Páscoa: De uma vida desregrada à ressurreição do encontro

Marinha Grande, Leiria, 04 abr 2015 (Ecclesia) – Joaquim Mexia Alves foi-se afastando da Igreja Católica, da educação dos pais, no início de vida adulta, tendo vivido “sem sentido”, mas antes do “abismo” sentiu que devia mudar e tornou-se apóstolo dos outros.

“Houve alguma coisa que me fez sentir que deveria mudar. Foi relativamente simples, porque me lembrei da maneira como tinha sido educado e na hora do almoço, sem ninguém, ia sentar-me e conversava com o sacrário, ou com Deus, na Igreja Matriz de Monte Real”, começa por recordar à Agência ECCLESIA.

O entrevistado revela que foi percebendo que havia uma presença que lhe “dava forças para conseguir mudar” porque viu-se a cair “num abismo” do qual “não conseguiria sair” e começou a resistir a algumas situações.

Neste percurso conheceu o padre Lapa, do Movimento Carismático Católico, a quem escreveu a pedir ajuda e foi convidado para assistir a uma assembleia do Renovamento Carismático da Pneuma Vita, em Fátima.

“Fui desconfiado mas espantou-me. A certa altura pensei que estava no meio de gente meia louca, a maneira como o movimento reza mas fui-me sentido bem, que devia ficar ali”, disse José Mexia Alves, atualmente coordenador da equipa diocesana do Renovamento Carismático de Leiria.

“A espiritualidade muito aberta e livre mas muito preenchida e cheia do movimento ajudou-me a percorrer um caminho”, acrescenta quem sentiu Deus e Jesus Cristo “muito próximo”.

“Estava ali para me abraçar, acompanhar, não queria que eu deixasse de ser o Joaquim que era mas que algumas prioridades mudassem para ser mais feliz”, observa o também coordenador do curso Alpha na Vigararia da Marinha Grande.

Neste contexto, fala “quase” de uma “ressurreição” porque teve uma vida nova a partir do momento que deixou-se “encontrar por Deus” e “O encontrou”.

“Uma vida nova, com sentido, direção, sobretudo não só para Deus mas em Deus para os outros. Para pensar nos outros e em tudo aquilo que no reúne”, acrescenta.

Segundo Joaquim Mexia Alves um das partes “importantes” deste caminho foi o “entendimento do que é a Igreja verdadeiramente” e considera que se tornou uma pessoa “bem mais bem-disposta e mais alegre”.

“A alegria não da gargalhada ruidosa mas de Deus, serena e tranquila. A Igreja dá-nos a dimensão de vivermos em comum, perseguirmos os mesmos valores, vivermos juntos para o mesmo Deus e com Ele presente em nós”, desenvolveu.

O interlocutor, que desde há um ano ajudou a criar um grupo de reflexão para divorciados ou recasados, comenta ainda que esta mudança tornou-o apóstolo para os outros a quem “tenta dar” o que recebeu de Deus, a “ressurreição neste mundo”.

HM/CB

Publicações: Raquel Dias fala em livro sobre a sua (re)conversão 20 anos depois

Lisboa, 10 jul 2014 (Ecclesia) – A igreja de São Julião da Barra, em Oeiras, vai acolher hoje a apresentação do livro “Renascer… do medo à confiança”, obra de Raquel Dias que fala do regresso à fé católica depois de um afastamento de 20 anos.

Numa nota de imprensa enviada à Agência ECCLESIA pela Paulus Editora, responsável pela publicação do projeto, Raquel Dias sublinha que “este livro é um testemunho da sua caminhada desde que voltou à Igreja”.

O ponto de viragem na sua vida deu-se “há dois anos e meio”, durante a “missa de profissão de fé de uma sobrinha”.

A autora recorda sobretudo a homilia dessa eucaristia, que não fez “lembrar nada a imagem da Igreja” que tinha “de pequenina”, e que a fez afastar-se depois de fazer a “primeira comunhão”.

Uma Igreja que era “muito centrada no pecado e não no amor”, realça Raquel Dias.

Depois dessa experiência, a jovem começou a participar na eucaristia, depois inscreveu-se no “Curso Alpha”, um projeto de iniciação à fé cristã,  e progressivamente abraçou mais “responsabilidades” na paróquia a que pertence, São Julião da Barra.

Uma comunidade que a “acolheu de braços abertos”, a “ajudou a caminhar” na sua “conversão” e a descobrir “que nunca tinha deixado de acreditar, apenas tinha deixado adormecer essa parte” de si.

O livro foi também uma maneira de ultrapassar “a dificuldade” que Raquel tinha em rezar.

“Como não sabia como falar” com Deus, começou “a escrever” e a obra começou a ganhar forma.

A apresentação do livro “Renascer… do medo à confiança” está marcada para as 21h30 desta quinta-feira, no salão paroquial da igreja de São Julião da Barra.

