Lisboa, 16 mai 2018 (Ecclesia) – O GTIR – Grupo de Trabalho Inter-Religioso (em saúde) vai promover hoje uma conferência sobre a eutanásia que envolve diversas Igrejas e comunidades religiosas em Portugal.

A iniciativa decorre na Academia das Ciências de Lisboa, com início agendado para as 15h30, concluindo-se com a assinatura de uma declaração conjunta sobre a eutanásia.

O coordenador nacional das capelanias hospitalares considera que o debate da eutanásia é “preocupante” porque mostra o quanto a sociedade perdeu a noção de “acompanhamento da pessoa no sofrimento”.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, o padre Fernando Sampaio frisa que é “exatamente quando a vida mais está em perigo” que “mais respeito” deve existir por ela.

“Se nós não reconhecemos a dignidade da pessoa humana, a sua dimensão única, exatamente nesses momentos, quando é que a vamos reconhecer?”, aponta o sacerdote, para quem é fundamental recuperar estes valores, “essas dimensões quer ao nível da sociedade quer às vezes da própria família”.

Em relação à conferência sobre a eutanásia, com a participação de elementos de várias Igrejas e comunidades religiosas em Portugal, responsável sublinha que “as religiões têm uma mensagem muito importante sobre a vida e a morte, no sentido da esperança”.

“É importante percebermos que neste sentido estamos todos em comum, ou seja, todos nós valorizamos a vida”, explica o padre Fernando Sampaio.

O GTIR (Grupo de Trabalho Religiões/Saúde) engloba as comunidades Islâmica, Israelita, Budista, Hindu e Baha’i, as Igrejas Adventista, Ortodoxa e Católica, a Aliança Evangélica e o Conselho Português de Igrejas Cristãs (COPIC).

O programa prevê um primeiro painel sobre o contributo das religiões para a Bioética, seguindo-se uma conferência de Walter Oswald, médico e especialista em Bioética que a Igreja católica distinguiu com a edição de 2016 do Prémio Árvore da Vida – Padre Manuel Antunes.

A iniciativa conclui-se com uma mesa-redonda que integra participantes de todas as religiões presentes, com a participação anunciada do cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.

A declaração conjunta a assinar pelos representantes das várias religiões vai ser entregue ao presidente da República Portuguesa.

A 29 de maio vão estar em debate na Assembleia da República quatro projetos-lei relacionados com a legalização da eutanásia; para o mesmo dia está convocada uma manifestação de vários movimentos contrários à legalização da Eutanásia, como a Federação Portuguesa pela Vida.

Antes, no dia 24 de maio, o ‘Stop Eutanásia’ promove a manifestação ‘Os Portugueses Não querem a eutanásia’, às 12h30, diante do Palácio de São Bento.

HM/JPC/OC

Partilhar:
Share