Solidariedade: Missionários Claretianos ajudam vítimas dos incêndios

Lisboa, 21 jun 2017 (Ecclesia) – Os Missionários Claretianos abriram uma conta bancária onde colocaram 5 mil euros para ajudar as vítimas dos incêndios que ocorrem no centro do país.

Esta iniciativa é uma forma de estar solidário “com as dificuldades por que estão a passar tantas famílias afetadas pelo incêndio de Pedrogão Grande”, lê-se na nota enviada à Agência ECCLESIA.

Uma parceria entre a Procuradoria das Missões Claretianas com a Cáritas Portuguesa que pretende os estragos provocados pelos incêndios que têm fustigado aquela região do país.

Se deseja associar-se a esta “onda solidária”, pode fazer seu donativo para Procuradoria das Missões, de acordo com as seguintes indicações: transferência bancária para a conta «Fundação Claret – PROCURA» com o IBAN PT500018.0003.399.912.45020.98 indicando que o donativo se destina ao «Ajuda PG».

LFS

 

 

Fátima: Consagrados refletiram sobre a vida humana «ameaçada» pelo «materialismo, consumismo»

Fátima, 01 mar 2017 (Ecclesia) – A Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal (CIRP) promoveu a Semana de Estudos sobre a Vida Consagrada sobre o tema “atualíssimo” ‘Consagrados ao serviço da vida’, que se encontra “ameaçada e sobre diversos modos”.

“A missão dos consagrados é colaborar evangelicamente colocando-se ao serviço da vida”, disse o padre Abílio Pina Ribeiro, no Centro Paulo VI, em Fátima, alertando para “tempos de neocolonialismo feroz de materialismo, de consumismo”.

Para o entrevistado os mais fortes “infelizmente vão fazendo valer a sua lei” e falta a evangelização, o “sentido humano da vida” para que “todas as pessoas sejam dignificadas e tratadas fraternalmente”.

À Agência ECCLESIA, o sacerdote que é um dos coordenadores da semana de estudos deu exemplo de consagrados que protegem a vida “física”, dedicando-se aos doentes, “a acolher crianças abandonadas”, mas também “ao serviço da vida intelectual no ensino” ou da vida espiritual e pastoral.

A vida atualmente está ameaçada devido ao “egoísmo humano”, frisa ainda o padre Abílio Pina Ribeiro, porque “nunca a humanidade” dispôs de tantas riquezas e meios para que não falte o necessário para viver a ninguém.

O padre da Congregação dos Missionários Claretianos considerou também o tema ‘Consagrados ao serviço da vida’ “atualíssimo” no contexto do Centenário das Aparições de Nossa Senhora em Fátima que “pretendeu levar a humanidade ao encontro de Cristo que veio para que todos tenham vida e em abundância e qualidade”.

A Semana de Estudos sobre a Vida Consagrada é uma espécie de “congresso informal” que se realiza há 33 anos e à qual adere uma “grande multidão” de consagradas seculares, religiosos, monges, entre outros.

À Agência ECCLESIA, Daniel Kouobou, da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos), destacou que esta iniciativa da CIRP tem uma “grande importância” porque é uma oportunidade para os consagrados de Portugal reunirem-se em Fátima e para refletirem sobre temáticas da sua mas “também em relação aquilo que acontece no mundo”.

“Muitas vezes estamos nas congregações cada um na sua missão e serviço à Igreja e à sociedade e não temos a possibilidade de ter uma visão de conjunto do trabalho que a Vida Consagrada faz, da importância na sociedade”, desenvolveu.

‘Consagrados ao serviço da vida’ foi o tema do encontro entre 25 e 28 de fevereiro e Daniel Kouobou sublinha que as conferências ajudam também quem no dia-a-dia não tem “tempo para parar e pensar nas temáticas que tocam a sociedade”.

O padre Paulo Coelho apresentou no primeiro dia de estudos a conferência ‘A glória de Deus é o homem vivo’ numa exposição a partir de uma frase de Santo Ireneu.

Segundo o sacerdote Dehoniano a reflexão parte da bondade que Deus “tem para com o homem” ao criá-lo mas sobretudo, “de forma mais maravilhosa, de redimi-lo pelas suas próprias mãos que são o Filho e o Espírito”.

