Membro português da Comunidade Ecuménica abordou temática que marca Encontro Europeu deste ano

Foto: Irmão David, da Comunidade Ecuménica de Taizé, Patriarcado de Lisboa

Madrid, 29 dez 2018 (Ecclesia) – O irmão David, representante português na Comunidade Ecuménica de Taizé, diz que o tema da “hospitalidade” que orienta o Encontro Europeu deste ano, em Madrid, é essencial numa sociedade atual onde “se constroem muros” e “se fecham portas”.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, o irmão David, natural de Portalegre, realça a importância de transmitir o ideal da hospitalidade, da abertura, aos jovens que estão a participar no 41.º Encontro Europeu em Madrid, uma vez que serão eles os protagonistas do amanhã, do futuro.

“Tantas vezes nas nossas sociedades ocidentais se constroem muros, se fecham portas, nos separamos dos outros, nos protegemos dos outros, temos receio do que é diferente. Aqui temos a experiência de, ao vivermos a hospitalidade, ao acolhermos o outro na sua diferença, não vamos fazer mal à nossa tradição, não vamos perder nada, pelo contrário, vamos-nos enriquecer mutuamente”, frisa aquele responsável.

Ligado à Comunidade Ecuménica de Taizé há quase 30 anos, o irmão David destaca a relevância desta temática no sentido de “ajudar a construir uma Europa mais aberta, mais solidária”.

Nos encontros europeus de Taizé, os mais novos fazem “uma forte experiência de comunhão, de alegria, de Igreja”, que os desafia a “abrirem os corações aos outros”.

“São as famílias que acolhem, são os jovens que vêm, que se deixam acolher. É aqueles que vêm de fora, e o que que trazem aqui para partilhar. Esse encontro é muito importante e muito enriquecedor”, sublinha o irmão David.

Até 1 de janeiro, mais de 15 mil participantes, entre os quais 600 jovens portugueses, têm ocasião também para contactar com outras realidades e culturas, e outras experiências de fé.

“Para nós é sempre um desafio e uma alegria pormo-nos a caminho, sairmos do conforto das nossas casas para ir ao encontro de uma Igreja local. Proporcionar um tempo de oração, de encontro, que ajude cada um a ir às fontes, às raízes da sua fé cristã, e depois a procurar vivê-la com maior entusiasmo, no dia-a-dia, na situação em que está, explica o irmão David, que saúda a boa participação portuguesa no evento deste ano.

“Estão três vezes mais jovens portugueses do que no encontro europeu do ano passado, em Basileia. A proximidade do local do encontro com Portugal também trouxe mais daí mais participantes”, admite aquele responsável, que enaltece também o esforço que as comunidades espanholas têm feito para que tudo corra da melhor forma possível.

“O que temos visto é uma grande alegria, as paróquias e famílias que se mobilizaram, é a primeira vez que o encontro europeu acontece aqui em Madrid e acho que isso trouxe uma alegria especial de quererem viver esta experiência”, completa o irmão David.

A comunidade ecuménica internacional de Taizé foi fundada em 1940 pelo irmão Roger, e os irmãos que a integram comprometem-se para toda a vida na partilha dos bens materiais e espirituais, no celibato e numa grande simplicidade de vida.

Actualmente, a comunidade tem cerca de uma centena de irmãos, católicos e de diversas origens evangélicas, vindos de mais de vinte e cinco países.

CB/JCP

Partilhar:
Share