Para o padre Nuno Westwood, pároco da comunidade local e que assina o prefácio da obra, o primeiro título de Raquel Dias mostra como Deus continua a desafiar as pessoas no mundo atual.

Segundo o sacerdote, a autora percebeu o convite que lhe estava a ser feito e aceitou “escancarar as portas do coração a Cristo”, decidiu “arriscar”.

Durante a sua caminhada de (re)conversão, a jovem “pôde fazer a experiência do amor insondável de Deus na sua vida e foi constatando, lentamente, como, apesar dos seus medos, dúvidas e insucessos, Deus não deixou de a conduzir e amar”, conclui o padre Nuno Westwood.

JCP

Leiria: Clero da diocese fez formação sobre centenário das aparições de Fátima

Fátima, Santarém, 30 jan 2012 (Ecclesia) – O clero da diocese de Leiria-Fátima reuniu-se para duas sessões de formação sobre o tema ‘Fátima: acontecimento, teologia e pastoral’, revelou hoje a sala de imprensa do Santuário.

62 sacerdotes e o seu bispo diocesano, D. António Marto, marcaram presença na iniciativa organizada pelo Serviço de Apoio ao Clero, que decorreu no Centro Apostólico D. João de Oliveira Matos, Guarda.

“Na nossa diocese estamos a concluir o projeto pastoral, neste último biénio voltado para a missão e o testemunho da Igreja e dos cristãos no mundo”, explica o padre Adelino Guarda, diretor do Serviço de Apoio ao Clero.

Segundo este responsável, “porque se aproxima o centenário das aparições de Fátima [2017] e por sugestão apresentada por alguns sacerdotes nas últimas formações”, esta foi a temática central escolhida para esta edição.

Nos dois turnos, o padre Cristiano Saraiva, capelão e administrador do Santuário de Fátima, apresentou o itinerário temático e celebrativo do centenário, numa conferência que intitulou ‘Centenário das Aparições: o meu Imaculado coração será o teu refúgio’.

Numa segunda exposição, que designou ‘Santuário de Fátima: estatuto e vida quotidiana’, deu a conhecer os Estatutos e as estruturas do Santuário de Fátima na atualidade.

A reflexão teológica sobre Fátima foi orientada por Eloy Bueno de la Fuente, professor da Faculdade de Teologia do Norte de Espanha, Burgos.

O programa incluiu ainda a apresentação do curso Alpha como método de Nova Evangelização, pelo padre Jorge Santos.

No primeiro turno, a conferência final foi proferida pela Irmã Ângela Coelho, postuladora para a Causa da Canonização de Francisco e Jacinta Marto, e versou sobre ‘A causa dos Pastorinhos’.

No segundo turno, a conferência de encerramento coube ao bispo de Leiria-Fátima. D. António Marto apresentou o tema ‘Atualidade da mensagem de Fátima’.

LDS/SISF/OC

Programa Ecclesia do dia 09 de novembro de 2011

Assembleia Plenária da CEP: discurso de abertura e novas comissões episcopais para o triénio 2011/2014; Curso Alpha: Conferência Alpha em Cantanhede; Domus Fraternitas: Centro de Acolhimento “O Poverello”; Lisboa: encontro Inter-Religioso para celebrar os 25 anos do encontro de Assis; XIII Fórum Ecuménico Jovem.

Cantanhede recebe Conferência Alpha

Lisboa, 10 Fev (Ecclesia) – A localidade de Cantanhede (diocese de Coimbra) recebe a próxima Conferência Alpha, dias 5 e 6 de Março.

Esta conferência destina-se a quem “está já inserido nos cursos Alpha, mas nunca teve a oportunidade de receber formação para tal” – informa o Departamento de Comunicação Social da diocese de Coimbra.

Os formadores virão de Inglaterra e França, onde existe “uma grande experiência no aprofundamento do Curso Alpha, e onde se prepararão os animadores para fazerem melhor o que já fazem e chegarem mais longe” – acrescenta.

LFS 

Criada a Paróquia de São João Baptista de Coimbra

No dia 24 de Junho de 2010, foi criada a Paróquia de São João Baptista da cidade de Coimbra, com todos os deveres e obrigações consoantes descritos no Código de Direito Canónico. Neste mesmo dia, o Pastor diocesano nomeou nomeou o Padre Jorge Santos como pároco de São João Baptista. Declarou também São João Baptista como padroeiro da nova paróquia.

Depois de consultar o Conselho Presbiteral e os conselhos do governo da diocese, o Bispo de Coimbra, D. Albino Cleto, achou, por bem, criar esta paróquia após a “caminhada” efectuada por esta comunidade sob orientação do então Reitor Padre Jorge da Silva Santos. Recorde-se que a 24 de Junho de 2009 tinha sido criada a “Reitoria de São João Baptista”.

