Crónica dos principais acontecimentos eclesiais entre outubro e dezembro

Outubro

O dia 13 de outubro marcou o final das celebrações do Centenário das Aparições, com várias iniciativas e uma mensagem do Papa Francisco.

Em outubro na Cova da Iria, celebrava-se a peregrinação aniversária e a noite de dia 12 fechava com uma projeção multimédia na fachada do Santuário. Um momento de grande efeito visual que era também a versão audiovisual da própria mensagem de Fátima e da história do século XX onde Fátima se fez presente em muitas ocasiões.

Em outubro já se pensava no outono quando o país ardeu em proporções nunca imaginadas. Com parte do dispositivo de combate aos fogos já desmobilizado, a Proteção Civil e o Estado voltaram a mostrar fragilidade.

No Vaticano, o Papa recebeu uma delegação da Universidade Católica Portuguesa, por ocasião do 50.º aniversário desta instituição. Francisco proclamou como santo o sacerdote português Ambrósio Francisco Ferro, morto no Brasil a 3 de outubro de 1645 durante perseguições anticatólicas, por tropas holandesas.

A 1 de outubro, com uma pulseira de identificação amarela, o Papa entrou este domingo num centro para migrantes e refugiados em Bolonha, onde foi recebido em festa, para deixar uma mensagem contra o medo e em favor do acolhimento de todos.

 

Novembro

Foi em novembro que a Diocese de Santarém acolheu o seu novo bispo. D. José Traquina sucedendo assim a D. Manuel Pelino, assumindo esta diocese ribatejana. Testemunhar e propor, foram dois propósitos anunciados na sua entrada solene, com D. José Traquina a sublinhar a importância da família e da comunidade cristã, mas também da hierarquia… todos devem desenvolver um trabalho conjunto e de proximidade.

No I Dia Mundial dos Pobres, o Papa Francisco denunciou no Vaticano a “indiferença” perante os problemas dos mais necessitados, considerando que esta omissão é “o grande pecado contra os pobres”. Simbolicamente, 1500 pobres almoçaram com o Papa.

Por cá, a plataforma católica ‘Click to Pray’ foi apresentada na Web Summit, num sinal de que a proposta religiosa já ganhou um lugar no ambiente tecnológico e que dever ser aposta firme da Igreja Católica.

‘Portugal Católico – A Beleza da Diversidade’ retrata o catolicismo no país contemporâneo, ao longo de 14 capítulos e 800 páginas, com diversos temas e autores. Foi apresentada em novembro na Aula Magna, em Lisboa.

A Diocese de Viana do Castelo começou a celebrar os seus 40 anos de fundação e a viver um Ano Jubilar, com a abertura da Porta Santa na Sé.

Neste mês a CEP inaugurava a sua nova sede. Fica na Quinta do Bom Pastor e recupera uma antiga construção senhorial do século XVII.

O IV Encontro Nacional de Leigos, que decorreu em Viseu, deixou propostas de contemplação do universo, descoberta da beleza e encontro com a esperança

 

Dezembro

De 26 de novembro a 2 de dezembro, o Papa visitou o Mianmar e Bangladesh, numa viagem marcada pela crise dos refugiados Rohingya.

Na sua mensagem de Natal, o Papa denunciou este ano o sofrimento das crianças, recordando as crises na Terra Santa, Iraque, Síria, Iémen, Coreia do Norte e Venezuela, entre outras. Antes, na Missa da Noite, lembrou a ternura revolucionária do presépio e as famílias obrigadas a partir das suas terras.

Em Portugal, a mensagem do cardeal-patriarca recordou os trágicos incêndios florestais e a grande solidariedade das populações. Num ano marcado pelo debate sobre a legalização da eutanásia, D. Manuel Clemente afirmou também que é necessário acompanhar os idosos “até ao fim natural das suas vidas”.

O jornalista João Francisco Gomes, do ‘Observador’, foi distinguido com o prémio de jornalismo D. Manuel Falcão, do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais, pela sua “entrevista de vida” a D. António Marto, bispo de Leiria-Fátima.

Em Roma, o padre José Alfredo Patrício, da Diocese de Lamego, tomou posse como reitor do Pontifício Colégio Português.

HM/OC

Partilhar:
Share