Vaticano: Apresentação do 50.º Congresso Eucarístico Internacional

Cidade do Vaticano, 10 mai 2012 (Ecclesia) – O Vaticano apresenta hoje, em conferência de imprensa, o 50.º Congresso Eucarístico Internacional, marcado para Dublin, República da Irlanda, entre 10 e 17 de junho.

A iniciativa tem como tema ‘A Eucaristia: comunhão com Cristo e entre nós’, retomando os ensinamentos do II Concílio do Vaticano (1962-1965).

OC

Vaticano: Papa toca o sino para o 50.º Congresso Eucarístico Internacional

Cidade do Vaticano, 14 mar 2012 (Ecclesia) – Bento XVI tocou hoje no Vaticano o sino do 50.º Congresso Eucarístico Internacional, que vai decorrer em Dublin, República da Irlanda, de 10 a 17 de junho.

O gesto simbólico foi acompanhado pelo arcebispo da capital irlandesa, D. Diarmuid Martin, na Praça de São Pedro.

Este responsável explicou à Rádio Vaticano que o sino tem passado por escolas, paróquias e instituições de solidariedade, na Irlanda, para convocar os católicos do país.

O próximo Congresso Eucarístico Internacional vai ter como tema ‘A Eucaristia: comunhão com Cristo e entre nós’, retomando os ensinamentos do II Concílio do Vaticano (1962-1965).

OC

Papa escolhe tema do próximo Congresso Eucarístico Internacional

“A Eucaristia: comunhão com Cristo e entre nós” é o tema escolhido por Bento XVI para o próximo Congresso Eucarístico Internacional, que se realizará em Dublin, Irlanda, de 10 a 17 de Junho de 2012.

Este será o 50.º Congresso Internacional, coincidindo com o 50.º aniversário da inauguração do Concilio Ecuménico Vaticano II que, afirma o arcebispo da capital irlandesa, D. Diarmuid Martin “foi um momento de renovação e de aprofundamento do ensinamento da Igreja e da sua autocompreensão como Corpo de Cristo e Povo de Deus”.

“Esperamos que a reunião da Igreja universal em Dublin em 2012 – acrescenta o arcebispo Diarmuid Martin – ajude a compreender a Eucaristia como comunhão verdadeira e pessoal com Jesus Cristo e a redescobrir a fisionomia essencialmente Eucarística de cada comunidade cristã”.

Em construção está a página do Congresso na Internet (www.iec2012.ie), da responsabilidade do comité local.

Bento XVI: «Verdadeira liberdade humana tem causa moral»

Bento XVI recebeu, em audiência, a nova embaixadora do Canadá junto à Santa Sé, Anne Leahy, para a apresentação das credenciais. O exercício da liberdade esteve no centro do discurso do Papa. “O catolicismo foi um marco essencial para a construção da sociedade canadiana”, referiu Bento XVI, recordando que, dentro de alguns meses, serão celebrados os 40 anos de relações diplomáticas entre a Santa Sé e o Canadá, apesar de os laços profundos terem vários séculos. O Papa recordou palavras de João Paulo II, que realizou três visitas apostólicas ao Canadá, a última por ocasião do Dia Mundial da Juventude, em 2002. Os canadianos “são os herdeiros de um humanismo extraordinariamente rico, graças à associação de muitos elementos culturais diversos”. Bento XVI ressaltou que o ponto central está na “concepção espiritual e transcendente da vida, fundada na revelação cristã”. “Daqui nasce uma tradição de compromissos internacionais”. A colaboração multirateral para a resolução de problemas internacionais, em nome da paz e da reconciliação, “com exemplos concretos como o compromisso pela Convenção pela eliminação das minas anti-pessoais, que contou com um sucesso particular”, e a contribuição para a estabilização da situação na região dos Grandes Lagos, em África. No entanto, o Papa manifestou preocupação com algumas mudanças sociais, também no Canadá, que indicam um enfraquecimento do conceito de ser humano. Bento XVI afirmou claramente que a importância da “defesa e promoção da vida e da família fundada no matrimonio”, convidando todos os canadianos a reflectirem sobre estas questões a partir do conceito de liberdade. O exercício da liberdade “é muitas vezes invocado para justificar distorções. É concebido apenas como valor absoluto, como um direito inalienável do indivíduo, ignorando as origens divinas da liberdade e da sua dimensão comunitária”. “O exercício da liberdade implica a referência a uma lei moral natural, de carácter universal, que preceda e una todos os direitos e os deveres”, esclareceu o Papa, apontando o direito dos pais de assegurar o ensino religioso aos próprios filhos, e sobre o valor das escolas católicas. Bento XVI mencionou também o que definiu como sinais de esperança, recordando, sobretudo, o êxito do 49º Congresso Eucarístico Internacional, que se realizou de 15 a 22 de Junho passado no Canadá. O Papa manifestou satisfação pela disposição tradicional do povo canadiano ao acolhimento, encorajando todos a exercitá-la em particular para com as pessoas frágeis. Bento XVI manifestou a sua satisfação ao ver revitalizados os laços de entendimentos entre a Igreja católica e as comunidades aborígines do Canadá. Redacção/Rádio Vaticano

