Miguel Oliveira Panão (Professor Universitário), Blog & Autor

Se a tua esposa, ou esposo, amigo, amiga ou familiar te deixar uma mensagem, escrita ou falada, que diz apenas: “Liga-me. Temos de falar.” Em que pensas? Bom, posso dizer-te em que penso… “que asneira terei feito?”

Não sei por que razão, mas temos uma tendência natural para pensar no que de negativo pode acontecer na nossa vida.

Se te descrever a cena de um filme como – “Um carro viaja na estrada e dentro dele uma família canta, feliz. Todos estão contentes e dirigem-se para férias quando, de repente,…” – qual o primeiro pensamento que te veio à cabeça? Positivo? Na maior parte de nós, o mais certo é que tenha sido algo negativo. Lembro-me de quando estive diante deste exercício que pensei logo num camião que choca de lado com este carro iniciando a tragédia desta família.

Aparentemente estamos inclinados para a tragédia, o drama… o negativo. Porquê? De onde vem a tendência para pensar sempre no pior cenário? É, simplesmente, uma natural falta de optimismo?

A socióloga Brené Brown na sua investigação observou que existe uma relação entre a alegria, ou pensar positivamente, e a gratidão activa. Ou seja, as pessoas que são alegres por natureza praticam a gratidão activa. Inicialmente poderíamos pensar o contrário, isto é, se estás alegre, então, deves ser grato. Mas acaba por ser a prática da gratidão que pode trazer alegria para a vida das pessoas.

Como praticar a gratidão? Três sugestões.

Refeições

Há quem reze às refeições, e há quem não o faça, mas agradecer por alguma coisa é universal e pode fazer parte integrante do momento da refeição em família. Por outro lado, acaba por ser uma janela para aquilo que cada um está a viver e isso aproxima-nos uns dos outros.

Diário

Algumas pessoas escrevem todos os dias algo pelo qual estão gratas. Na minha experiência, desde há algum tempo que tenho um “Diário Positivo” onde escrevo algo que bom que aconteceu nesse dia. Sem me aperceber, isso é, de certo modo, praticar a gratidão. É muito bom e ajuda, diariamente, a ganhar uma perspectiva mais positiva sobre a vida.

Agradecer

Muitas pessoas têm o hábito, por assim dizer, de pedir desculpa por tudo e por nada. E se o hábito mudasse para agradecer? Que impacto teria na tua vida se procurasses mais agradecer algo ao outro, cada próximo, em vez de pedir desculpa? Por exemplo, quando tenho de pisar o chão molhado que a senhora da limpeza acabou de limpar costumava pedir desculpa por estragar o trabalho. E se passasse a agradecer por manter o chão limpo e cheiroso?

Partilhar:
Share