«”Compartilhemos com gestos concretos de solidariedade o caminho dos migrantes e dos refugiados», escreveu Francisco, no Twitter

Cidade do Vaticano, 17 jun 2018 (Ecclesia) – A confederação internacional da Cáritas vai promover entre hoje e 24 de junho uma campanha de sensibilização em favor dos migrantes e refugiados, com a participação de Portugal.

A “Semana Global de Ação”insere-se na iniciativa the Journey’ (partilhe a viagem), inaugurada pelo Papa em setembro de 2017.

“Compartilhemos com gestos concretos de solidariedade o caminho dos migrantes e dos refugiados. #sharejourney”, escreveu hoje o Papa Francisco na sua conta do Twitter.

“A finalidade da iniciativa é ser a resposta concreta das Cáritas de todo o mundo ao apelo do Papa Francisco para reforçar a cultura do encontro”, explica a organização católica.

A Semana de Ação, a propósito da celebração do Dia Mundial do Refugiado (20 de junho), vai ser marcada por eventos de partilha com migrantes e refugiados, para romper “medos e preconceitos”.

O primeiro-Ministro, António Costa, vai estar presente a 20 de junho, na iniciativa «Vem e Partilha o teu Pão», que se realiza entre as 17h00 e as 19h30 no Salão Almada Negreiros, na Gare Marítima da Rocha Conde d’Óbidos, em Lisboa.

A atividade, promovida pela Conferência Episcopal Portuguesa e a Cáritas Portuguesa, tem intervenções de Eugénio da Fonseca, Bacelar Vasconcelos e o padre Manuel Barbosa, seguindo-se um painel com testemunhos de vida, lê-se no programa enviado à Agência ECCLESIA.

Joana Balaguer (Brasil), Rafat (Síria) e o padre Paulo Duarte (Portugal) são os oradores do painel «Vem e Partilha o teu Pão», refere a nota.

O secretário-geral da Cáritas Internacional apelou aos governos para que parem de encarar os migrantes e refugiados como uma “problema” e incentivem a “políticas de acolhimento mais humanas”.

Numa entrevista ao portal Vatican News, inserida na Semana de Ação Global, Michel Roy começa por lembrar que os migrantes e refugiados “não partem para fazer turismo”, mas sim porque são “forçados” a isso pela situação que enfrentam nos seus países de origem.

“São pessoas que sofreram muito e sofrem ainda e precisam de encontrar pessoas com olhos, mentes e corações abertos”, sustenta aquele responsável, para quem esta Semana de Ação Global (de 17 a 24 de junho) pode ser uma boa oportunidade para enraizar esta necessidade e para educar para a “cultura do encontro” que o Papa Francisco tem vindo a defender.

A par deste projeto, a Cáritas Internacional tem também a decorrer a campanha “Partilhar a Viagem”, que procura sensibilizar as comunidades e os países para toda esta problemática da crise dos migrantes e refugiados.

Em causa está a promoção de gestos concretos, de comunhão e de encontro, que permitam também a troca de experiências e uma maior consciencialização das pessoas para as dificuldades que migrantes e refugiados enfrentam.

Para o secretário-geral, estando a ‘Semana de Ação Global’ virada para a temática da refeição, “partilhar” um almoço ou um jantar com um deslocado ou refugiado seria “uma oportunidade bonita” para “dialogar, debater e ouvir mais as histórias das pessoas”.

Todos nós precisamos de uma sociedade mais humana e não desumana. Não devemos recusar humanidade a essas pessoas que vêm. Organizar uma refeição, e cada um pode fazer isso, é muito importante: criar oportunidade de encontrar as pessoas, que causam medo a muita gente, quando na verdade são eles que estão com muito medo”, frisa Michel Roy.

JCP/OC

Partilhar:
Share