O território da paróquia é o mesmo que estava estabelecido para a Reitoria de São Baptista: “Partindo da intersecção da Ribeira do Chão do Bispo com o Rio Mondego, o limite segue pelo eixo do rio, para Sul, passando pela Ponte da Portela e seguindo para Poente, sempre pelo eixo do Rio, flecte, a partir do Rebolim, para Norte até à foz da linha de água da Quinta da Nora nas imediações da Ponte da Rainha Santa Isabel. Desde este ponto segue para Nascente, sempre por esta linha de água e parque linear do Vale das Flores, até às Nogueiras; cruzando a estrada das Beiras, segue em linha recta, atravessa a Rua D. Ernesto Sena de Oliveira, continuando até à Rua da Irmã Lúcia de Jesus; flecte depois para Sul, contornando o jardim público até à Rua João Moreno e segue por esta Rua até à Avenida Fernando Namora. Daqui segue por esta Avenida para Norte até encontrar o caminho pedonal que leva à Ladeira da Portela da Cobiça, seguindo por esta até ao cruzamento com Rua da Porteladinha. A partir deste ponto segue em linha recta para Nascente até encontrar o eixo da Ribeira do Chão do Bispo, seguindo depois por esta Ribeira, até ao ponto de partida, intersecção da Ribeira com o Rio Mondego”.

Embora o decreto da criação da nova paróquia tenha sido assinado pelo Bispo de Coimbra a 24 de Junho, só foi tornado público, no dia 26, numa celebração eucarística a que D. Albino Cleto fez questão de presidir. Aí, perante a comunidade cristã reunida no templo foi lido o decreto. Na homilia, o prelado também explicou as razões da criação desta paróquia. Para D. Albino Cleto, este facto é por causa do “número”. “As populações foram crescendo, a cidade expandiu-se para este lado e foi necessário constituir aqui uma comunidade de fiéis”, explicou. “Mas, quando o número de cristãos decresce, aí teremos que extinguir paróquias. Oxalá que nunca se verifique isso em Portugal”.

Para D. Albino Cleto, uma paróquia não nasce unicamente para celebrar a fé, mas para ir ao encontro dos outros, da vida e da sociedade. O prelado também pediu para que este novo bairro e nova universidade crescessem também, na fé, com as orações de toda a comunidade.

A Reitoria de São João Baptista apesar de ter tido somente um ano de vida, foram muitas as actividades que mereceram destaque na comunicação social.

O Padre Jorge Santos reconhece que ainda há muito a fazer. Apenas regista a participação de três centenas de fiéis nas celebrações eucarísticas. “Muitos dos que aqui vivem, estão ligados ainda afectivamente à paróquia mãe, que era S. José”, e não se pode corta radicalmente o cordão umbilical, que é perfeitamente compreensível, explica-nos o novo pároco.

O Padre Jorge Santos tem apostado mais nos fiéis que estão afastados da realidade da Igreja. Para isso, adoptou o curso Alpha (que conheceu em Londres) à realidade da sua comunidade e propõe aos participantes, servido com um jantar, uma nova forma de olhar para a Igreja. Só este ano fez dois cursos e tem agendado para o próximo ano cerca de três. Como qualquer paróquia, também já iniciaram a catequese, embora ainda com poucas crianças e salas. Para resolver o problema da falta de espaço, o Padre Jorge Santos pretende arranjar mais pavilhões pré-fabricados para servirem de salas para a catequese. Para já, não se coloca a preocupação da igreja definitiva, mas sim da comunidade poder crescer ao seu ritmo.

Cursos Alpha na Diocese de Coimbra

Em diferentes paróquias da diocese de Coimbra já recomeçaram os segundos Cursos Alpha no presente Ano Pastoral. Mais de quatro centenas de pessoas já estão a participar nos cursos que já principiaram, prevendo-se um aumento considerável com o início deste método de evangelização noutras paróquias.

Cantanhede, Ançã, Ansião, Santa Clara de Coimbra, S. Paulo de Frades, Eiras, Lousã, Carapinheira, Febres e na nova paróquia de São João Baptista, em Coimbra, os Cursos Alpha já mobilizam centenas de interessados em participar nas sessões deste “renovado instrumento de evangelização”.

O Curso Alpha “é uma excelente oportunidade para a evangelização dos tempos modernos na Europa”, diz o padre Jorge Santos, coordenador do “Alpha Porutugal”, explicando que “é preciso propor a fé de um modo novo, com dinamismos e métodos diferentes que têm surgido na Igreja e estão pensados para a situação do mundo de hoje”. “Sendo um processo de evangelização, já com presença em mais de cem países – e numa expressão querigmática – isto é, de primeiro anúncio de Jesus Cristo – o curso Alpha lança as bases de adesão à Pessoa de Jesus Cristo numa consciencialização daquilo que é ser, de facto, cristão… em Igreja”, sublinha o sacerdote.

