Cardeal Pietro Parolin pede difusão de «perceção equilibrada e positiva da migração»

Cidade do Vaticano, 07 mar 2018 (Ecclesia) – O secretário de Estado do Vaticano afirmou a necessidade de “divulgar uma perceção equilibrada e positiva da migração”, na abertura de um encontro da Comissão Internacional Católica para Migração (ICMC).

“Embora muitas nações devam seu desenvolvimento aos migrantes e apesar de suas experiencias terríveis serem divulgadas, a migração é vista somente como emergência ou perigo, mesmo sendo um elemento comum em nossas sociedades”, disse o cardeal Pietro Parolin, esta terça-feira.

O responsável pediu aos membros da Comissão Internacional Católica para Migração que difundam “uma perceção equilibrada e positiva da migração”

“Fala-se não de números mas de pessoas: homens, mulheres e crianças que têm um rosto, que muito sofrem e que são descartados”, observou.

O secretário de Estado do Vaticano destacou a contribuição da ICMC na preparação dos documentos Global Compacts (Pactos Globais), por uma migração segura, ordenada e regular e pelos refugiados, que a ONU quer aprovar este ano e que o Papa Francisco apoiou na mensagem para o 51.º Dia Mundial da Paz, a 1 de janeiro 2018.

O cardeal Pietro Parolin realçou que nos rostos humanos dos migrantes vê-se “o rosto de Cristo” que querem “servir, especialmente, naqueles que são os menores e com mais necessidades”.

“Levemos a todos, através do nosso amor concreto, o anúncio livre do amor de Deus que acolhe, protege, sabe valorizar e fazer sentir parte de Sua família”, acrescentou.

No encontro vai ser escolhido o novo presidente da ICMC, pretende-se a adoção de um quadro estratégico para 2019-2022 e os participantes vão ser recebidos pelo Papa Francisco esta quinta-feira, último dia de reunião.

“Procurando ser dinâmicos e capazes de responder às necessidades de refugiados e migrantes, radicado na doutrina da Igreja católica e na forte liderança do Papa Francisco, que convida a proteger, promover e integrar refugiados e migrantes”, explicou o secretário-geral do organismo internacional, monsenhor Robert J. Vitillo.

A Comissão Internacional Católica para Migração foi criada depois da II Guerra Mundial, Papa Pio XII, e congrega representantes das Conferências Episcopais e das agências católicas que se dedicam aos migrantes e refugiados, estando em 50 países; mais recentemente trabalha em direta colaboração com a Seção Migrantes e Refugiados do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral.

CB/OC

Partilhar:
Share