Francisco recebeu artistas e organizadores do concerto de Natal no Vaticano, cuja verba reverte a favor de projetos solidários no Uganda e no Iraque

Foto Vatican News

Cidade do Vaticano, 14 dez 2018 (Ecclesia) – O Papa destacou hoje a importância de criar redes de educação para responder à crise migratória, durante um encontro com os artistas e organizadores do concerto de Natal deste ano no Vaticano.

“Criar rede com a educação significa permitir às pessoas que fiquem em pé, para que se coloquem em caminho com plena dignidade”, sustentou Francisco.

O Papa argentino sublinhou também a relevância deste género de aposta para “escancarar os portões dos campos de refugiados” e ajudar os “jovens imigrantes a se inserirem nas novas sociedades”, através da “solidariedade e da generosidade”.

O concerto de Natal do Vaticano, que vai ser gravado este sábado dia 15 de dezembro, com a Orquestra Universal Sinfónica Italiana, na Sala Paulo VI, reverter este ano a favor de projetos de apoio ao Iraque e ao Uganda.

No Iraque, ainda bastante afetado pela guerra, o objetivo desta iniciativa solidária é apoiar crianças, através da “criação de redes entre várias entidades ligadas à educação” e também do envolvimento de “escolas e universidades italianas”.

Quanto ao Uganda, a prioridade neste momento é ajudar cerca de 40 mil refugiados provenientes do Sudão do Sul, que encontraram refúgio naquele país vizinho.

O concerto, que vai contar com a participação de cantores como Anastacia, Dee Dee Bridgewater e Raphael Gualazzi, e dos bailarinos argentinos Miguel Angel Zotto e Daiana Guspero, será depois transmitido a nível mundial no dia 24 de dezembro pelo Canal 5 da televisão italiana.

Com os dividendos do concerto de Natal, a organização espera contribuir para a resposta às necessidades mais prementes daquelas pessoas, de modo especial dos mais novos que vivem no campo de refugiados de Palabek, para que estes tenham também acesso a soluções ao nível da educação e formação.

Os projetos nos dois países contam respetivamente com o envolvimento da Fundação ‘Scholas Occurentes’, uma rede internacional patrocinada pelo Papa Francisco; e da Missão D. Bosco, da congregação salesiana.

No encontro desta sexta-feira, o Papa enalteceu os projetos que estão a ser desenvolvidos pelas Missões D. Bosco no Uganda, e pela ‘Scholas Occurrentes’ no Iraque.

Francisco encorajou os organizadores e os artistas do concerto que está a ser preparado para o Vaticano a “acenderem no coração de todos”, através do seu trabalho, “o calor e a ternura do Natal”.

A par da Orquestra Universal Sinfónica Italiana, dirigida pelos maestros Renato Serio e Stefano Zavattoni, estarão em ação o coro de gospel New Direction Tennessee State, dos Estados Unidos da América, os solistas da Academia Art Voice, e o coro infantil ‘Le Dolci Note’, sob a orientação do maestro Alessandro Bellomaria.

JCP

Partilhar:
Share