Entrega da distinção decorreu no final de um debate sobre «erradicação da fome», no Mercado do Livramento

Setúbal, 20 set 2018 (Ecclesia) – A Fundação Inatel homenageou o primeiro bispo da Diocese de Setúbal, D. Manuel Martins, que faleceu em 2017, com o Prémio ‘Sustentabilidade Inatel – Inclusão social de todos os cidadãos’ num debate sobre a erradicação da fome, realizado esta quarta-feira.

“É uma homenagem pelo que representou, enquanto exemplo de cidadão empenhado na inclusão dos cidadãos mais desfavorecidos”, afirmou José Manuel Alho em declarações à Agência ECCLESIA, no Mercado do Livramento, em Setúbal.

A Fundação INATEL está a promover debates sobre os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, da Agenda 2030 das Nações Unidas, e o vogal do conselho de administração contextualizou que “todos os dramas e dinâmicas sociais que aconteceram” em Setúbal, com a crise dos anos 80, “justificavam que fosse a cidade escolhida” para refletirem sobre erradicação da fome.

“Obviamente que teve uma figura de referência, que foi o bispo D. Manuel Martins”, realçou.

Neste contexto, a fundação privada de utilidade pública atribuiu o Prémio ‘Sustentabilidade Inatel – Inclusão social de todos os cidadãos’ a título póstumo a D. Manuel Martins, o primeiro bispo de Setúbal (1975-1998), que faleceu aos 90 anos, a 24 de setembro de 2017.

Quem recebeu a distinção foi Arnaldo Cerqueira, sobrinho de D. Manuel Martins, que realçou que o tema do debate ‘Erradicar a fome’ “não podia estar mais ligado” ao seu tio, uma vez que quando chegou à nova diocese “entrou em fundo nesse problema”.

“Uma homenagem é sinal que ele está vivo para todos, a mim pessoalmente agrada-me”, acrescentou nas declarações à Agência ECCLESIA.

Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa, que é natural da diocese sadina e acompanhou o bispo desde que chegou a Setúbal, destacou que a homenagem “enaltece o trabalho corajoso de um pastor” que encontrou uma Igreja com “ovelhas destroçadas por uma crise sem história” nesta zona.

“Não fora a intervenção do bispo e podemos ter a certeza que esse sofrimento seria muito maior e as consequências muito mais gravosas”, realçou, sobre um bispo “que se pôs ao lado do povo, contraventos e marés” e “comungou o drama destas pessoas”.

Neste contexto, recordou que “correndo todos os riscos, sem medo”, D. Manuel Martins criou o Fundo Diocesano de Solidariedade, em 1984, “importantíssimo para suavizar o sofrimento de muitas famílias”.

Já o atual bispo da diocese sadina, D. José Ornelas, considerou que estas homenagens “têm um significado muito, muito grande”, porque o reconhecimento de organizações de caráter social “abre também perspetivas de colaboração”.

“D. Manuel Martins insere-se muito bem dentro deste quadro, a sua luta pela dignidade humana, sobretudo a sua luta em favor daqueles que não têm voz e enfrentam maiores dificuldades, que não são capazes de se valer a si próprios para superar dificuldades que não são causadas só por eles”, desenvolveu.

Na próxima segunda-feira, a Diocese de Setúbal vai assinalar o primeiro aniversário da morte de D. Manuel da Siva Martins com uma Eucaristia, às 18h30, na Sé sadina; na Diocese do Porto, a Fundação Spes, da qual o bispo foi presidente, celebra essa data, às 19h00, no Mosteiro de Leça do Balio.

CB/OC

Prémio D. Manuel Martins

Prémio D. Manuel Martins

Publicado por Agência Ecclesia em Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

Partilhar:
Share