Região vai estar no centro de uma assembleia especial, em outubro de 2019

Cidade do Vaticano, 08 mar 2018 (Ecclesia) – A sala de imprensa da Santa Sé anunciou hoje que o Papa escolheu como tema para o sínodo especial sobre a Amazónia os “novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”.

O encontro vai decorrer em outubro de 2019, no Vaticano.

No último dia 19 de janeiro, Francisco disse no Peru que a Igreja Católica conta com os povos indígenas para ter um “rosto amazónico”.

“Ajudai os vossos bispos, os missionários e as missionárias a fazerem-se um só convosco e assim, dialogando com todos, podeis plasmar uma Igreja com rosto amazónico e uma Igreja com rosto indígena”, disse, num encontro com milhares de indígenas em Puerto Maldonado, uma região da Amazónia.

Este encontro foi apresentado pelo Papa como primeira “reunião pré-sinodal” da assembleia especial do Sínodo dos Bispos para a região pan-amazónica.

O Sínodo especial foi anunciado por Francisco em outubro de 2017, com o objetivo de “identificar caminhos para a evangelização” na região, com atenção especial aos indígenas, “muitas vezes esquecidos e sem a perspetiva de um futuro sereno”.

O pontífice alertou para a atual crise da “floresta amazónica”, que apresentou como “pulmão de capital importância” para o planeta.

O Papa já tinha aprovado a criação de uma Rede Eclesial Pan-Amazónica, REPAM, que inclui representantes de comunidades católicas de nove territórios: Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana-Francesa, Peru, Suriname e Venezuela.

Na sua encíclica ‘Laudato si’, o Papa deixou sobre a desflorestação da Amazónia, sustentando que a exploração dos recursos naturais não deve apostar no benefício imediato.

OC

Partilhar:
Share