Ilha do Pico celebra Festas de Santa Maria Madalena

No último Domingo iniciou-se na Matriz da Madalena do Pico a preparação para a festa da Padroeira, Santa Maria Madalena. Presidirá à festa deste ano D. António José Rafael, Bispo Emérito de Bragança-Miranda, a convite de D. António de Sousa Braga, Bispo de Angra. Os primeiros seis dias da novena são presididos pelo Pe. Norberto Brum, Pároco dos Ginetes na Ilha de São Miguel e Director do Serviço Diocesano de Apoio à Pastoral Juvenil e Universitária, ordenado sacerdote no ano 2000. Este ano foi escolhido para tema da festa o mesmo da vivência diocesana ao longo do ano pastoral 2007/2008 e do recente Congresso Eucarístico Internacional – “Eucaristia, dom de Deus para a vida do mundo”. Na Eucaristia de abertura do novenário – presidida por Mons. José de Lima e concelebrada pelos padres José Idalmiro, Norberto Brum e Marco Martinho – foi apresentado à comunidade o novo andor da Padroeira que foi solenemente abençoado nesse dia. O novo andor em talha dourada é uma peça de elevado valor artístico e foi elaborado em São Miguel pelo mestre Gilberto Ferreira, sendo uma oferta da Câmara Municipal da Madalena à Padroeira da Vila e Concelho. As novenas continuam até 19 de Julho com a celebração do Sacramento da Reconciliação e Missa. No dia 22 de Julho, será celebrada a Solenidade de Santa Maria Madalena. Pelas 11h00 haverá a Eucaristia com a Celebração do Sacramento do Baptismo, que será animada pelo Agrupamento 904 do CNE da Madalena. Ao meio-dia haverá a bênção das viaturas com a saudação à Padroeira. Pelas 15h00 desfilarão as sete de filarmónicas que se incorporarão na procissão que saudarão a Padroeira. Às 17h00 será a celebração da Eucaristia, presidida por D. António José Rafael, Bispo Emérito de Bragança-Miranda, e pelas 18h30 a Procissão, que percorrerá as principais artérias da vila.

