«Sai da tua bolha – Uma conversa “sem filtros” sobre a Igreja» – 5 oradores, 5 movimentos

Foto Ponto SJ

Lisboa, 25 out 2018 (Ecclesia) – ‘Sai da tua bolha’ foi o imperativo que levou cinco jovens portugueses com realidades de fé diferentes a terem “uma conversa ‘sem filtros’ sobre a Igreja” a quem pedem acompanhamento e formação, convidados pela Companhia de Jesus (Jesuítas).

Em declarações à Agência ECCLESIA, Ariana Rodrigues revelou que pede à Igreja uma “melhoria na formação dos jovens” que hoje “precisam de se sentir mais motivados e chamados”.

Da Paróquia da Amora, na Diocese de Setúbal, a entrevistada, que faz parte do Grupo ‘Jovem Levanta-te’, conhecidos pela sua evangelização através do teatro negro, alerta para a “pouca divulgação” e manifesta-se “sempre disponível para ajudar em cada missão” que tenha na Igreja e a “ajudar o próximo”.

“Que esta relação de proximidade, que se tem vindo a falar muito no Sínodo seja cada vez mais aprofundada”, deseja Maria Correia, do Movimento Católico de Estudantes (MCE).

A coordenadora nacional do MCE espera que os jovens “se venham a sentir sujeitos, escutados e não apenas ouvidos”.

“Que seja cada vez mais esta marca de acompanhamento para cada um dos jovens” (Tomás Virtuoso).

O membro do Secretariado Internacional das Equipas Jovens de Nossa Senhora espera que cada jovem “se possa sentir acompanhado em todas as dimensões da sua vida, nas suas fragilidades, nos seus defeitos”, mas também que possa “ser desafiado, cada vez mais, a ser mais santo”.

Do Porto, mas a residir na Paróquia de São Nicolau, em Lisboa, Bernardo Brochado pede que a Igreja seja “fiel aquilo que é a mensagem de Cristo e que Cristo pede”, porque a Igreja “não precisa mudar, é santa”, mas os seus membros é que têm de se “conseguir aproximar mais dela todos os dias”.

É muito importante renovar aquele convite que foi feito no Concílio Vaticano II universal à santidade, em todas as dimensões da nossa vida, não de sermos santinhos ou beatinhos (Bernardo Brochado).

O Corpo Nacional de Escutas (CNE), o maior movimento de jovens em Portugal, também esteve representado pela Ana Mano Costa, que “gostava de pedir à Igreja” que seja “pobre para os pobres, que vai às periferias”, como pediu “o Papa Francisco quando iniciou o seu pontificado”.

“Às vezes sentimos um bocadinho que os centros estão cheios de movimentos, de grupos de jovens, de muita proposta”, acrescentou a jovem Caminheira do CNE (18 aos 22 anos).

‘Sai da tua bolha – Uma conversa “sem filtros” sobre a Igreja’ foi uma iniciativa dos Jesuítas em Portugal, organizada pelo sítio online ‘Ponto SJ’ e pelo Centro Universitário Padre António Vieira, (CUPAV), e decorreu esta quarta-feira, na Fábrica do Braço de Prata, em Lisboa.

Foto Ponto SJ

Para o diretor do CUPAV, o padre João Goulão, o objetivo desta iniciativa era a “promoção da cultura do diálogo”, a cultura de conhecer as histórias de fé de cada um dos cinco jovens, um diálogo verdadeiro como carisma da própria Igreja”.

O padre José Maria Brito, responsável pelo ‘Ponto SJ’, espera que nos ambientes digitais e fora dele as pessoas se possam “interrogar sobre o seu papel na Igreja, no mundo”.

“Temos consciência que as propostas que fazemos muitas vezes são desafiadoras e também da exigência do sentido critico”, referiu o padre José Maria Brito.

O encontro ‘Sai da tua bolha – Uma conversa “sem filtros” sobre a Igreja’ foi promovido pelos Jesuítas, quando decorre em Roma a última semana do Sínodo dos Bispos 2018 sobre o tema ‘os jovens, a fé e o discernimento vocacional’, e termina este domingo, 28 de outubro, no Vaticano.

CB/PR

Partilhar:
Share