Nascidos em Inglaterra, os Cursos Alpha arrancaram, em Portugal, na diocese de Coimbra, a 25 de Janeiro de 2000, dia da conversão de Paulo, dinamizados pelo P. Jorge Santos, com o apoio da Comunidade Emanuel. Implementado em dezenas de paróquias das dioceses de Vila Real, Viseu, Leiria, Santarém, Lisboa e Setúbal, o Secretariado Nacional pretende dar uma maior visibilidade ao curso Alpha, como instrumento de renovada evangelização e mobilizar outras comunidades cristãs.

Realçando que “apesar do Evangelho ser sempre o mesmo ontem, hoje e sempre, é necessário encontrar-se um método que nos ajude a transmiti-lo”, o sacerdote defende que “o Curso Alpha é isso mesmo: um novo instrumento para mostrar às pessoas o quanto têm sede de Deus”.

E explica: “Muitos dos participantes do curso Alpha estão a descobrir novos e marcantes sinais de Deus nas suas vidas e, numa dinâmica de interpelação e de testemunho, sentem que precisam de crescer tanto na dimensão pessoal como familiar e paroquial da sua fé católica”, acrescentando “estou convicto, por isso, que até se deu uma ‘conversão’ à prática mais habitual da fé e, noutros casos, se dá mesmo uma descoberta de um outro rosto de Igreja”.

Fátima recebe Conferencia Nacional do Curso Alpha

Todos os anos, o Secretariado Nacional do curso Alpha, realiza uma grande Conferencia Alpha para a formação de equipas que as paróquias enviem para organizarem o curso Alpha na sua paróquia ou unidade pastoral ou Arciprestado. Este ano, será no Seminário do Verbo Divino, em Fátima, a 23 e 24 de Janeiro.

A Conferencia Alpha é um fim-de-semana de formação teórico -prático e experiencial que habilita os participantes enviados pelos párocos a organizarem na paróquia o curso Alpha. Começa às 10 horas deste sábado e depois de uma oração da manhã, há uma primeira conferência sobre a urgência da evangelização e os princípios e fundamentos do curso Alpha. Depois, segue-se os aspectos práticos a ter em conta para realizar um curso Alpha com excelência e que atraia os participantes convidados. O curso Alpha baseia-se a 100% na confiança da graça divina que se pede muito, e a 100% na eficiência de uma equipa que não deve descurar nada para fazer um belo acolhimento das pessoas, uma refeição que pode ser simples mas bonita e bem apresentada, uma palestra que deve ser incisiva, mas não aborrecida, dada com bom humor, tentando ter os convidados sempre interessados no que está a ser dito, e depois os grupos de discussão bem animados para que todos possam ter a possibilidade de se exprimir mesmo discordando.

Como animar bem um grupo de discussão? Como dar uma cativante palestra? Como organizar bem todos os detalhes do curso? E o fim-de-semana do curso? Tudo o que se deve ter em conta. Estes e outros temas são fundamentais na formação das equipas.

Todas as informações detalhadas sobre a conferência, podem ser obtidas no site do Curso Alpha em www.alphaportugal.org

Coimbra: encontro de delegados Alpha

Duas dezenas de delegados dos Cursos Alpha, que se realizam em diferentes dioceses do nosso país, estiveram reunidos, dia 11, no Instituto Justiça e Paz, em Coimbra. O objectivo de encontro prendeu-se com uma reflexão sobre os diversos cursos Alpha já realizados, uma perspectiva de atrair pessoas descomprometidas com a Igreja, atitudes a desenvolver para um bom desenvolvimento dos cursos e uma síntese conclusiva.

O Padre Jorge Santos, para justificar a conferência que ia ser dada a seguir por Madalena Abreu, e à guisa de introdução e apresentação da conferencista, afirmou que o sucesso do curso Alpha no mundo deve-se primariamente à acção do Espírito Santo, mas também e, ao mesmo tempo, ao facto de que a directora executiva do Curso Alpha internacional seja uma pessoa que esteve à frente de grandes companhias internacionais de exposições e de marketing como a de Rupert Murdoch, que liderou processos de crescimento e de relançamento de grandes jornais britânicos tais como o "Sun", "News of the World", "The Times", "The Sunday Times" e "Today". Chegada que foi à Direcção Executiva do Alpha internacional, levantou a questão: "Porque é que a Igreja não deve trabalhar tão ou mais profissionalmente e melhor do que qualquer boa organização civil? Porque é que não aplicamos os princípios do marketing e os usamos ao serviço da difusão do evangelho, de maneira cristã?"