Congresso Eucarístico deixou marcas

Uma senhora de etnia tutsi, no meio da guerra no Ruanda entre tutsis e hutus, viu morrer à sua frente nove jovens que tentava proteger do conflito. Apesar da tensão que viveu e das ameaças de morte que recebeu com armas apontadas para si, anos mais tarde viria a testemunhar que foi o amor à Eucaristia que a impediu de sucumbir ao ódio. “A Eucaristia era a o único lugar onde ela ia buscar forças para resistir a tanto ódio”, afirma o Pe. José Manuel Pereira, Director do Secretariado da Pastoral Litúrgica de Aveiro e delegado da diocese ao Congresso Eucarístico Intencional, relembrando um testemunho partilhado no Quebeque. Mais tarde essa senhora tutsi deu origem a uma casa «Shalom» onde acolheu e resgatou várias crianças. “A partir dessa altura ela dizia às crianças que não eram mais tutsis ou hutus, mas passavam a ser crianças shalom, sendo essa a sua nova etnia”. Este foi um dos testemunhos emocionantes que os participantes do 49º Congresso Eucarístico Internacional puderam escutar nos dias que estiveram no Quebeque, no Canadá. Exemplos de força e de fé que se querem presentes quando se participa ou se dá testemunho da eucaristia. A participação no Congresso quer “renovar um fundamental amor à eucaristia”, exprime o Pe. José Manuel Pereira, descobrindo as variantes e tónicas que a eucaristia contem. O sacerdote aponta que habitualmente se fala da eucaristia como uma coisa, mas “é antes uma pessoa”. Esta, aponta, poderá ser a primeira grande conclusão para alguém que poderia mantendo-se “alheado”, poderia participando no Congresso. Dois pavilhões junto ao local do Congresso, transformados em capela, estavam “constantemente cheios de pessoas em adoração”. O Pe. José Manuel Pereira não esquece a vivência “intensa” que 13 mil pessoas vindas de todo o mundo fizeram do Congresso. “Não basta aquilo que se ouve, mas aquilo que se vê e se experimenta marca a vivência”. Foi esta a primeira vez que o director da Pastoral litúrgica de Aveiro participou num Congresso Eucarístico Internacional. Mas entre as 21 pessoas que compunham a delegação portuguesa, repetiam-se experiências. Uma procissão de cinco quilómetros, mas onde as pessoas estiveram do princípio ao fim, cantando e rezando pelas ruas da cidade, marcou o dia de Quinta feira. “Manifestações impressionantes que levam as pessoas que não acreditam a interrogar-se o que levou milhares de pessoas a andarem de baixo de chuva atrás de uma hóstia”. O sacerdote português descreve a procissão “como um momento difícil de comparar com outras vivências”. “Uma participação impressionante de 30 mil pessoas a percorrer as ruas”, recorda o Pe. José Manuel Pereira ter lido na imprensa canadiana. Aos congressistas se uniram muitos outros que foram mobilizados entre paróquias e curiosos. “Foi algo de extraordinário como eles admitiram nunca ter visto”. O dia do encerramento começou radioso, mas em plena eucaristia “caiu uma tromba de água e ficamos todos encharcados”. Mas a chuva e a trovoada não foi impedimento para o Cardeal Marc Ouellet, Arcebispo de Quebeque, descer junto dos participantes e distribuir a comunhão. Dois momentos que mostram “como as pessoas fazem experiências que podem marcar a sua vida”. O empenho pessoal no amor à eucaristia é a chave para não esquecer o que a participação no Congresso Eucarístico Internacional traz de novo. “O falar sem medo deste sacramento, não como uma coisa, mas como uma pessoa que está no centro da nossa fé” é o caminho indicado pelo sacerdote. Uma descoberta que, indica, “não está feita na nossa vida, nem pela maioria das pessoas”. “É intuída por alguns, sentida por outros, assumida por poucos, mas falta uma convicção interior e os Congressos têm por função despertar”. “Se as 14 mil pessoas presentes no Congresso levassem os testemunhos para as suas paróquias e os transmitissem a outros cristãos nas suas conversas diárias, multiplicariam uma acção que contagiou os participantes”, sublinha o Pe. José Manuel Pereira. Uma vivência pessoal cheia e emocionante impede uma projecção consciente nos planos para a Pastoral Litúrgica de Aveiro. Nos próximos dias será isso que o Director irá fazer. “Digerir o que vivi, deixar passar as emoções e equilibrar a parte racional para, quando falar com D. António Francisco dos Santos, contar o que fizemos e projectar a forma como a Eucaristia pode ser vivida em Aveiro”. Em 2012, outros testemunhos marcantes vão poder ouvir-se no 50º Congresso Eucarístico Internacional, a realizar-se em Dublin, na República da Irlanda.

Papa encerra CEI 2008

Homilia, em ligação via satélite com o Canadá, pede compromisso contra o aborto e a injustiça social (mais…)

Bento XVI reza pelas Filipinas

Papa recordou vítimas do tufão Fengshen e deixou ainda mensagens para o Líbano, os congressistas do Quebeque e para o início do Ano Paulino (mais…)

Papa encerra 49º Congresso Eucarístico Internacional a partir do Vaticano

Com a homilia da missa a partir do Vaticano, via satélite, Bento XVI irá concluir este Domingo o 49º Congresso Eucarístico Internacional, que desde o dia 15 de Junho está a juntar no Quebec, no Canadá, cerca de 25 mil católico em torno do tema “A Eucaristia, dom de Deus para a vida do mundo”. A celebração eucarística será presidida às 11h da manhã (hora local), pelo delegado papal, o Cardeal Jozef Tomko, no Museu de Belas Artes de Quebec. No entanto, o último dia do Congresso será cheio. As actividades começam pelas 8h com um espectáculo de música e uma procissão. Para poder ver e ouvir Bento XVI, os organizadores vão proceder à instalação de telas em vários locais. A missa de encerramento pode também ser acompanhada através do site www.ecdq.tv/en/videos/. Um ponto alto da semana foi a realização de uma procissão, na Quinta feira, com o Santíssimo Sacramento pelas ruas da cidade de Quebec, num percurso de cerca de cinco quilómetros. Foi precedida pelo «Tabor», em referência ao monte que se encontra na Palestina, um veículo que transportou o Santíssimo Sacramento, o enviado do Papa, o Cardeal Jozef Tomko, e o Cardeal Marc Ouellet, Arcebispo de Quebec. A procissão fez paragens na igreja Saint-François-d’Assise (São Francisco de Assis), onde o Cardeal Tomko entrou com o Santíssimo Sacramento e deu a bênção às pessoas ali reunidas, e também na igreja Saint-Roch (São Roque), onde os peregrinos acenderam várias velas.

