II Concílio do Vaticano: Chenu e as categorias deste tempo

Durante o II Concílio do Vaticano (1962-65) o teólogo francês, Marie-Dominique Chenu, desempenhou um papel central nas reflexões conciliares. Este dominicano (Soisy-sur-Seine 1895 – 11 de fevereiro de 1990) foi um grande especialista em História Medieval e professor na Universidade de Sorbonne (Paris). (mais…)

Dominicanos: Ciclo sobre «A nova situação sócio-religiosa na Europa»

Lisboa, 18 fev 2017 (Ecclesia) – O Instituto São Tomás de Aquino, ligado aos Dominicanos, promove, a partir de hoje e até ao dia 1 de abril, um ciclo de conferências sobre «A nova situação sócio-religiosa na Europa».

Esta atividade, a realizar no Convento de São Domingos, em Lisboa, tem o seu início com uma conferência de Adriano Moreira, pelas 15:30, sobre «O atual mapa político-religioso da Europa», lê-se no programa enviado à Agência ECCLESIA.

Uma semana depois (25 deste mês), «A perspetiva cristã do diálogo inter-religioso» é o tema da conferência proferida por frei José Nunes.

No mês de março (04 e 18), Eduardo Bento e Joaquim Franco falam sobre «Diferentes culturas, diferentes credos: podemos caminhar juntos?» e «Religião e Europa na era mediática – da submissão ao messianismo, equívocos e contextos», respetivamente.

«É possível testemunhar a fé sem espírito nem métodos de cruzada?» é o tema, dia 25 de março, abordados por Paulo Mendes Pinto e K. Faranaz.

A conferência de encerramento é proferida por frei Francolino Gonçalves que reflete sobre «Bíblia: aceitação de um pluralismo religioso?»

Todas as conferências do ciclo são às 15:30 no mesmo local, Convento de São Domingos (Alto dos Moinhos – Lisboa).

LFS

Dominicanos: Fr. Timothy Radcliffe profere duas conferências em Lisboa

Lisboa, 28 jan 2017 (Ecclesia) – O frade Timothy Radcliffe, antigo mestre-geral da Ordem dos Pregadores (Dominicanos) profere este sábado e domingo duas conferências no Convento de São Domingos, em Lisboa.

De acordo com um comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o religioso vai falar hoje sobre «How can the conscience of the Laity be heard?» (Como escutar a voz dos leigos na Igreja?) e no domingo a sua reflexão terá como tema central «The holiness of the body» (A santidade do corpo).

Este eventos contam com a organização da Família Dominicana, em conjunto com o Instituto São Tomás de Aquino e o Movimento 'Nós Somos Igreja'.

Fr. Timothy Radcliffe nasceu em 1945, em Londres, e é membro da Ordem dos Pregadores desde 1965.

Eleito mestre-geral dos Dominicanos em 1992, viajou por todo o mundo em visitas às diversas províncias da sua ordem.

LFS

Dominicanos: Jubileu renovou «diálogo com a cultura», contra a «indiferença»

Lisboa, 24 jan 2017 (Ecclesia) – O diretor do Instituto São Tomás de Aquino, frei José Nunes, afirmou que os frades dominicanos encerram o jubileu dos 800 anos da ordem “cansados mas entusiasmados”, “renovados”, no serviço em colocar em diálogo o “Evangelho com a cultura”.

À Agência ECCLESIA, o religioso dominicano disse que em Portugal continuam uma história de 800 anos com “projetos muitos concretos” de pregação nos meios de comunicação social, nas redes sociais, no “diálogo com a cultura”.

“Na cultura da indiferença de cada vez mais pessoas a não ligarem à vida eclesial, à fé cristã. Estarmos presentes no mundo das pobrezas, das periferias, dos sem-abrigo, dos pobres”, desenvolveu o frei José Nunes, indicando que têm institutos e obras próprias para desenvolver esse serviço à sociedade e à Igreja.

Para o futuro, o sacerdote explica que também têm programada uma “grande exposição” dedicada à arquitetura religiosa dominicana em Portugal e as influências que teve no estrangeiro.

Segundo o frei José Nunes, durante o jubileu os religiosos partilharam “muitas experiências”, estudaram e olharam outra vez para a sua história, para a Ordem religiosa fundada por São Domingos de Gusmão, encontrando, “em geral, uma pregação de bondade”, de misericórdia, positiva, “de anuncio da alegria do Evangelho”.

O também professor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica refere que o mundo de hoje não precisa de uma “pregação negativista, ameaçadora”.

“Olhando para a história vemos como realmente o carisma dominicano se foi adaptando a todos os tempos e lugares e hoje também e em relação ao futuro tem de se ir adaptando aos lugares mas o ensinamento da história ajuda-nos a olhar com confiança para o presente e para o futuro”, desenvolveu.

No sábado, o Papa Francisco destacou o exemplo que a Ordem dos Pregadores dá numa “sociedade líquida”, criando “artesãos de boas obras”, na Missa de encerramento do jubileu dos 800 anos da fundação do Dominicanos.

Em Portugal, os dominicanos dinamizaram ao longo do ano jubilar jornadas de história, congressos, exposições, debates, conferências, sem esquecer a dimensão celebrativa que é “importante”.

A 21 de janeiro de 1217, São Domingos de Gusmão recebeu do Papa Honório III a Bula ‘Gratiarum Largitori Omnium’, onde pela primeira vez fala-se da ‘Ordem dos Pregadores’.

PR/CB