A conferência "Marketing religioso", proferida depois por Madalena Abreu, do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra, traçou alguns modos de motivação, criatividade e dinâmica para a evangelização. Ela mostrou como a Igreja sempre usou o ‘marketing' mas que não lhe dava esse nome, "até porque este é um nome actual, mas hoje têm-se mais conhecimentos sobre isso e é pena que não se utilizem na Igreja".

Explicando a génese do "marketing", a especialista afirmou que "as organizações podem usar as ferramentas do marketing de forma a adequar a sua oferta de maneira a irem ao encontro dos públicos pretendidos", frisando que "no seguimento desta ideia, fazemos um enquadramento para esta aplicação particular do marketing às organizações religiosas: o marketing religioso é apresentado no trilho da história do marketing e, especialmente, enquanto herdeiro da tradição de marketing social". Apresentou, ainda, "uma possibilidade do conceito e ferramentas do marketing religioso".

"A evangelização é uma prioridade da Igreja", disse o padre Sílvio Couto, explicando que "muitos padres andam ‘a fazer o social' deixando a evangelização e, às vezes, "a caridade" para segundo plano". Esclarecendo não ser contra ‘o movimento social' protagonizado pelos padres, em substituição dos organismos governamentais, Sílvio Couto advertiu que "muitas paróquias estão sedentas de evangelização" e, um dia, replicou, "acabam os protocolos de manutenção do serviço social, e os padres despedem utentes e funcionários que se vão revoltar com a Igreja".

Depois da conferência e do diálogo que se seguiu, foi apresentado o novo site do Alpha que agora vem totalmente renovado, e vai estar sempre actualizado. Pode ser encontrado em www.alphaportugal.org

Marcaram-se as datas da conferência Nacional Alpha que será em Janeiro de 2009, em Cantanhede, e do Dia Nacional Alpha que será a 24 de Abril, mas ainda não ficou decidido o local. Falou-se do sucesso do livro Ela e Ele e do bem que está a fazer aos casais que o lêem e da necessidade de arrancar com mais cursos Ela e Ele. Entretanto a 26 de Setembro terá lugar, no Instituto Justiça e Paz, mais uma conferência para formação de casais animadores do curso Ela e Ele. "É necessário um esforço maior de divulgação do curso Alpha em Portugal", afirmou o P. Jorge Santos, esclarecendo que "por não haver ninguém a tempo inteiro o curso Alpha não se tem espalhado tanto como acontece em muitos países da Europa, como em França, onde se fazem milhares de cursos por ano e onde os bispos apregoam que se façam cursos Alpha nas paróquias". Em Junho estiveram em Londres 70 bispos vindos da Europa, África e América Latina, para ouvirem falar do curso Alpha e acompanharem equipas de leigos e de padres que vieram com eles. Por isso, o P. Jorge explicou que enviou a quase todos os bispos portugueses um DVD com um pequeno documentário de 12 minutos sobre o curso Alpha em que aparece o cardeal Barbarin de Lião, O Bispo de Dax, vários sacerdotes e pastores de igrejas a falarem na importância deste percurso para a evangelização da sociedade. O P. Jorge e vários leigos presentes afirmaram que o curso Alpha nunca tem sucesso enquanto o pároco não se tornar o primeiro interessado nele. "Pode não estar sempre presente, mas toda a paróquia tem de perceber que é um curso da comunidade, que faz parte da sua pastoral de evangelização e não uma coisa à parte", disse, frisando que "por isso, o padre deve falar dele, convidar pessoas, encorajar a equipa responsável, ajudá-los a crescer na santidade e no ardor da missão". "Se o padre entregar tudo aos leigos e encolher os ombros, o curso alpha não terá sucesso e acabará nessa paróquia mais cedo ou mais tarde", sustentou.

