BRAGANÇA-MIRANDA: Mirandela, Cerejais e Vilas Boas merecem a sua visita

O Verão é propício ao lazer, à degustação da gastronomia genuína, ao conhecimento das gentes, da história e do património, e a Diocese de Bragança-Miranda convida-o a uma visita pela região transmontana.

Em ano pastoral mariano sugerimos um roteiro pelo património religioso das Unidades Pastorais: Senhora do Amparo (Mirandela), Senhora da Assunção (Vila Flor) e Bartolomeu dos Mártires (Alfândega da Fé).

 

Senhora da Encarnação

Situada na zona nobre de Mirandela, a Igreja da Senhora da Encarnação (sécs. XVII e XX) destaca-se pela imponência da sua torre bem como pelo património que a envolve, nomeadamente o Palácio dos Távoras e uma estátua dedicada a S. João Paulo II. A vista sobre a cidade e o rio Tua são magníficas.

O culto é diário (18h00), excepto à 4.ª feira; domingo às 11h30.

 

Imaculado Coração de Maria

O Santuário dos Cerejais (1961), conhecido como “Fátima do Nordeste” e defensor da Mensagem de Fátima é procurado para turismo religioso e da natureza, nomeadamente por ocasião das amendoeiras em flor.

No seu interior existe uma imagem do Imaculado Coração de Maria concebida por José Ferreira Thedim (o escultor da imagem de N Sra de Fátima, venerada na capelinha das Aparições); vitrais de Luís Quico, e na Capela da Santidade repousam em arca-relicário as relíquias dos santos pastorinhos de Fátima, Francisco e Jacinta; de S. João Paulo II; do Beato Bartolomeu dos Mártires; da Beata Alexandrina de Balasar; de Santa Teresa de Calcutá e da Beata Maria do Divino Coração.

Tem merecido a visita de vários cardeais, bispos e inúmeros fiéis. Recentemente reconhecido como Santuário diocesano dispõe de alojamento local.

Culto dominical: 11h00 e 14h30.

 

Senhora da Assunção

De 6 a 15 de agosto, são muitos os devotos que sobem o monte de Vilas Boas (Vila Flor), para participar nas celebrações em honra da Senhora da Assunção, titular daquele que é o maior Santuário diocesano (séc. XIX).

Programa completo da romaria em: https://www.facebook.com/SantuarioNossaSenhoraDeAssuncao/

 

Bruno Luis Rodrigues
 

UCP/Braga: Semana de Estudos Teológicos sobre os santos de hoje

Braga, 17 dez 2013 (Ecclesia) – A Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa – polo de Braga promove a XXII Semana de Estudos Teológicos com o tema “Ser Santo Hoje: Figuras Inspiradoras”, de 17 a 22 fevereiro de 2014, no Auditório Vita.

“À semelhança do ocorrido em edições anteriores, trata-se de um evento que conta com a presença de conferencistas nacionais e internacionais, com o objetivo de debater a figura do santo e destacar alguns nomes considerados uma referência e uma inspiração”, revela a organização.

A Faculdade de Teologia de Braga da Universidade Católica Portuguesa (UCP) num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA apresentou o programa desta semana que “promove seis dias de debate e de reflexão, nos quais se colocam questões relevantes sobre vida, identidade e inspiração”.

O dia 17 de fevereiro começa com a conferência “Modos cristãos de viver”, por Stella Morra, teóloga romana, e no dia seguinte o jesuíta António Júlio Trigueiros apresenta uma conferência dedicada a “D. António Barroso”.

Na quarta-feira, dia 19 de fevereiro, o beneditino André Olim fala sobre “Frei Bernardo Vasconcelos” e no dia 20 o “Padre Abílio Correia é a figura inspiradora” apresentada pelo padre António da Costa Neiva.

A sexta-feira, dia 21 de fevereiro, destina-se a dar a conhecer melhor a “beata Alexandrina de Balasar” com o teólogo e investigador Alexandre Duarte.

Com entrada livre, a XXII Semana de Estudos Teológicos da Faculdade de Teologia da UCP de Braga, de 17 a 21 fevereiro de 2014, começa às 21h30 e decorre no Auditório Vita.