À Agência ECCLESIA, o padre Paulo Coelho, conferencista dos Sacerdotes do Coração de Jesus, na sociedade atual optar por ser consagrado “é sempre uma graça” porque o que os faz optar “é a vontade de Deus a respeito” de cada pessoa e pelo seu chamamento.

Os oradores convidados pela Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal para a 32.ª Semana de Estudos sobre a Vida Consagrada intitulada ‘Consagrados ao serviço da vida’ ajudaram a perceber que têm a missão de “defender, dignificar e tornar cada vez mais plena” a vida.

LFS/CB

Lisboa: Colégio Universitário Pio XII iniciou ano académico com padre Tolentino de Mendonça

Lisboa, 24 out 2016 (Ecclesia) – O Colégio Universitário Pio XII deu início ao ano académico com uma conferência do padre José Tolentino de Mendonça sobre ‘A importância do espanto’.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, a direção do colégio universitário informa que o conferencista constatou que se vive “numa sociedade de relances, de vista sumária, de um olhar utilitário, o que se repercute na realidade familiar e universitária”.

O padre José Tolentino de Mendonça destacou a importância de promover um “olhar longo e inocente” para além da vida pequena e que “projete para a vida grande e as virtudes grandes”.

O também consultor do Conselho Pontifício para a Cultura do Vaticano relacionou ainda a temática do espanto com “o sentido da vida”: “Uma história pessoal marcada pelo espanto é uma história com sentido.”

Ao auditório constituído, principalmente, por estudantes universitários”, o vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa assinalou a urgência de não se contentarem “apenas com os saberes” e de serem “capazes de fazer uma síntese desses mesmos saberes”, a almejar a sabedoria.

Para além da conferência do padre e poeta José Tolentino de Mendonça, a jornada no dia 22 de outubro reuniu cerca de trezentas pessoas entre estudantes, familiares e colaboradores contou com a celebração da Eucaristia “invocando o Espírito Santo” e um almoço-convívio.

O Colégio Universitário Pio XII destina-se ao acolhimento e apoio a estudantes universitários, pertence aos Missionários Claretianos e foi fundado em 1957, em Lisboa.

CB

Vida Consagrada: Conferência de Institutos Religiosos com presidência interina

Lisboa, 25 set 2015 (Ecclesia) – A Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal (CIRP) anunciou hoje que escolheu a irmã Maria do Sameiro Magalhães Martins para presidir à instituição até à próxima Assembleia Geral, em novembro.

A superiora provincial das Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus, até agora vice-presidente, assume este cargo no seguimento do envio do padre Artur Teixeira, que estava na presidência da CIRP, para o Governo Geral da Congregação dos Missionários Claretianos, sediado em Roma.

“A CIRP aproveita para agradecer ao padre Artur Teixeira a sua dedicação nos últimos quatro anos e meio à Direção da CIRP e deseja-lhe as melhores bênçãos na nova missão”, refere a nota enviada à Agência ECCLESIA.

A CIRP é um organismo de direito pontifício, com personalidade jurídica canónica e civil, sem fins lucrativos, instituído a 16 de abril de 2005, que resultou da fusão da Conferência Nacional dos Superiores Maiores dos Institutos Religiosos (CNIR) e da Federação Nacional das Superioras Maiores dos Institutos Religiosos (FNIRF).

OC

Vida Consagrada: Papa agradece aos Claretianos o seu «trabalho missionário»

Cidade do Vaticano, 11 set 2015 (Ecclesia) – O Papa Francisco agradeceu hoje o “trabalho missionário” dos religiosos da Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria (Claretianos) que participam no seu capítulo geral e convidou-os a “expressar a maternidade da Igreja, mãe misericordiosa”.

Na audiência desta manhã, Francisco deu graças aos membros da congregação pela “sua vida e trabalho missionário” pedindo que saudassem “todos e cada um de seus irmãos”, em particular os que por “doença ou velhice” colaboram agora com a “oração e testemunho à missão da congregação”.

O Papa pediu que deixem que todas as dimensões da sua vida estejam “profundamente marcadas” pela “cordialidade que inspirou Maria no canto do Magnificat e expressem a maternidade de Igreja, mãe misericordiosa, que nunca se cansa de esperar, acompanhar e perdoar''.

Neste contexto, observou ainda que o fundador dos Claretianos, Santo Antonio María Claret, deu-lhes um “belo título” – ‘Filhos do Coração de Maria’, na audiência na Sala do Consistório.

