Responsável pelo setor na Igreja Católica em Portugal destaca visão de conjunto que se está a construir

Pastoral Juvenil e Vocacional de Portalegre-Castelo Branco

Fátima, 19 jun 2018 (Ecclesia) – O diretor do Departamento Nacional de Pastoral Juvenil (DNPJ) diz que a caminhada rumo ao próximo Sínodo dos Bispos, dedicado aos mais novos, desafiou a Igreja Católica a uma visão mais de conjunto para o setor.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, o padre Filipe Diniz realçou o trabalho que tem sido feito em conjunto por “todos os responsáveis juvenis, dos secretariados diocesanos, de todos os movimentos e associações”.

Um “diálogo” que se tem revelado “extremamente oportuno” para chegar a “uma planificação muito mais apropriada para a realidade juvenil”, sustentou.

O Vaticano divulgou esta terça-feira o documento que irá reger os trabalhos do próximo Sínodo dos Bispos em Roma, que irá decorrer entre 03 e 28 de outubro subordinado ao tema ‘Os jovens, a fé e o discernimento vocacional’.

Na base deste documento (que está em destaque no portal da Agência ECCLESIA), esteve um questionário, uma auscultação feita aos jovens de todo o mundo e que, para o padre Filipe Diniz, mostrou com “clareza” que os mais novos querem ser voz e parte ativa no futuro da Igreja.

“Esta dimensão da escuta é extremamente importante”, frisou aquele responsável, que se mostrou convicto de que as linhas orientadoras entretanto apresentadas refletem também “a realidade juvenil em Portugal”.

O responsável pelo DNPJ falava no âmbito das Jornadas Pastorais do Episcopado, que estão a decorrer em Fátima, e que este ano têm como tema precisamente a ‘Pastoral Juvenil Vocacional.

Um evento que se vai prolongar até esta quarta-feira, e que conta com a participação dos diversos bispos portugueses, também de sacerdotes e leigos ligados aos setores da Pastoral Juvenil, Vocacional e Familiar.

Presentes estão também três jovens que recentemente estiveram em Roma, em representação de Portugal numa reunião pré-sinodal que decorreu no mês de março, que contou com mais de 300 participantes de todo o mundo.

“É bom que os bispos tenham esta preocupação, de olhar a realidade juvenil, de olhar a juventude. E a partir de aqui torná-la prática, para além da reflexão”, apontou o padre Filipe Diniz.

O sacerdote sublinhou a preocupação da Igreja Católica em abordar de modo especial a dimensão vocacional dos mais novos, que permitirá tocar várias dimensões da vida dos jovens, não só a vocação sacerdotal.

“A dimensão vocacional é algo inerente ao jovem e a qualquer pessoa, o questionar-se porquê, quem sou eu, por onde vou, sinto-me chamado por quem e para quem, é uma realidade muito abrangente”, completou.

Entre os dias 22 e 23 de junho, vai decorrer em Fátima, na Casa de São Nuno, uma reunião do Conselho Nacional da Pastoral Juvenil.

Durante o evento, que será presidido por D. Joaquim Mendes, presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, vão ser debatidos o questionário e o documento preparatório do próximo Sínodo, com o contributo do padre Eduardo Duque, diretor do Serviço Nacional da Pastoral do Ensino Superior.

Presente estará também Joana Serôdio, que integra a equipa do DNPJ e que esteve no pré-sínodo em Roma, em representação da Conferência Episcopal Portuguesa.

JCP

Partilhar:
Share