens e mulheres que deram a vida por Cristo, sendo mártires, por amor do Evangelho e ao serviço dos irmãos.

A nossa Missão – recorda o Papa na mensagem – é a de levar o Evangelho a todas as pessoas, no mundo inteiro. É um grande desafio, difícil, mas possível com a força do Espírito Santo. A chave da transmissão da fé hoje é ‘o contágio do amor, onde a alegria e o entusiasmo expressam o sentido reencontrado e a plenitude da vida’. Para quem tem dúvidas e se sente pequeno para tão grande missão, Francisco lembra: ‘ao amor não se pode colocar limites: forte como a morte é o amor!’.

A Missão não pode ter fronteiras, é ‘ad gentes’. Somos enviados às periferias e margens. Francisco diz que ‘a periferia mais desolada da humanidade carente de Cristo é a indiferença à fé ou mesmo o ódio contra a plenitude divina da vida’.

Cruzar Missão com Jovens implica uma visita ao mundo digital onde as novas gerações navegam: ‘as redes sociais, que nos envolvem e entrecruzam, diluem fronteiras, cancelam margens e distâncias, reduzem as diferenças. Tudo parece estar ao alcance da mão: tudo tão próximo e imediato…E, todavia, sem o dom que inclua as nossas vidas, poderemos ter miríades de contactos, mas nunca estaremos imersos numa verdadeira comunhão de vida. A Missão até aos confins da terra requer o dom de nós próprios’.

O Papa termina com um incentivo ao voluntariado missionário, ‘promovendo a dignidade humana e testemunhando a alegria de amar e ser cristão’.

Cruzando o Dia Mundial das Missões com o Sínodo sobre os Jovens, Francisco diz às novas gerações que é importante serem ‘discípulos missionários cada vez mais apaixonados por Jesus e pela sua Missão’.

Partilhar:
Share