Congresso Eucarístico Internacional: uma crónica desde o Quebeque

Ir para o céu não é fugir deste mundo, como nos referiu o Cardeal Barbarin, de Lyon (França) na sua catequese, mas sim perceber que a vida eterna começa já aqui, no dia do Baptismo, e sempre que, em cada Eucaristia, o próprio Filho de Deus se torna presente sob as aparências do Pão e do Vinho. E, sendo no seio da Igreja que este Mistério acontece, a Igreja é comunhão, é sacrifício e é presença no meio do mundo, sobretudo nos templos vivos, que devem ser cada um dos cristãos. Numa Terça-feira de manhã, provavelmente o comum dos quebequenses, tal como qualquer habitante da Diocese de Setúbal, estará à espera de encontrar apenas as caras mais ou menos ensonadas, mais ou menos habituais, no seu transporte de casa para o trabalho. No entanto, esta semana não é nada normal, e o 801 (o número do dito autocarro) foi subitamente invadido por uma horda de brasileiros, portugueses, mexicanos, e também, claro, alguns canadianos. Todos, com a sua mochila negra, o seu cartão-passe pendurado de uma correia laranja ao pescoço, alguns com as capas de plástico que a organização forneceu contra a chuva aborrecida que ainda não parou, entram de rompante pelo veículo e enchem-no como um ovo. A algazarra, claro, mais que muita, e todos a meterem-se uns com os outros, mesmo sem nunca se terem visto antes. Perante tudo aquilo, um homem de meia idade, que seguia pacato no seu assento, pergunta a uma das viajantes, que deve ter percebido ser do Quebeque: «Onde é que vocês vão todos dessa maneira»? A resposta foi das mais desconcertantes, mas ao mesmo tempo das mais sérias que podiam ser dadas: «Vamos para o céu, meu caro senhor»! Olhos esbugalhados com a resposta, mas quem a deu não se riu, bem convicta do que afirmava. De facto, dá que pensar: para quê um Congresso Eucarístico, senão para amar mais a Eucaristia? E para quê a Eucaristia senão para nos unirmos mais a Deus e levarmos o mundo a unir-se também mais a Deus? Ir para o céu não é fugir deste mundo, como nos referiu o Cardeal Barbarin, de Lyon (França) na sua catequese, mas sim perceber que a vida eterna começa já aqui, no dia do Baptismo, e sempre que, em cada Eucaristia, o próprio Filho de Deus se torna presente sob as aparências do Pão e do Vinho. E, sendo no seio da Igreja que este Mistério acontece, a Igreja é comunhão, é sacrifício e é presença no meio do mundo, sobretudo nos templos vivos, que devem ser cada um dos cristãos. E por falar em templo vivos, e em céu, no dia seguinte, uma nova graça: foi-nos dada a possibilidade de participar na Eucaristia (tendo os sacerdotes presentes concelebrado) em Rito Bizantino. Tudo era diferente: os cânticos, as vestes dos bispos, a linguagem e os ritos da Eucaristia, os ritmos, a comunhão… Certamente que nem todos compreenderam tudo, mas a beleza da celebração e a harmonia falaram a esta grande assembleia aqui reunida. É claro que o recolhimento, no final, durou só até passarem os cinco minutos que os mexicanos normalmente aguentam sem cantar ou dançar… Mas até isso tem graça: é mais uma prova da variedade da Igreja, unida na mesma fé, mas com expressões muito diferentes e ricas consoante tempos, línguas e lugares. E que tal terminar o dia ao lado de três cardeais, cada um com seu pratinho de plástico na mão, e uma tigela de sopa ao lado, debaixo de uma tenda, e entre dezenas de sem-abrigo? Nunca lhe aconteceu? Pois é, mas uma festa organizada por uma das paróquias da cidade pode acabou assim mesmo: padres, bispos, cardeais, paroquianos, estrangeiros, sem abrigo, juntaram-se todos numa festa cheia de música, muito simples e valorizando muito a proximidade de uns com os outros. Chamaram «Ágape» à festa, segundo o nome da refeição fraterna que os primeiros cristãos trocavam entre si no fim das celebrações da Missa ou em outras ocasiões festivas, e foi isso que se sentiu verdadeiramente: nunca tanta gente, ao mesmo tempo, nos perguntou tanta coisa sobre Portugal, Fátima, e claro, também sobre o Euro 2008… A comida… bom… era canadiana… mas isso não importa nada agora! PFM