No sábado, dia 22 de fevereiro, a última sessão começa às 9h30m com o tema «Referências Contemporâneas na Construção da Identidade» em dois painéis intitulados «Dinamismos psicossociais de identificação» e «Mediações cristãs de identificação», respetivamente com a psicóloga Ana Caetano, e Carlos Carneiro.

CB/LFS

Braga: Diocese promove semana da saúde

Braga, 07 fev 2012 (Ecclesia) – O Departamento da Pastoral da Saúde da Diocese de Braga, em parceria com a Fundação Alexandrina de Balasar, realiza entre hoje e sábado a semana Arquidiocesana da Saúde, em Balasar.

A iniciativa insere-se na comemoração do Dia Mundial do Doente, assinalado pela Igreja a 11 de fevereiro, e a organização “elegeu como tema principal o Défice Auditivo”, revela o site da diocese bracarense.

O presidente do Centro Regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa, João Duque, profere duas conferências relacionadas com a temática do sofrimento: «Dar a Dor» e «Escuta Ativa».

No Dia Mundial do Doente vai decorrer, no período da tarde, um rastreio auditivo à população, assegurado pelo «Grupo Trofa Saúde» e pelas 16h00, a Eucaristia presidida por D. Jorge Ortiga com a participação de intérpretes de Língua Gestual Portuguesa.

Esta iniciativa conta com a colaboração, em diversas atividades ao longo da semana, do Departamento de Ensino Especial de Surdos, do Agrupamento de Escolas de Lamaçães, “escola de referência neste âmbito”, lê-se no programa

A finalizar, concerto «Aprender a Escutar», com a Escola de Música da Póvoa de Varzim.

LFS

Madre Clara: Beata com carisma universal

Lisboa, 17 mai 2011 (Ecclesia) – A beatificação da irmã Maria Clara do Menino Jesus (1843-1899), marcada para o próximo dia 21 de maio, é vista como o “reconhecimento universal” de um “carisma intemporal”, por Paula Cristina Martins, pró-reitora da Universidade do Minho.

“Animada por uma convicção íntima que concretizou de forma persistente e audaz, contra toda a evidência, mobilizada por uma inexplicável obstinação que a levou além do que prometia a força humana, a Irmã Maria Clara teve na sua fé a alavanca que lhe permitiu mover obstáculos, contornar as dificuldades, converter as ameaças em oportunidades”, escreve a responsável universitária, na mais recente edição do semanário Agência ECCLESIA, hoje publicado.

A ‘Mãe Clara’, como é popularmente conhecida, fundou a Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição (CONFHIC), hoje presente em dezenas de comunidades espalhadas por Portugal e noutras casas abertas em mais 13 países.

A religiosa Rosa Helena Mendes de Moura afirma que “Maria Clara tem uma palavra a dizer, nos dias de hoje, nas circunstâncias sociais, políticas, económicas e religiosas” que o país está a viver.

A futura beata, acrescenta, “lembra a necessidade urgente de dar prioridade ao amor dos mais necessitados, dos mais frágeis, pondo a seu serviço o que cada um é capaz de dar de si mesmo e dos próprios bens”.

Maria Emília da Silva Monteiro, religiosa da congregação, destaca a dedicação das irmãs “à saúde, ao cuidado de crianças e idosos, à educação e à evangelização direta”.

Nessas frentes, sublinha, “a hospitalidade sempre foi entendida como capacidade de estender o próprio ser aos outros, como espaço aberto de acolhimento, de paciência e de ternura, de presença sensível e amiga e, até, como arte”.

A irmã Maria Amélia Carreira das Neves, da CONFHIC, sublinha que “o envio das Franciscanas Hospitaleiras para terras de além-mar, em 1883, faz delas as primeiras mulheres missionárias portuguesas”.

“Abrir caminhos de fraternidade para que os ricos se convertam aos mais desfavorecidos é a lógica do amor em toda a ação e decisão da CONFHIC, abrindo-se ao serviço do próximo em toda a terra habitada, mesmo quando esse serviço conduz ao sofrimento e à morte”, indica.