I Encontro Nacional Alpha em Viseu

O primeiro ‘Encontro Nacional Alpha’ realizado sábado, 9 de Maio, no pavilhão Multiusos, em Viseu, atingiu os objectivos pretendidos. Esta ‘jornada de reflexão cristã’, após um fervoroso acolhimento, iniciou-se com a oração de louvor. Foi um momento de glória, de fervor e entusiasmo que, abrindo o coração a Cristo, procurou motivar os participantes no encontro. O P. Jorge Santos, coordenador do Curso Alpha, em Portugal, congratulando-se com a adesão à iniciativa, disse que “este renovado instrumento de evangelização está a dar bons frutos; a ideia de uma Igreja envelhecida, triste e fechada está a ser ultrapassada”, sublinhando que “a Igreja está Viva, alegre e aberta para acolher todos os que anseiam viver uma vida de amor, de partilha, de evangelização”. O Bispo de Viseu, D. Ilídio Leandro, também transmitiu uma palavra de entusiasmo e de incentivo “ao renovado método de anúncio do Evangelho”, porque “é um fermento no meio do mundo cristão”. “Neste dia do início da ‘semana da vida’ é gratificante presenciar o entusiasmo que vos anima e motiva a anunciar a Palavra de Deus, numa forma evangelizadora que responde muito bem ao desafio que Bento XVI fez aos bispos”, disse o prelado, afirmando que “evangelizar é anunciar que Jesus Cristo está Vivo, é anunciar a Vida”. “Que este encontro fortaleça o sentido de apostolado para anunciar a palavra do Evangelho”, anotou. O tema de reflexão “A Vida Nova em Cristo…”, apresentado pelo P. Paulo Araújo, pároco de Arroios, em Lisboa, e membro da Comunidade Emanuel, “acordou alguns espíritos mais adormecidos”, tal a profundidade dos temas abordados, com denodado “engenho e talento comunicativo”. Depois do almoço partilhado, e de um momento musical protagonizado pelo Grupo Xadai, seguiu-se a apresentação de alguns depoimentos vivenciados em diferentes ‘cursos Alpha’ a decorrerem em dezenas de paróquias do país, ora através de vídeos ora através de testemunhos de participantes. Todas as intervenções apontaram para um objectivo único e convergente: “Alpha é uma oportunidade para explorar o sentido da vida”, porque “este instrumento de evangelização está sempre para além das palavras: sente-se através da partilha, do amor, da solidariedade; é uma ‘coisa de difícil explicação’ porque é uma emanação de Deus”. “Esta jornada de reflexão”, que também pretendeu dar uma maior visibilidade ao Curso Alpha, como instrumento de renovada evangelização, e incentivar outros párocos e outras comunidades cristãs na sua implementação, culminou com a celebração de uma missa solene, e oração de intercessão, presidida pelo padre Jorge Santos, concelebrada pelos padres José Morujão, Manuel Coutinho, Zeferino Barros e diácono Lusitano Rainho, e acompanhada musicalmente pelo Coro Paroquial de Febres. Cerca de um milhar de cristãos, com o apoio espiritual dos párocos das comunidades a que pertencem, mostraram como o modelo de evangelização emanado pelo Curso Alpha “transformou as suas vidas, ajudando-os a renovarem a sua fé, a comprometerem-se mais com a Igreja, tornando-se discípulos de Cristo”. De registar que o acolhimento aos participantes neste Encontro Nacional Alpha foi organizado pela paróquia de S. José, de Viseu, sendo recebidos com “um carinho especial” pelo padre José Morujão, pelo presidente da Junta de Freguesia e pelo representante da Câmara Municipal de Viseu.

