«É o grande dom de Deus», disse o pontífice

Cidade do Vaticano, 23 mai 2018 (Ecclesia) – O Papa Francisco começou hoje um ciclo de catequeses dedicado ao Sacramento da Confirmação, o Crisma que “confirma o Batismo”, e recordou que Jesus confiou aos discípulos “a grande missão ser sal da terra e luz do mundo”.

“Todos temos o Espírito, está no nosso coração, na nossa alma. E o Espírito guia-nos para que nos tornemos sal e luz na medida certa aos homens”, explicou o pontífice esta manhã na Praça de São Pedro.

Neste contexto, o Papa assinalou que o testemunho cristão consiste “em fazer somente e tudo aquilo que o Espírito de Cristo pede, concedendo a graça de o realizar”.

Na audiência pública semanal, Francisco escolheu o Sacramento da Confirmação, o Crisma, como tema do novo ciclo de catequeses.

“Confirmação porque confirma o Batismo e reforça a sua graça; Também Crisma porque recebemos o Espírito mediante a unção com o óleo (consagrado pelo bispo) termo que remete a Cristo, o Ungido pelo Espírito”, referiu.

Segundo o pontífice renascer para a vida divina no Batismo “é o primeiro passo” e depois é “preciso” agir como filhos de Deus, “conformar-se ao Cristo que atua na santa Igreja”.

“Sem a força do Espírito Santo não podemos fazer nada. Assim como toda a vida de Jesus foi animada pelo Espírito, assim também a vida da Igreja e de cada seu membro está sob a guia do mesmo Espírito”, desenvolveu.

Francisco recordou o modo como Jesus se apresentou na Sinagoga de Nazaré, a sua identidade: «O Espírito do Senhor está sobre mim; por isso me consagrou com a unção e me enviou a levar aos pobres o alegre anúncio» (Lc 4,18).

A Igreja celebrou este domingo a Solenidade de Pentecostes e o Papa explicou que para a Igreja é “impulso missionário a viver a vida pela santificação dos homens, a glória de Deus”, o que para Cristo foi a unção do Espírito no Jordão, e acrescentou que o “respiro” do Cristo Ressuscitado enche de vida os pulmões da Igreja.

O pontífice argentino recordou que Jesus aos discípulos confiou a missão de ser sal da terra e luz do mundo, “imagens” que levam cada pessoa a pensar “no comportamento”.

“Seja a carência, seja o excesso de sal comprometem o alimento, assim como a falta ou excesso de luz impedem de ver”, contextualizou, realçando que apenas o Espírito de Cristo “dá o sabor e a luz que clareia o mundo”.

Francisco explicou que no momento de fazer a unção o bispo diz “receba o Espírito Santo que lhe foi confiado como dom”, “o grande dom de Deus”.

Aos “queridos peregrinos de língua portuguesa” o Papa no final da audiência pediu que não se esqueçam de “agradecer ao Senhor pelo dom do sacramento do Crisma, que ajude a viver sempre como verdadeiros cristãos, confessando por todo o lado o nome de Cristo”.

O Papa apelou ainda a todas as comunidades que se unam em oração com os católicos na China, um pedido na véspera da festa anual em honra de Nossa Senhora Auxiliadora “particularmente venerada no Santuário de Sheshan”.

Francisco rezou também pela Ucrânia, pedindo “incessantemente ao Senhor para curar as feridas causadas pela guerra e conceder-lhe a Sua paz”, com os peregrinos ucranianos na Praça de São Pedro pela 60.ª Peregrinação Militar Internacional a Lourdes.

CB

Partilhar:
Share