Frei Fernando Ventura, promotor do projeto, fala em situações de emergência no país lusófono

Lisboa, 11 jul 2018 (Ecclesia) – A Associação ‘Banco de Leite’ lançou um apelo à ajuda alimentar para crianças e idosos da ilha do Príncipe, alertando para situações de emergência no país lusófono.

Em declarações à Agência ECCLESIA, frei Fernando Ventura, promotor do projeto solidário, considerou urgente responder à “emergência alimentar”, procurando ainda apoios para reconstruir o lar Casa Betânia, destinado aos idosos locais.

A Associação Amparo da Criança – Associação de Solidariedade Social, mais conhecida por Banco de Leite, está a ajudar o lar e a cozinha comunitária das Servas da Sagrada Família.

“Têm uma cozinha especial só para refeições para idosos, pobres em geral, e crianças”, que segundo frei Fernando Ventura são as “duas camadas populacionais mais abandonadas em São Tomé, diferentemente de África”.

As religiosas – a irmã Eufrosina, de quase 80 anos, e a irmã Maria da Conceição com 75 anos de idade – têm também na sua casa uma enfermaria onde são prestados “os cuidados de enfermagem na comunidade”.

A solidariedade é necessária para a ajuda alimentar e também para reconstruir o lar de idosos ‘Casa Betânia’, que, atualmente, tem 10 utentes “porque não há condições para mais” na “estrutura antiga, em muito más condições”.

Frei Fernando Ventura recordou que o presidente da República portuguesa “prometeu ajudar”, aquando a visita de Estado a São Tomé e Príncipe, realizada de 20 a 22 de fevereiro.

No dia 6 de julho, o frade Capuchinho encontrou-se com Marcelo Rebelo de Sousa que “estava por dentro da situação e a fazer contactos”.

‘Emergência Príncipe – Operação Daniel’, é o nome atribuído a esta ação de solidariedade de emergência –  Daniel é um menino “de 10 anos com corpo de 6” que frequenta a casa das Servas da Sagrada Família

“Chamou-me a atenção e chama a atenção, uma criança que não ri”, explica frei Fernando Ventura, contando que um dia o Daniel “recebeu uma caixa de Nestum e sorriu”.

O dinheiro angariado tem sido usado para adquirir bens alimentares, entre outros, na ilha do Príncipe, através de uma Viana do Castelo que é proprietária de um armazém grossista no território.

Pequenos gestos, como a oferta de um “um triciclo antigo”, movido à mão, são suficientes para que haja “menos um idoso com dificuldade em caminhar naquela ilha”.

Frei Fernando Ventura informou que a Operação Daniel tinha conseguido até ao momento “2900 euros”, montante que serve “as necessidades para o próximo mês e meio das crianças e idosos” no Príncipe.

O projeto ‘Banco de Leite’ surgiu há 7 anos em São Tomé, após conversa com o bispo local D. Manuel dos Santos, prelado português, quando se descobriu que só “havia leite para três semanas” no antigo orfanato.

“Neste momento, praticamente todos os meses estamos a mandar uma tonelada de leite em pó, sendo que os Açores continuam a fornecer leite em exclusivo para o orfanato, cujas novas instalações foram inauguradas em janeiro, construído com a ajuda da cooperação portuguesa”, contextualiza frei Fernando Ventura.

Dos Açores, acrescenta, vai também o apoio ao Projecto de Desenvolvimento Integrado de Lembá – PDIL, no norte de São Tomé onde se vai abrir este ano “a primeira estufa para hortícolas”.

No local já foi inaugurada uma estrutura de acolhimento de adolescentes grávidas”, que acolhe 60 crianças, e reconstruído “o complexo desportivo das Neves” pago pela Fundação Benfica.

O projeto ‘Banco de Leite’ chegou entretanto a Cabo Verde, pela mão da Associação Synergia, promovendo uma ação de “educação não formal pela arte, música, pintura, escultura, criatividade”.

Esta iniciativa é desenvolvida com os frades Capuchinhos de Cabo Verde, com quem esperam também começar a trabalhar em duas paróquias no sul de São Tomé.

CB/OC

Partilhar:
Share