«O turismo é um sinal dos tempos a exigir de nós decisão e audácia», refere diretor do organismo católico

Santarém, 10 out 2018 (Ecclesia) – O diretor da Obra Nacional da Pastoral do Turismo (ONPT), da Igreja Católica em Portugal, apresentou as áreas das “dioceses, património e acolhimento” como prioridades do organismo para o triénio 2018/2020, esta terça-feira, no Museu Diocesano de Santarém.

Na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA, o padre Carlos Godinho realça que a ONPT não vai descurar dos “outros âmbitos de ação” de um setor que “não se resume apenas ao turismo religioso ou ao cuidado com a fruição do património”.

“O trabalho com as dioceses e a criação de serviços diocesanos de pastoral do turismo; a disponibilização do património religioso aos turistas, como meio singular de evangelização, criando condições de acesso e fruição integral desse património; e a formação para o acolhimento, como ação prioritária de toda a pastoral do turismo”, são prioridades da Obra Nacional da Pastoral do Turismo apresentadas pelo seu diretor.

O sacerdote da Diocese de Coimbra assinalou que o âmbito de ação da ONPT “é alargado” e vão cuidar de todos os aspetos “com enfoque para as prioridades enunciadas”.

“É sua missão cuidar ainda, em conformidade com os seus âmbitos de ação, do turismo de lazer, o turismo dos cristãos, peregrinações e santuários, termalismo, bem como todas as demais práticas turísticas”, desenvolveu.

O padre Carlos Godinho explicou que a Obra Nacional da Pastoral do Turismo não tem outro desígnio “senão servir a Igreja, assumindo a missão prioritária da evangelização” e este setor, no contexto atual da realidade nacional, “não pode passar ao largo da solicitude eclesial”.

“[O turismo] deve merecer uma ação determinada da Igreja, na capacidade de responder às necessidades humanas e espirituais de uma imensidão de visitantes que, a cada ano, nos procuram”, referiu, observando que o turismo exige “decisão e audácia”.

O encontro de apresentação das prioridades para o biénio 2018/2020 começou com a conferência ‘A Pastoral do Turismo na Missão da Igreja’, apresentada pelo presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana e bispo de Santarém, D. José Traquina.

Criada em 2012, a Obra Nacional da Pastoral do Turismo, da Conferência Episcopal Portuguesa, iniciou esta terça-feira o seu terceiro mandato.

O seu diretor, o padre Carlos Godinho, foi reconduzido na Assembleia Plenária do episcopado português, em abril deste ano, e a equipa nacional foi aprovada a 1 de setembro.

CB/OC

Partilhar:
Share