D. Manuel Linda presidiu a Missa na Catedral, no 1.º aniversário do falecimento do seu predecessor

Porto, 12 set 2018 (Ecclesia) – O bispo do Porto recordou esta terça-feira o “exemplo de simplicidade” do seu predecessor, D. António Francisco dos Santos, na homilia da Missa de sufrágio celebrada pelo 1.º aniversário do falecimento do prelado.

“A vida dele era de simplicidade, se alguma coisa o caracterizava era a simplicidade, tão simples que as pessoas gostavam. Não gostam de facto das coisas complicadas, a simplicidade que lhe vinha, porventura da natureza dele mas trabalhada pela dimensão religiosa”, disse D. Manuel Linda.

Na celebração acompanhada pela Agência ECCLESIA, o bispo do Porto explicou que a simplicidade de D. António Francisco dos Santos era “um dado trabalhado pela profunda espiritualidade”.

D. Manuel Linda salientou que as crianças “encontram tudo no pouco”, já os homens adultos encontram “pouco no tudo” e, por isso, desprezam Deus.

“A simplicidade é a primeira ordem das coisas, Deus é simples, nós é que complicamos, é que complexizamos a realidade e daqui geramos angústia”, desenvolveu, perante centenas de pessoas.

Para o atual bispo do Porto, a figura de António Francisco dos Santos congregou a diocese, como alguém que “não se afasta da multidão, nem a multidão dele”, porque dele saía uma força que “a todos sarava”, transmitia o “ânimo, contentamento”, que “só os grandes são capazes de transmitir”.

“A simplicidade maior não é apenas a relação com as coisas, é no modo de ser e viver”, referiu D. Manuel Linda, lembrando que “é a atitude de Jesus” que “manda ser prudentes com as serpentes mas simples como as pombas”.

“A sinceridade é a forma da verdadeira grandeza”, observou.

A data de 11 de setembro passa a ser o dia anual de sufrágio pelos bispos, sacerdotes e diáconos já falecidos, na Diocese do Porto.

Foto: João Lopes Cardoso/Diocese do Porto

O aniversário da morte de D. António Francisco dos Santos foi também evocado pela Associação Comercial do Porto, a Irmandade dos Clérigos e a Santa Casa da Misericórdia do Porto com a atribuição do primeiro ‘Prémio D. António Francisco’, que distinguiu dois projetos dos Jesuítas portugueses, o Centro de São Cirilo e o trabalho na Unidade Habitacional de Santo António, respetivamente de apoio aos refugiados e à população desfavorecida na cidade do Porto.

D. António Francisco dos Santos, natural da Paróquia de Tendais, Diocese de Lamego, faleceu a 11 de setembro de 2017, aos 69 anos, na Casa Episcopal da Diocese do Porto, devido a um problema cardíaco; o Papa São João Paulo II nomeou-o bispo auxiliar de Braga, a 21 de dezembro de 2004; Bento XVI escolheu-o como bispo de Aveiro, em setembro de 2006; e o Papa Francisco nomeou-o bispo do Porto em fevereiro de 2014.

CB/OC

Partilhar:
Share