‘Chamados a evangelizar. Testemunhas e mensageiros da alegria do Evangelho’ é o tema da XXV reunião magna dos Claretianos que reúne em Roma cerca de 120 capitulares, desde 24 de agosto, representantes dos mais de 2000 religiosos presentes em 20 províncias e 13 delegações.

“'’Testemunha’ porque a alegria não pode se comunicar, se não estiver presente e profundamente enraizado na própria vida e na comunidade. ‘Mensageiros’ porque o bem deve ser partilhado e ao partilhá-lo a alegria é purificada e multiplicada tornando-se verdadeiramente ‘evangélico’, disse Francisco a partir do tema do capítulo geral.

Segundo o Serviço de Informação do Vaticano (VIS), o Papa improvisou um discurso mas entregou aos religiosos o texto que havia preparado.

“Como encontraram a Congregação na vossa análise capitular? Nesse exercício de discernimento, como vos desafiou a voz do Espírito?', perguntou Francisco, revelando que uma forma “muito segura para o discernimento” é “escutarem as diferentes periferias do mundo”.

“Neles ressoa a Sua voz mais claramente. Isto é ainda mais importante para uma congregação missionária como a vossa'', acrescentou.

O Papa argentino recordou a carta que escreveu aos consagrados no início do Ano da Vida Consagrada, que a Igreja está a viver (até 2 de fevereiro de 2016), explicando aos Claretianos como o devem viver os três objetivos: “Fazer memória agradecida do passado; abraçar o futuro com esperança e viver o presente com paixão.”

O capítulo geral dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria elegeu como Superior Geral para o período 2015-2021, o padre Mathew Vattamattam, oriundo de Kalathoor, no estado indiano de Kerala.

O 13.º superior geral da congregação missionária encabeçou o grupo e também se dirigiu ao Papa.

O padre Artur Teixeira, superior da Província Portuguesa dos Claretianos e presidente da Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal, foi nomeado consultor do Apostolado.

VIS/CB

Vida Consagrada: 25.º Capítulo Geral dos Missionários Claretianos

Lisboa, 25 ago 2015 (Ecclesia) – Os Missionários Claretianos começaram esta segunda-feira em Roma o seu 25.ºCapítulo Geral, o órgão supremo de governo da congregação que se reúne a cada seis anos.

“A Congregação, fundada por Santo António Maria Claret em 1849, em Vic, Espanha, conta atualmente com 3020 missionários presentes em 64 países. A sua missão principal é a evangelização por todos os meios possíveis segundo o mais urgente, oportuno e eficaz em cada lugar e tempo, em estreita colaboração com os bispos”, assinala uma nota de imprensa enviada hoje à Agência ECCLESIA.

O Capítulo vai refletir sobre “como transmitir a mensagem do Evangelho no mundo de hoje, as prioridades que deve escolher a Congregação em sua atividade missionária e as exigências para a sua vida consagrada, para a formação e sua organização”.

A reunião magna reúne 82 capitulares: os membros do Governo Geral, os superiores maiores da congregação e os representantes das 34 províncias e delegações eleitas democraticamente.

“O contexto mundial em que vivemos hoje muda constantemente e as novas situações apresentam interpelações fortes à nossa ação missionária: como situar-nos diante do pluralismo cultural e religioso presente em todas as sociedades, como enfrentar o desafio da secularização, o que fazer diante das situações de pobreza, de violência e de perseguição religiosa em que vivemos em tantas partes do mundo, como usar apostolicamente as possibilidades que nos oferecem as redes sociais de comunicação?”, assinalam os Missionários Claretianos.

Os religiosos sublinham ainda que o pontificado do Papa Francisco aponta “um novo modo de caminhar na vida da Igreja, um estilo de vida mais evangélico e mais exigente”.

OC

Viseu: Sacerdote celebra 25 anos de serviço

Viseu, 13 jul 2015 (Ecclesia) – O padre Manuel António da Rocha, da Diocese de Viseu, celebrou o seu jubileu sacerdotal com agradecimentos por todos os que o ajudaram no caminho sacerdotal, este domingo, na Igreja do Seminário.

“Em todos vós aqui presentes, a qualidade que mais aprecio é a forma generosa com que me acolheis nas minhas fragilidades mas também fazendo potenciar as qualidades que o Senhor me concedeu para pôr ao serviço de todos”, disse o sacerdote na homilia.