Viseu recebe Encontro Nacional Alpha

O Secretariado Alpha Portugal está a organizar o primeiro encontro nacional Alpha, aberto a todos os que já fizeram o Curso, a suas famílias, a seus amigos, que terá lugar sábado, 9 de Maio, no pavilhão Multiusos, em Viseu. “Esta grande jornada de ‘reflexão cristã’ pretende continuar a motivar ainda mais os que já fizeram um curso para que renovem a sua fé e se comprometam mais na Igreja”. Palavras do Pe. Jorge Santos, coordenador do Secretariado Nacional Alpha Portugal, sublinhando que “esperamos milhares de pessoas que já fizeram um curso, em diferentes dioceses do país”. “Os testemunhos de mudanças de vida que se irão ouvir, a festa e a vivência religiosa que faremos juntos, podem renovar a fé de muitos”, explica, em comunicado enviado á Agência ECCLESIA. Com esta iniciativa, o Secretariado Alpha pretende dar uma maior visibilidade ao curso Alpha, como instrumento de renovada evangelização e mobilizar outras comunidades cristãs”. “É preciso propor a fé de um modo novo, com dinamismos e métodos diferentes que têm surgido na Igreja e estão pensados para a situação do mundo de hoje”, acrescenta. O Curso Alpha “é uma excelente oportunidade para a evangelização dos tempos modernos na Europa”, diz o padre Jorge, sugerindo que “é preciso propor a fé de um modo novo, com dinamismos e métodos diferentes que têm surgido na Igreja e estão pensados para a situação do mundo de hoje”. “Sendo um processo de evangelização – com já presença em mais de cem países – e numa expressão querigmática – isto é, de primeiro anúncio de Jesus Cristo – o curso Alpha lança as bases de adesão à Pessoa de Jesus Cristo numa consciencialização daquilo que é ser, de facto, cristão… em Igreja”, afirma. Foi em Inglaterra que Jorge Santos teve o primeiro contacto com os cursos Alpha. Na altura encontrava-se a estudar em Paris, no Instituto Católico, quando foi convidado a conhecer o curso. “Eu sempre me interessei por novos caminhos e linguagens para levar o Evangelho ao Homem”, confessa, porque, realça, “apesar do Evangelho ser sempre o mesmo ontem, hoje e sempre, é necessário encontrar-se um método que nos ajude a transmiti-lo”. “Temos, assim, um novo instrumento para mostrar às pessoas o quanto têm sede de Deus”, defende. O curso viria a arrancar, experimentalmente, a 25 de Janeiro de 2000, dia da conversão de Paulo, em Portugal, por iniciativa do Padre Jorge, que foi o fundador da Comunidade Emanuel em Portugal e seu responsável durante vários anos. Para o coordenador do Alpha Portugal “este instrumento inovador do anúncio da fé cristã está a dar bons frutos no nosso país, estando a funcionar em mais de vinte paróquias distribuídas por cinco dioceses”, explicando que “muitos dos participantes do curso Alpha estão a descobrir novos e marcantes sinais de Deus nas suas vidas e, numa dinâmica de interpelação e de testemunho, sentem que precisam de crescer tanto na dimensão pessoal como familiar e paroquial da sua fé católica”. “Estou convicto, por isso, que até se deu uma ‘conversão’ à prática mais habitual da fé e, noutros casos, se dá mesmo uma descoberta de um outro rosto de Igreja”, anotou. Programa 09h30 – Acolhimento aos que vêm de longe. Boas-Vindas 10h00 – Oração de louvor 10h30 – Tema: A Vida em Cristo, depois do nosso encontro de Damasco. Este tema será dado pelo P. Paulo Araújo, pároco de Arroios em Lisboa, e membro da Comunidade Emanuel. 11h30 – Intervalo: A banda de música toca… 12h00 – Vídeo Alpha: testemunhos. 13h00 – Almoço 14h30 – Sessão musical 15h30 – Apresentação das paróquias, utilizando, se possível, as novas tecnologias para apresentar os seus cursos. Podem usar documentário, filme, power point. Pretende-se que cada paróquia faça um apanhado de quantos cursos já fez, quantas pessoas já fizeram cursos, os frutos que têm visto e 1 testemunho de alguém presente. 16h30 – Oração de intercessão pelas paróquias presentes e pelos seus cursos Alpha. 17h30 – Eucaristia presidida pelo D. Ilídio, Bispo de Viseu. 18h30 – Final do encontro O secretariado Nacional Alpha Portugal

Percurso «Ela e Ele» para animadores Alpha

Um dia de formação para animadores de um percurso para casais denominado «Ela e Ele” realizar-se-á, na casa das Cooperadoras da Família, em Coimbra, hoje, dia 7 de Fevereiro. Promovido pelo Curso Alpha, este percurso terá 8 semanas e já foi testado em muitos países. “Este percurso não é um movimento de casais, mas somente uma caminhada de 8 semanas, findo o qual o casal pode entrar, se quiser, num movimento de casais já existente, ou então em qualquer grupo eclesial, ou não entrar em nenhum” – realça um comunicado enviado à Agência ECCLESIA. Estará a orientar a formação, o casal responsável do percurso “Ela e Ele” em França, e alguns casais que já fizeram, em Lisboa, este caminho, “para poderem testemunhar os frutos que dá na vida do casal” – realça o documento. Os assuntos abordados incluem: Reconhecer as necessidades do outro, aprender a comunicar mais eficazmente, resolver os conflitos, curar as feridas passadas, descobrir o que dá ao outro o sentimento de ser amado, as relações sexuais, tirar tempo para o outro e divertirem-se juntos. Programa 9.30h: Louvor 10.00h: Princípios e conteúdos do percurso Ela e Ele 11.15h: café 11.45h: Aspectos práticos do percurso 12.45h: Fotografia de grupo 14.00h: Louvor 14.15h Sessão tipo: Amor em acção, 15.00h: Testemunhos de casais que fizeram o percurso Ela e Ele. 16.15h: Pausa para café 16.30h: Oração 17.00h: Perguntas e respostas 17.30h: Fim

9ª Conferência Nacional do Curso Alpha

Decorre este fim-de-semana, no anfiteatro do Centro pastoral de Cantanhede, e no hotel daquela cidade, a 9º Conferência Nacional do curso Alpha. Já estão inscritos mais de 200 delegados, representando várias paróquias e Dioceses a nível nacional que trabalham ou querem vir a trabalhar, proximamente, com o curso Alpha para evangelizar. As dioceses com mais grupos presentes são Lisboa e Coimbra. Mas estão também presentes paróquias de Santarém, de Setúbal, de Leiria, e de Viseu. Nesta conferência é dada a formação teórico-prática básica para lançar o curso Alpha. Temas como: Os princípios e fundamentos do curso Alpha, os aspectos práticos do curso, como animar um grupo de discussão e partilha, a atitude de um bom animador, a música e a oração no curso Alpha, e vários outros, preenchem uma boa parte do fim- de- semana da conferência. Mas esta não é só formação a nível intelectual, é também uma experiência de Deus que os participantes são convidados a fazer através dos vários momentos de oração, através do canto de louvor, da escuta da Palavra de Deus, da oração uns pelos outros, e da celebração da Eucaristia. Da Diocese de Coimbra estão inscritas as paróquias de Ansião, Miranda do Corvo, Lousã, Semide, Santa Clara de Coimbra, S. Martinho do Bispo, nova paróquia em formação de S. João Baptista, Febres, Vilamar, S. Caetano e Corticeiro, Cantanhede, Ançã, Carapinheira, Meãs do campo e Arazede. Em Viseu, decorrerá este ano, uma grande assembleia nacional, a 9 de Maio, que reunirá uma boa parte dos milhares de pessoas que já fizeram um curso Alpha.