Diocese de Setúbal marca presença no Congresso Eucarístico Internacional

Reunido na cidade do Quebeque, no Canadá, está o XLIX Congresso Eucarístico Internacional. Neste momento único a nível mundial, que se realiza normalmente de quatro em quatro anos, participam duas dezenas de portugueses, no meio de uma multidão de cerca de doze mil inscritos, dos quais 40 Cardeais, cerca de 200 Bispos, e seis centenas de padres e diáconos, vindos de todo o mundo. O delegado da Diocese de Setúbal presente é o Pe. Francisco Mendes. A acompanhar a comitiva nacional está, em nome da Conferência Episcopal, o Bispo Emérito do Funchal, D. Teodoro de Faria. O Congresso iniciou no passado Domingo, dia 15 e terminará dia 22, também Domingo.

CEI 2008 em marcha

Milhares de fiéis reuniram-se este Domingo no Quebeque (Canadá) para a abertura do Congresso Eucarístico Internacional 2008, dedicado ao tema “Eucaristia, dom de Deus para a vida do mundo”. Na presença de mais de 50 Cardeais e 100 Bispos de todo o mundo, os trabalhos foram inaugurados com a presença do enviado especial do Papa, Cardeal Jozef Tomko, presidente emérito do Comité Pontifício para os Congressos Eucarísticos Internacionais. Este grande encontro internacional prolonga-se até ao próximo dia 22 de Junho, altura em que o Papa marcará presença, via satélite, desde Roma, na Eucaristia de encerramento. Os congressistas participam numa série de conferências e ateliês, ao longo da semana, bem como na procissão solene que na Quinta-feira irá percorrer as ruas da cidade. Sendo o 49.º na série de congressos que marcaram a vida da Igreja no espaço de um século, o Congresso de Quebeque coincide com o 400.º aniversário da fundação da primeira cidade francesa na América do Norte. Em entrevista à Rádio Vaticano, o Cardeal Francis Arinze, prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, diz que ao longo destes dias é necessário “questionar-se sobre como viver a mensagem da Eucaristia que nos envia em missão”. História Os Congressos Eucarísticos nasceram na segunda metade do século XIX na França. Foi uma mulher de nome Emilie Tamisier (1834 – 1910) inspirada por São Pedro Julião Eymard (1811 – 1868), chamado o “Apóstolo da Eucaristia”, que tomou a iniciativa de organizar, com a ajuda de outros leigos, sacerdotes e bispos e com a bênção do papa Leão XIII, o primeiro Congresso Eucarístico Internacional em Lille, com o tema: “A Eucaristia salva o mundo”. Apostava-se em uma renovada fé em Cristo presente na Eucaristia como remédio contra a ignorância e a indiferença religiosa. Os primeiros Congressos foram inspirados pela viva fé na presença real da pessoa de Jesus Cristo no sacramento da Eucaristia. Portanto, o culto eucarístico manifestava-se de modo particular pela adoração solene e pelas grandiosas procissões que evidenciavam o triunfo da Eucaristia. A partir dos decretos de São Pio X sobre a comunhão frequente Sacra Tridentina Synodus (1905) e sobre a comunhão das crianças Quam Singularis (1910), na preparação e na celebração dos Congressos promoviam-se a comunhão freqüente dos adultos e a primeira Comunhão das crianças. Com o pontificado de Pio XI os Congressos Eucarísticos se tornaram internacionais, pois começaram a ser celebrados rotativamente em todos os Continentes, adquirindo uma dimensão missionária e de “reevangelização” (expressão já usada para a preparação do Congresso de Manila de 1937). A partir do 37.