A beatificação vai ter lugar no estádio do Restelo, Lisboa, no próximo sábado, presidida por D. José Policarpo, cardeal-patriarca de Lisboa, com a presença do cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, em representação do Papa.

O ritual inclui a leitura da carta apostólica de beatificação e a chamada procissão das relíquias, que neste caso será um osso da Madre Maria Clara.

Nessa cerimónia é ainda anunciada a data em que se celebrará anualmente a festa litúrgica de Maria Clara do Menino Jesus, marcada para 1 de dezembro, dia da morte da religiosa portuguesa.

À imagem do que aconteceu com a beatificação de João Paulo II, o portal da Agência ECCLESIA na Internet vai disponibilizar uma edição especial em formato pdf com todos os textos e fotografias produzidos para esta ocasião.

A religiosa do século XIX vai juntar-se a cinco portugueses beatificados desde 2000: os Pastorinhos Francisco e Jacinta, frei Bartolomeu dos Mártires, Alexandrina de Balasar e Rita Amada de Jesus, sendo que também neste período foi beatificado o Imperador Carlos de Áustria, que faleceu no Funchal.

A estas beatificações soma-se a canonização de Nuno Álvares Pereira, o Santo Condestável, que aconteceu a 26 de abril de 2009, no Vaticano.

OC

Inglaterra: Produtora católica lança filme sobre Beata Alexandrina

A vida e obra de Alexandrina Maria da Costa, mais conhecida como a Beata Alexandrina de Balasar, estão em destaque neste mês de Dezembro, em Inglaterra.

A produtora católica Mary’s Dowry Productions lançou recentemente o filme “Abençoada Alexandrina Maria da Costa”, numa cerimónia realizada na Igreja dos Mártires Ingleses, em Goring-on-Sea, Worthing, West Sussex.

A película, da autoria das irmãs Bernadette e Emily Bevans, procura ser uma homenagem à memória da Beata, revisitando a sua infância, a sua devoção à Eucaristia, a paralisia que a prendeu à cama e a oferta que Alexandrina Maria da Costa fez, dos seus sofrimentos, para a reparação dos pecados da humanidade.

Natural de Balasar, na Póvoa do Varzim, onde viveu entre 1904 e 1955, Alexandrina Maria da Costa foi imortalizada pelo lema “sofrer, amar, reparar”.

Uma máxima invocada por João Paulo II durante a cerimónia de beatificação, no Vaticano, a 25 de Abril de 2004. Através daquele exemplo de vida, sublinhou na altura o Papa, “os cristãos podem encontrar estímulo e motivação para nobilitar tudo o que a vida tenha de doloroso e triste com a prova maior de amor: sacrificar a vida por quem se ama”.

Celebrar o aniversário da beatificação de Alexandrina de Balasar

A comunidade Paroquial da Balasar (diocese de Braga) promove – dias 24 e 25 de Abril – uma recolecção espiritual para celebrar o 6º aniversário da beatificação de Alexandrina de Balasar.

Programa
Dia 24
«Um dia de deserto» – Tema: «Como Alexandrina: Fiéis e alegres em Cristo»
10H00 – Acolhimento no Salão Paroquial (junto ao Campo de Futebol).
10H30 – Oração da manhã
11H00 – Tema de reflexão: Alexandrina, modelo de Fidelidade a Cristo
12H00 – Adoração do Santíssimo
12H45 – Almoço partilhado nas mesas e relvado do Centro Pastoral
15H00 –  Via-Sacra no Centro Pastoral “Beata Alexandrina”
16H15 – Tema de Reflexão: Alexandrina, mulher alegre no sofrimento.
17H30 – Lanche partilhado
18H30 – Partida para a Igreja Paroquial
19H00 – Eucaristia de encerramento em Honra da Beata Alexandrina

Dia 25
06H30 – Oração do Terço
07H00 – Eucaristia do Peregrino
09H00 – Eucaristia Solene em Honra da Beata Alexandrina
10H30 – Eucaristia para doentes com bênção do Santíssimo
12H00 – Exposição do Santíssimo
16H00 – Adoração, Canto de Vésperas e Procissão Eucarística
18H00 – Eucaristia Solene em Honra da Beata Alexandrina, presidida pelo Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga.

Página 1 de 41234