‘Curso Alpha’ em Sesimbra: um processo de evangelização em crescimento

Desde 2004 que a Paróquia de Santiago – Sesimbra entrou no processo de evangelização ‘Alpha’. Terão já participado nos oito cursos realizados cerca de quatrocentas pessoas. Neste ano pastoral (2007/2008) já decorreram dois cursos: um de Outubro até ao Natal e outro de Janeiro até à Páscoa. Um terceiro curso decorrerá desde o início de Abril até meados de Junho. Sendo um processo de evangelização – com já presença em mais de cem países – e numa expressão querigmática – isto é, de primeiro anúncio de Jesus Cristo – o curso Alpha lança as bases de adesão à Pessoa de Jesus Cristo numa consciencialização daquilo que é ser, de facto, cristão… em Igreja. Embora destinado a pessoas que não têm uma prática frequente da sua fé, no entanto, muitos cristãos (ditos) praticantes têm encontrado no curso Alpha uma resposta para algumas dúvidas, para as bases um tanto incipientes da sua fé católica e ainda para retomar a vivência cristã mais assumida. Atendendo aos itens mais gerais, poderemos considerar que, na Paróquia de Santiago, Sesimbra, muitos deles foram cumpridos, começando mesmo pela equipa – que neste momento tem mais de três dezenas de elementos – que tem levado a feito os vários cursos. * Cada sessão e os temas Cada sessão do ‘curso Alpha’ tem três momentos claros, complementares e progressivos: refeição (jantar normalmente), um tema e a partilha/discussão. Tudo isto acontece em mesas estáveis – com cerca de dez pessoas, onde há um casal responsável e (quando possível) ou outro co-responsável – durante doze semanas, isto é, dois meses e meio. Os temas apresentados abordam as questões mais elementares da fé cristã: quem é Jesus, porque morreu Jesus, como estar certo da minha fé, ler a Bíblia, rezar: como e porquê, como é que Deus nos conduz. Um momento central é o fim-de-semana, que decorre, após a sexta semana, e que aborda só o tema do Espírito Santo – quem é, qual a sua obra e como ser cheio do Espírito Santo. Após esse momento significativo de vivência pessoal e comunitária, seguem-se os temas: como resistir ao mal, falar aos outros, Deus cura ainda hoje, a Igreja e – no encerramento de um curso e a apresentação do seguinte – como tirar partido do resto da minha vida. Partindo da vivência de cada elemento – é sempre mais rico quando sintonizado em casal – é feita a proposta a outros para viverem a graça de encontrar Deus através do curso Alpha. Os convites são, assim, multiplicados em função do testemunho de cada um dos participantes a outros mais próximos… sempre numa abertura à evangelização. * Prosseguindo a ‘obra’ de Deus iniciada Entretanto, para dar sequência ao processo de evangelização, iniciado no curso Alpha – e para responder à necessidade manifestada, pelos participantes, no final de cada curso ‘que vai ser de nós?’ – tem estado a ser proposta a participação nas ‘células paroquiais de evangelização’, que é um outro método de aprofundamento alicerçado na proximidade tanto de habitação como de caminhada cristã/espiritual. Com efeito, muitos dos ‘frequentadores’ do curso Alpha vão descobrindo novos e marcantes sinais de Deus nas suas vidas e, numa dinâmica de interpelação e de testemunho, sentem que precisam de crescer tanto na dimensão pessoal como familiar e paroquial da sua fé católica. Deste modo há quem considere que até se deu uma conversão à prática mais habitual da fé e, noutros casos, se dá mesmo uma descoberta de um outro rosto de Igreja. Por isso, ao nível da Paróquia de Santiago, ao longo deste ano pastoral de 2007/08 está a ser implementado – a título experimental – o método das ‘células paroquiais de evangelização’ em ordem a tentar, no próximo ano (2008/09), alargar esta forma de evangelização, que tão bons frutos tem dado noutras partes do mundo… como na Diocese de Milão (Itália) ou nalguns países da América Latina. A. Sílvio Couto