Cidade do Vaticano, 04 jan 2019 (Ecclesia) – O diretor interino da sala de imprensa da Santa Sé confirmou hoje aos jornalistas que o bispo argentino D. Gustavo Zanchetta, a trabalhar no Vaticano, foi acusado de abusos sexuais.

A nota sublinha que o responsável “renunciou” ao governo da diocese argentina de Oran, alegando “dificuldades em gerir as relações com o clero diocesano”, em agosto de 2017.

No final desse ano, seria n nomeado assessor da Administração do Património da Sé Apostólica.

Segundo a Santa Sé, as acusações de abuso sexual “remontam ao último outono” e durante a investigação prévia, D. Gustavo Zanchetta vai “abster-se do trabalho”.

O Vaticano informa ainda que aguarda pela recolha de testemunhos, a cargo do atual bispo de Oran, D. Luis Antonio Scozzina, para determinar se existem “bases para avançar com uma investigação”, conduzida por uma comissão especial.

OC

Partilhar:
Share