Setúbal: Santuário do Cristo Rei vai inaugurar 20 quadros dedicados aos Mistérios do Rosário

Almada, 27 dez 2017 (Ecclesia) – O Santuário de Cristo Rei, em Almada, Diocese de Setúbal, vai inaugurar pinturas alusivas aos Mistérios do Rosário na Eucarística do Dia Mundial da Paz (1 de janeiro de 2018), que começa às 17h00, no Pavilhão do Rosário.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, o Santuário do Cristo Rei informa que as 20 pinturas, do artista francês Serge Nouailhat, vão ficar nas paredes do Pavilhão do Rosário, criando “um ambiente propício à oração e meditação”, a partir da Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus.

O santuário da Diocese de Setúbal explica que as obras de arte sacra são “de fácil compreensão” e quer oferecer aos peregrinos, visitantes e turistas “mais um instrumento pastoral de evangelização”.

O comunicado refere ainda que autor dos novos quadros, Serge Nouailhat, é católico e dedicou dois anos à pintura das telas; cada quadro tem uma inscrição do Antigo Testamento, em hebraico.

CB

Diocese de Bragança-Miranda – Centro de Conservação e Restauro – Emissão 28-11-2017

Foi no ano de 2015 que a diocese de Bragança-Miranda inaugurou o Centro diocesano de Conservação e Restauro de Arte Sacra. É com o padre António Pires, presidente da Comissão de Arte Sacra e dos Bens Culturais da Diocese que ficamos a saber que o centro nasceu de uma inquietação.

Também a responsável do espaço, Lília Pereira da Silva, destaca a importância da preservação do património.

Fátima: Tarde de poesia natalícia no museu de arte sacra e etnologia

Fátima, 24 nov 2017 (Ecclesia) – O Museu de Arte Sacra e Etnologia dos Missionários da Consolata, em Fátima, recebe, dia 2 de dezembro, às 16h00, uma tarde de poesia natalícia com a presença de crianças do 1º ciclo daquela localidade.

As crianças do 1º ciclo de Fátima declamam “poemas de sua autoria inspirados nas coleções de presépios e Meninos Jesus” que o museu conserva, sublinha uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Para esta edição foi convidada a escritora Carmen Zita Ferreira que vai estar à conversa com os “pequenos poetas, declamando também alguns poemas natalícios”, lê-se no comunicado.

LFS

Igreja/Cultura: Exposição de fotografia «Fátima Hoje»

Fátima, 21 nov 2017 (Ecclesia) – O «Consolata Museu – Arte Sacra e Etnologia» inaugura, esta terça-feira, às 21h00, em Fátima, a exposição coletiva de fotografia «Fátima Hoje».

Esta iniciativa, patente ao público até 28 de janeiro, é organizada pelo museu e a sua Liga de Amigos e “expõe trabalhos de fotógrafos locais, retratando alguns aspetos ligados a Fátima, depois do centenário das aparições”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

Durante a inauguração decorrerá a atividade «Chá com Arte» com momentos de tertúlia com os fotógrafos e convidados.

Os visitantes poderão admirar os trabalhos de Ana Paula Ribeiro, António Marto, Fernando Pereira, Francisco Pedro, Graça Marques e Isaura Marques.

LFS

Évora: Igreja de São Francisco inaugurou exposição fotográfica «intervenção total»

Évora, 22 set 2017 (Ecclesia) – A igreja de São Francisco, na Arquidiocese de Évora, tem patente uma exposição fotográfica dos bastidores da “empreitada sem precedentes” que foram as “obras de reforço estrutural, acessibilidades, iluminação, reabilitação e conservação e restauro”, até ao mês de dezembro.

Na nota enviada à Agência ECCLESIA, a Arquidiocese de Évora recorda que os trabalhos na igreja de S. Francisco e na capela dos Ossos, entre junho de 2014 e outubro de 2015, receberam este ano o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana, na categoria de Restauro.5.

Já em dezembro de 2016, a intervenção que envolveu “um investimento de 4,2 milhões de euros” foi distinguida com o prémio IHRU – Nuno Teotónio Pereira na categoria de Reabilitação de Edifício.

Esta quarta-feira, dia 18, foi inaugurada na igreja de São Francisco a exposição fotográfica ‘intervenção total’ que recorda as obras de recuperação e requalificação e pode ser visitada até dezembro.

A Igreja registava diversas fendas nos tetos resultantes do terramoto de 1755 e a Capela dos Ossos que alberga no interior do seu espaço conventual foi também objeto de uma intervenção que limpou de reforçou todas as estruturas osteológicas.

Desta intervenção nascem ainda novos espaços: Uma galeria que circunda as paredes da igreja, as celas dos monges que vão acolher um museu de arte sacra.

Uma novidade neste espaço é um painel da autoria de Siza Vieira que representa um hino à vida e foi colocado diante da entrada da Capela dos Ossos para que, quem sai deste ambiente marcado pelos sinais da morte, dê de caras com uma imagem que celebra a vida humana.