° Congresso celebrado em Munique em 1960, os Congressos Eucarísticos Internacionais foram chamados statio orbis (proposto pelo noto liturgista Josef Jungmann, SJ), com a celebração da Eucaristia como centro e ápice de todas as várias manifestações e formas de devoção eucarística. A seguir, o Concílio Vaticano II, com a Constituição Sacrosanctum Concilium de 1963, a Instrução Eucharisticum mysterium de 1967 (n.67) e particularmente o Ritual Romano De sacra comunione e de cultu mysterii eucaristici extra Missam de 1973 (nn.109-112), apresenta a nova imagem e indica os critérios para a preparação e a celebração dos Congressos Eucarísticos, que a partir daquele momento se abriram aos problemas do mundo contemporâneo, ao ecumenismo e também, na fase de preparação, ao diálogo inter-religioso. Programa (Hora local, +5 em Lisboa) Segunda-Feira, 16 de Junho A Eucaristia, Dom de Deus por excelência 8.30 – Oração da Manhã 9.05 – Conferência – Mons. Donald William WUERL, Arcebispo de Washington, USA 9.50 – Hino de Integração 10.00 – Conferência – Mr. Jean Vanier 10.25 – Informações 11.00 – Celebração da Eucaristia 12.30 – Almoço 14.30 – Workshops/Adoração !6.00 – Workshops/Adoração Terça-Feira, 17 de Junho A Eucaristia, Memorial do Mistério Pascal 8h30 – Oração da Manhã 9.05.- Conferência – Cardeal Philippe BARBARIN, Arcebispo de Lyon, Primaz de Gauls (França) 9.50 – Hino de Integração 10.00 – Conferência – F. Nicolas BUTTET 10.25 – Informações 11.00 – Celebração da Eucaristia 12.30 – Almoço 14.30 – Workshops/Adoração 16.00 – Workshops/Adoração Quarta-Feira, 18 de Junho A Eucaristia, Sacramento de Salvação, fortalece a Igreja 8h30 – Oração da Manhã 9.05 – Conferência – Cardeal Jorge Mario BERGOGLIO, S. J., Arcebispo de Buenos Aires, Primaz da Argentina 10.00 – Informações 10.30 – Celebração da Eucaristia (Rito Oriental) 12.30.- Almoço 14.30 – Workshops/Adoração 16.00 – Workshops/Adoração Refeição partilhada e Oração Mariana na paróquia hospedeira dos peregrinos Quinta-Feira, 19 de Junho A Eucaristia, a Vida de Cristo nas nossas vidas 8h30 – Oração da Manhã 9.05 – Conferência –Mons. Louis Antonio G. TAGLE, Bispo de Imus, Filipinas 9.50 – Hino de Integração 10.00 – Conferência – Ms. ElizabethNguyen Thi Thu Hong 10.25 – Informações 11.00 – Sacramento da Reconciliação Liturgia Penitencial e Sacramento da Reconciliação 12.30.- Almoço 14.30 – Confissões/ Workshops/Adoração / Encontro dos Seminarostas 16.00 – Celebração da Eucaristia e Adoração antes da Procissão 19.00 – Procissão do Santíssimo Sacramento pelas ruas do Quebeque Sexta-Feira, 20 de Junho A Eucaristia e as Missões 8h30 – Oração da Manhã 9.05 Conferência – Cardeal Ivan DIAS, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos 9.50 – Hino de Integração 10.00 – Conferência – Mr. José H. Prado FLORES 10.25 – Informações 11.00 – Celebração da Eucaristia 12.30 – Almoço 14.30 – Workshops/Adoração 16.00 – Workshops/Adoração Relato do Trabalho Socio-Caritativo 19.30 – Celebração de Ordenações Diocesanas (a confirmar) Sábado, 21 de Junho Testemunhos da Eucaristia no,meio do mundo 8h30 – Oração da Manhã 9.05 – Conferência – Cardeal Christian Wiyghan TUMI, Arcebispo de Doula, Camarões 9.50 – Hino de Integração 10.00 – Conferência – Ms. Marguerite Barankitse 10.25 – Informações 11.00 – Celebração da Eucaristia 12.30 – Almoço 14.30 – Workshops/Adoração 16.00 – Workshops/Adoração Encontro dos Membros dos Institutos de Vida Consagrada !9.30 – Vigília de Oração da Juventude com o Papa ou o seu Delegado 21.00 – Noite de Adoração até às 7 horas da manhã Domingo, 22 de Junho Conclusão do XL CEI na Cidade de Quebec 8.30 – Ofício da Ressurreição 9.15 – Apresentação Especial 10.15 – Informações 10.30 – Tempo de Contemplação 11.00 – Missa STATIO ORBIS 13.30 – Concerto

Página 1 de 612345...última »