Miguel Oliveira Panão (Professor Universitário), Blog & Autor

Existem momentos importantes na nossa vida como: uma primeira entrevista de emprego; apresentações em Congressos do nosso trabalho; jogos importantes e decisivos no desporto que praticamos; ou seja, momentos que nos trazem à partida experiências transformativas para o resto da nossa vida.

Por isso mesmo dizemos que são momentos de festa e se há coisa que não descuramos é a sua preparação. Treinamos para que sejam momentos inesquecíveis e de realização pessoal. Aliás, a preparação é o elemento chave do sucesso da entrevista, da palestra ou presença em jogo.

No meu caso, de cada vez que tenho de apresentar um artigo numa conferência, o tempo despendido nessa preparação e o que a compõe é pensado ao detalhe. Os slides. O discurso. Uma vez ensaiei tanto o que ia dizer que no final quase nem conseguia falar direito. E sempre que me preparei, tudo correu bem. Ao contrário, sempre que não cuidei bem da preparação, as coisas não correram tão bem e o que poderia ser um momento importante, não foi.

Não será análogo ao que acontece com a Quaresma em relação à Páscoa?

Quais as implicações de considerar a Quaresma como esta preparação para a celebração de um momento tão importante na vida de todo o cristão como a Páscoa? Partilho 5 aspectos que podem ajudar-te a responder a estas questões com a vida.

1. Actos de amor como penitência

Imagina que tens um vizinho que deixa sempre o lixo fora da porta, mas demora o tempo suficiente antes de o levar para deixar um cheiro desagradável no prédio. Tens duas hipóteses: ou reclamas; ou amas. Por vezes, um acto de amor exige um dom maior de nós próprios. Neste caso, imagina-te a fazer o acto de amor de levar o lixo do teu vizinho. Quem sabe se isso não irá despertar nele a vontade de amar também e mudar de atitude? A esmola que estás a dar é o teu sacrifício, ou seja, fazeres de cada acto de amor algo sagrado.

2. Cuidar bem do sono e alimentação

Há quem pense que dormir é um desperdício de tempo, ou que alimentar é meramente por combustível no corpo. Leia-se …eu! Mas se não dormires antes de um compromisso importante no dia seguinte, corres o risco de não comparecer, ou de o fazer cansado e com uma mínima capacidade de concentração. Se não te alimentares bem – que não significa alimentar muito – corres o risco de o corpo não reagir da melhor maneira, afectando os momentos importantes que se avizinham. A quaresma convida também a fazer um jejum dos excessos.

3. Cuidar dos relacionamentos

Não há momentos importantes que não sejam partilhados com os outros. Quantas pessoas afectamos todos os dias com o tom de voz com que nos dirigimos a elas, com o olhar, com o sorriso. Cada gesto, por mais simples, pequeno, ou subtil que seja pode transformar o relacionamento com o outro. Entrar em diálogo com o outro nas mais pequenas coisas pode fazer parte do diálogo com Deus. Pois, “sempre que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim mesmo o fizestes” (Mt 25, 40).

4. Subtrair para simplificar

Quando olhamos para as nossas contas, aquilo que na altura parecia pouco, ao acumular, fica um montante considerável de serviços que pagamos todos os meses. Ou então, quando revemos a quantidade de tempo que gastamos a consultar (nem me refiro a enviar) emails, novidades nas redes sociais, notícia atrás de notícia, séries e filmes, programas de televisão ou Netflix… pode ser um tempo de tal forma astronómico para o que devia ser, que perdemos de imediato a coragem de dizer – “não tenho tempo de rezar.” Como parte desta preparação poderíamos investir em “subtrair para simplificar.” Ter menos não é ser menos, mas optar pelo mais simples e essencial. Nesta quaresma revi o que era essencial e cancelei alguns serviços que tinha.

5. Não desistas por seres imperfeito

Resvalamos e desistimos por não conseguirmos cumprir com os nossos propósitos. Isso é perfeccionismo. Quando Jesus nos convida a ser perfeitos como o Pai é perfeito refere-se ao facto de Deus ser amor. É aí que está a meta da nossa perfeição. Ser amor. Pois, se há coisa em que somos perfeitos é em ser imperfeitos. Usa a tua imperfeição para testemunhar ao mundo que se tu podes melhorar, qualquer um pode melhorar.

 

Partilhar:
Share