Todos os altares, esculturas, pinturas, talha e frescos foram objeto de conservação e o processo envolveu 11 especialidades de restauro e contou com uma equipa muito jovem.

CB

Funchal: Comemorações jubilares dos 500 anos da dedicação da Sé

Funchal, 17 out (2017) – A Diocese do Funchal está a comemorar os 500 anos da dedicação da Sé com várias iniciativas e hoje inaugura uma exposição no Museu de Arte Sacra.

Uma nota enviada à Agência ECCLESIA informa que a exposição no Museu de Arte Sacra é dedicada à arte sacra da Sé e aos trabalhos do padre Manuel Juvenal Pita Ferreira, que escreveu um livro sobre a Sé do Funchal.

Já esta quarta-feira, o bispo do Funchal, D. António Carrilho preside, às 18h30, à Eucaristia dos 500 anos da Dedicação da Sé do Funchal.

As iniciativas festivas começaram no dia 13 deste mês com a cerimónia “da bênção do novo órgão da Sé e concerto inaugural”.

LFS

Funchal: Comemorações jubilares dos 500 anos da dedicação da Sé

Funchal, 03 out (2017) – A Diocese do Funchal está a comemorar, de 13 a 18 deste mês, os 500 anos da dedicação da Sé daquela ilha, com várias iniciativas.

No dia 13 de outubro, às 21h00, realiza-se a cerimónia “da bênção do novo órgão da Sé e concerto inaugural” e no dia seguintes haverá, pelas 21h00, um concerto pelo coro da catedral, lê-se numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

A abertura de uma exposição no Museu de Arte Sacra, dedicada à arte sacra da Sé e aos trabalhos do padre Manuel Juvenal Pita Ferreira, que escreveu um livro sobre a Sé do Funchal será no dia 17 de outubro.

No dia 18 deste mês, D. António Carrilho preside, às 18h30, à eucaristia dos 500 anos da Dedicação da Sé do Funchal.

LFS

LEIRIA-FÁTIMA: Um manto de todas as cores

Neste verão, muitos milhares de pessoas vão passar pelo Santuário de Fátima. Em ano de Centenário das Aparições, fica o convite para aproveitar a viagem e visitar a exposição ‘Um manto de todas as cores: a Virgem Maria no território de Leiria-Fátima, no Museu de Leiria, uma exposição artística que visa revelar a importância do culto mariano na Diocese de Leiria-Fátima. A viagem até à Rua Tenente Valadim, n. 41, em Leiria, é curta e vale a pena.

 

Apresentação

Sob o título “Um manto de todas as cores: a Virgem Maria no território de Leiria-Fátima”, o Museu de Leiria e o Departamento do Património Cultural da Diocese de Leiria-Fátima apresentam uma exposição feita de testemunhos artísticos que mostram a importância do culto mariano na diocese de Leiria-Fátima.

Tomando como mote a celebração do Centenário das Aparições, as duas instituições mostram algumas das melhores peças que integram as coleções de arte sacra do Museu de Leiria e da Diocese, exibindo-as segundo um discurso que se pretende acessível a crentes e a não-crentes.

A figura da Virgem Maria é, assim, abordada segundo a sua biografia e segundo a cultura que resulta da forma como as populações, ao longo dos séculos, para ela olharam.

Surpreendente será o cruzar das representações antigas (de pintura e de escultura) com as encenações contemporâneas, sobretudo a partir da fotografia, da escultura e da pintura que, a partir de temas antigos, interpretam, não sem a necessária reflexão crítica, a realidade atual.

Como objetivo fundamental da exposição conta-se o de evidenciar o facto de, na cultura dos povos, a Virgem Maria ter sido e continuar a ser ‘topos’ que reúne diferentes formas de olhar o mundo, desde a inocência à maternidade, desde a solicitude relativa ao próximo até à compaixão, desde a mulher peregrina à pessoa dolorosa, desde a mulher ignorada à mulher glorificada.

A exposição tem quatro capítulos que vão fazer olhar para a iconografia de Maria como uma fonte do conhecimento do próprio homem e mulher que vive num determinado território povoado pelas múltiplas cores que caracterizam os inúmeros títulos com que Maria é venerada, aqui testemunhados a partir de material histórico, artístico e arqueológico.

A exposição vive da comparação entre a obra de arte antiga e a obra de arte contemporânea expressamente encomendada para esta finalidade, assim como da apresentação pedagógica que leva ao entendimento dos atributos simbólicos da figuração da Virgem e à forma de, segundo as diferentes reflexões estéticas, transmitir a temática da Virgem-Mãe.

Entre o espólio, exposto destacam-se algumas peças do Museu do Santuário de Fátima, entre elas um pedaço de azinheira guardado como relíquia da árvore das aparições de 1917 e o terço oferecido pelo Papa Francisco à Virgem de Fátima.

Marco Daniel Duarte
Comissário Científico

Página 1 de 3712345...102030...última »