O padre Manuel António da Rocha acredita que “não sendo profeta nem filho de profeta” foi escolhido para “ser santo e ajudar a todos nesta caminhada comum de santificação”. 

O sacerdote agradeceu ao bispo da Diocese de Viseu, D. Ilídio Leandro, que desde que chegou a Tondela e se apresentou o “acolheu e ajudou a acreditar e a confiar” em si e no seu sacerdócio.

Na homilia recordou também D. Júlio Rebimbas, que o ordenou em 8 de julho de 1990, e o bispo de Setúbal, D. Gilberto, onde esteve na Paróquia de São Sebastião.

Na celebração estiveram presentes elementos da Associação de Acólitos da Paróquia de Tondela a quem o sacerdote pediu que “não fechem a porta se o Senhor chamar a uma missão específica” na Igreja.

Aos restantes membros da paróquia o sacerdote deu “graças a Deus” por todos eles destacando o “lugar especial” dos elementos do Movimento Encontro Matrimonial.

“Foram os responsáveis deste Movimento quem não me deixou cair num momento difícil. Ajudaram-me a reencontrar-me e a reencontrar a alegria da minha vocação e do meu sacerdócio”, acrescentou o padre Manuel António da Rocha que integra a equipa dos coordenadores Europeus do Movimento Encontro Matrimonial.

No seu sítio online a Diocese de Viseu informa que o sacerdote está incardinado mas começou o seu percurso na Congregação dos Missionários Filhos do Coração de Maria, os Missionários Claretianos.

Desta forma, o jubilado agradeceu também ao “colegas sacerdotes do Arciprestado de Tondela” por o terem “ajudado a integrar” nesta diocese que “agora” também é sua.

CB/OC

Publicações: O ADN da Vida Consagrada dos tempos bíblicos à perspetiva de futuro

Lisboa, 22 jan 2015 (Ecclesia) – A Paulus Editora lançou a obra «A Essência da Vida Consagrada», que apresenta em oito capítulos o testemunho que todos os consagrados “devem recordar” a cada dia, o que os enche de “alegria, paixão e esperança”.

“A Essência da Vida Consagrada é como que um mapa do ADN da vida consagrada, mostrando os seus elementos essenciais de uma maneira sucinta mas muito profunda”, explica a Paulus Editora.

Com o testemunho de oito consagrados, com percursos de vida diferentes, o livro apresenta também “tudo aquilo” que a Igreja e todo o povo de Deus “devem” reconhecer nos seus consagrados, “um estilo de vida”.

Cada capítulo da obra ‘A Essência da Vida Consagrada’ é uma reflexão que começa nas origens bíblicas e termina nos dias de hoje com perspetiva no futuro.

D. António Couto, bispo de Lamego e membro da Sociedade Missionária da Boa Nova, no primeiro capítulo apresenta a “fundamentação bíblica da vida consagrada” cuja história é percorrida pelo padre e professor universitário David Sampaio da Sociedade do Verbo Divino (Verbitas).

O leigo Alexandre Freire Duarte, no terceiro capítulo, reflete sobre a “espiritualidade dos religiosos” e a irmã Maria da Glória Magalhães, das Franciscanas Missionária de Nossa Senhora, escreve sobre os “conselhos evangélicos – “obediência na fé; pobreza na esperança e castidade na caridade”.

No quinto e sétimo capítulo, o teólogo Jacinto Farias e o padre Saturino Gomes, da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus (Dehonianos), respetivamente aprofunda a “eclesialidade da vida consagrada” e analisa este viver na Igreja à luz do Direito Canónico.

No sexto texto a importância da formação para a vida consagrada é apresentada por Maria Conceição Vieira, leiga consagrada do Instituto Secular das Cooperadoras da Família.

E o irmão Darlei Zanon, da Sociedade São Paulo (Paulista), escreve sobre o futuro da vida consagrada.

O presidente da Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal (CIRP) no prefácio considera que este livro destaca que “toda a Igreja reconhece, acarinha e agradece o modo de vida que espelha como Jesus Cristo viveu há aproximadamente dois mil anos”.

Para o padre Artur Teixeira, provincial dos Missionários Claretianos, na obra ‘A Essência da Vida Consagrada’, publicada pela Paulus Editora, encontram-se “rostos e vozes de diversas proveniências, áreas e gerações” a testemunhar o ar que se respira nas comunidades religiosas.

CB