Dois sacerdotes estão entre as vítimas de ataque a igreja e campo de refugiados

Cidade do Vaticano, 16 nov 2018 (Ecclesia) – O Vaticano denunciou hoje o que classifica como “massacre” acontecido diante da Catedral de Alindao, onde se encontrava um campo de refugiados, que terá provocado pelo menos 42 mortos.

Dezenas de rebeldes lançaram um ataque armado, na quinta-feira, considerado como resposta da denominada Unidade para a Paz na República Centro Africana ao assassinato de um muçulmano às mãos dos “anti-Balaka”.

O portal de notícias do Vaticano fala da morte de dois sacerdotes e de refugiados “queimados vivos”, durante o ataque.

A igreja de Alindao e uma parte do campo de deslocados que está na localidade foram incendiados, adiantou uma fonte da ONU.

A República Centro-Africana vive uma onda de violência desde 2013, após a queda do presidente François Bozizé por vários grupos reunidos na designada Séléka (coligação, na língua local), o que suscitou a oposição de outras milícias, os chamados “anti-Balaka”.

OC

Partilhar:
Share