Música: Banda «Retalhos» volta aos palcos em concerto solidário

Lisboa, 16 out 2017 (Ecclesia) – A banda de inspiração cristã ‘Retalhos’ regressa aos palcos este sábado e domingo, em Lisboa, em duas atuações solidárias que assinalam 25 anos de carreira.

‘Da Música à vida’ é o título do musical que vai ser apresentado no sábado, pelas 21h30 (sessão já esgotada), e no domingo, às 16h00, no auditório do Colégio de São José (Restelo).

Os trabalhos dos membros da banda, de diferentes paróquias da região de Lisboa, resultou em dois CD e em dois musicais: ‘Viver a Vida’ e ‘Viver Família’.

“25 anos depois, queremos recordar histórias, músicas e sobretudo as mensagens que nos animam e que tentamos transmitir”, referem, em comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

O cartão de entrada, a adquirir no local, tem o valor de 5 euros e um fim solidário, ajudar o Lar Madre Teresa de Saldanha, das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, e o Refeitório Rosália Rendú, das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo.

O público é ainda convidado a partilhar um bem alimentar não-perecível.

OC

Salesianos: Padre Tom vai receber Prémio Madre Teresa Memorial para a Justiça Social

Lisboa, 06 out 2017 (Ecclesia) – O Prémio Madre Teresa Memorial para a Justiça Social de 2017 vai ser entregue ao padre salesiano Tom Uzhunnalil, que esteve sequestrado por jihadistas durante 18 meses no Iémen.

Segundo um comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA a cerimónia de entrega vai acontecer a 10 de dezembro, em Mumbai, na Índia, uma vez que o tema da edição deste ano é “Compaixão além fronteiras – Uma resposta compassiva à crise dos refugiados” e se trata de um prémio em memória de Madre Teresa de Calcutá.

O padre Tom soube da atribuição deste prémio já depois de ter regressado à Índia após a terrível experiência de 18 meses em cativeiro às mãos dos jihadistas do auto-proclamado “Estado Islâmico”, no Iémen, onde se encontrava em missão.

Quando chegou à capital indiana agradeceu a “todos os que contribuíram para a sua libertação após ter sido sequestrado numa casa de repouso em Áden, pertencente às Missionárias da Caridade, onde trabalhava como capelão há quatro anos”, pode ler-se no comunicado.

Durante o tempo de cativeiro em que nada se sabia do padre Tom foram várias as instituições que organizaram jornadas de oração, entre elas a Fundação Ajuda a Igreja que Sofre.

O padre Tom tem 57 anos, nasceu em Ramapuram, próximo à Pala (Kottayam, Kerala) numa família profundamente católica. Seu tio Mateus, que faleceu em 2015, também era salesiano e foi o fundador da missão católica no Iémen. 

SN

 

Lisboa: Cáritas Diocesana assinou protocolos de cooperação no Dia Internacional da Caridade

Lisboa, 06 set 2017 (Ecclesia) – A Cáritas Diocesana de Lisboa (CDL) assinou esta terça-feira protocolos de cooperação, a que deu o nome de ‘BEMfazer’, com três empresas, assinalando o Dia Internacional da Caridade.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a CDL explica com os novos protocolos de cooperação “desejou manifestar e assegurar” que a sua missão é, cada vez mais, “um compromisso de muitos.

“Significa que, mesmo estando fisicamente ausentes, o Bem levado a cabo por esta organização será sempre o resultado de uma partnership, da união de voluntários, benfeitores, empresas, organizações e outras entidades, que partilham valores e metas a alcançar”, desenvolve a instituição do Patriarcado de Lisboa.

Os protocolos de cooperação ‘BEMfazer’ foram assinados com as empresas Gráfica Olegário Fernandes, a Fábrica de Velas Condestável e Pedro Luís, esta terça-feira, no Lar da Bafureira que “tem por vizinho um colégio de miúdos, com o pré-escolar e os 3 primeiros ciclos,” e onde se promove o diálogo intergeracional.

A Cáritas Diocesana de Lisboa escolheu firmar as parcerias no Dia Internacional da Caridade que foi instituído pela Assembleia-Geral das Nações Unidas em 2012, através da Resolução 67/105, na data da morte da Madre Teresa de Calcutá (1910-1997).

Com a celebração dos vários protocolos, a CDL, “em sintonia com todos os seus equipamentos e projetos sociais”, afirmou a importância de uma “atuação conjunta” na resposta a tantas necessidades e “agradeceu a confiança e a generosidade de todos os que constituem a textura das redes às quais hoje pertence”.

A instituição recorda também que, recentemente, celebrou protocolos de colaboração com a Casa do Gaiato, o Centro Social e Paroquial de Torres Vedras, com o Centro Comunitário e Paroquial da Ramada, e também com a Comunidade Vida e Paz e os Meninos do Mundo que vão apoiar pessoas sem-abrigo e a proteção de crianças de todo o mundo, respetivamente.

‘Fazer bem o Bem, a quem mais precisa’ é “lema ou assinatura” da Cáritas Diocesana de Lisboa e traduz, “bastante bem”, o chamamento à misericórdia, “o mandato a ser-se construtor de diálogo, cooperação, bem-estar e paz”.

CB