Parceria entre Instituto Politécnico de Setúbal e Cáritas Diocesana ajuda utentes a «Recriar-se»

Setúbal, 11 jul 2018 (Ecclesia) – A Cáritas Diocesana e o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) promovem um projeto artístico e de intervenção social que usa a arte como ferramenta de inclusão.

A fotografia e a música ajudam a superar as dificuldades que a vida foi gerando, através do ‘Recriar-se’, que há cerca de três anos está a ser desenvolvido no Centro Social S. Francisco Xavier (CSSFX).

A iniciativa deu origem à sua primeira mostra nas instalações do CSSFX, a 27 de junho, com a presença do bispo de Setúbal, D. José Ornelas, que destacou a importância de investir na “capacidade de relacionamento”.

“Todos se encontraram pelo coração, no relacionamento, numa nova atitude de se olharem a si próprios e de olharem os outros”, disse, em declarações emitidas hoje no Programa ECCLESIA (RTP2).

Ana Gaspar, psicólogo da Cáritas Diocesana de Setúbal, explicou à Agência ECCLESIA que estão em causa “processos inerentes à construção de qualquer relação”

“Trabalhamos todos de igual para igual”, precisou, evocando ~momentos de “avanços e recuos”, “sorrisos e lágrimas”.

O programa contemplou a inauguração da primeira exposição do ateliê de fotografia do projeto, dinamizado por Fernando Pinho, docente da Escola Superior de Educação (ESE/IPS), e um espetáculo pelo grupo de música “Recriar-se”.

O evento foi uma forma de partilhar com a comunidade o caminho percorrido por este projeto de intervenção social através da arte, que permitiu criar “um espaço facilitador da expressão e desenvolvimento pessoal de pessoas em condição de exclusão social”.

OC

Partilhar:
Share