Francisco deixa saudação aos cardeais e arcebispos que celebraram com ele a solenidade de São Pedro e São Paulo

Imagem do Apóstolo São Pedro, Vaticano

Cidade do Vaticano, 29 jun 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco disse hoje no Vaticano que a fé católica apresenta Jesus como mais do que um “revolucionário” ou um “grande profeta” da justiça e do amor, como outros o têm visto ao longo da história.

“Jesus é o Filho de Deus: por isso está vivo perenemente, como está eternamente vivo o seu Pai. E esta é a novidade que a graça acende no coração de quem se abre ao mistério de Jesus, a certeza que não é matemática, mas é ainda mais forte, interior, de ter encontrado a fonte da Vida, a própria vida feita carne”, assinalou, desde a janela do apartamento pontifício, na recitação do ângelus.

Milhares de peregrinos reuniram-se na Praça de São Pedro para assinalar a solenidade de São Pedro e São Paulo, padroeiros de Roma.

“Por intercessão da Virgem Maria, rainha dos apóstolos, que o Senhor conceda à Igreja, em Roma e no mundo inteiro, a capacidade de ser sempre fiel ao Evangelho, a cujo serviço os santos Pedro e Paulo consagraram a vida”.

A data ficou marcada pela criação de 14 novos cardeais, incluindo D. António Marto, bispo de Leiria-Fátima, e a bênção dos pálios para os arcebispos metropolitas nomeados no último ano, entre eles D. Francisco Senra Coelho, arcebispo de Évora.

“Renovo os meus cumprimentos e os meus parabéns para todos eles e para os que os acompanharam nesta circunstância festiva. Que possam sempre viver com entusiasmo e generosidade o seu serviço ao Evangelho e à Igreja”, referiu Francisco.

O Papa despediu-se desejando “boa festa” e com os tradicionais votos de “bom almoço” para todos.

OC

Partilhar:
Share