D. Manuel presidiu a cerimónia de ordenações de quatro sacerdotes e um diácono

Porto, 09 jul 2018 (Ecclesia) – O bispo do Porto presidiu este domingo à ordenação de quatro padres e um diácono, aos quais pediu que sejam pessoas capazes de “absorver os valores e a espiritualidade do seu povo”.

“O padre é um homem que nasce num determinado contexto humano e, sem cortar as raízes com esse contexto, serve. É um homem que absorve os valores e a espiritualidade do seu povo. E vive a partir daí para o seu povo”, afirmou D. Manuel Linda, numa homilia citada pelo jornal diocesano, ‘Voz Portucalense’.

A celebração que decorreu na Catedral do Porto contou com a presença dos bispos auxiliares D. António Taipa, D. Pio Alves e D. António Augusto Azevedo.

Os novos padres são Vasco Alexandre Domingues Soeiro, do clero diocesano; Ariosto dos Santos Nascimento (Brasil) e Celestin Bizimenyera (Ruanda), do seminário ‘Redemptoris Mater’; e Pedro Manuel Gomes de Sousa, dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos).

O diácono é Alfredo Tumbo Júnior (Moçambique), da Sociedade Missionária da Boa Nova.

Na sua homilia, D. Manuel Linda sublinhou que Jesus “vem ao encontro como pessoa portadora de específicas raízes para dizer a todos: ‘Quem me vê, vê o Pai’”.

O bispo do Porto disse que, para os que abraçam a vocação sacerdotal, “as raízes familiares” são importantes, pois é a partir daí que todos são “pessoas concretas, portadores de um sacerdócio concreto, para a salvação de pessoas concretas”.

“Não queremos padres cogumelos, padres sem raízes”, advertiu.

D. Manuel Linda apresentou ainda outras três características para a vida do padre: “ser um difusor de serenidade”, ser um “apóstolo de alegria” ser um homem de “coração formado” para ajudar a “formar pessoas”.

OC

Partilhar:
Share